Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Ao som de cantilenas
Matilde Diesel Borille

Terna saudade do tempo em que me habitava um som de paz
que quando a lua elevava-se igualava-se às vozes de mil anjos,
e a minha criança interior adormecia ao som de cantilenas,
e eu aprendia palavras que apenas se pode dizer em prece.
Magoa-me a saudade, pois naquele tempo eu tinha minha mãe
e na voz aveludada dela, os sussurros de Deus em meus ouvidos;
a primeira oração - versos divinos de minha vida - foi ela quem deu.
E agora não há dela senão uma inefável e velada lembrança,
como a rosa invisível pintada na parede da casa da chuva,
que eternamente em pétalas e espinhos fere minha ternura.
Guardo-as, rosa mãe e rosa flor, no pedaço do céu de dentro
do bolsinho daquele vestido de menina.
Oh, eu nunca mais o tirei,
esperando o meu primeiro infinito chegar propondo um acordo íntimo:
beijar cá dentro, meus desejos de descansos,
e ficar em mim até o fim.
Sim, sim, lindas, minhas lindas,
pra fazer valer ter memória,
eu quero aprender ver no invisível
e até no infinito ver
o amor assaltar minha alma,
ocupar o que ainda vou ser.


Biografia:

Este texto é administrado por: MATILDE DIESEL BORILLE
Número de vezes que este texto foi lido: 407


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Um pouquinho além Matilde Diesel Borille
Poesias À beira da lareira Matilde Diesel Borille
Poesias Amanhã Matilde Diesel Borille
Poesias Junto de Deus Matilde Diesel Borille
Poesias Migalhas de doçura Matilde Diesel Borille
Poesias Inevitável Matilde Diesel Borille
Poesias Se Matilde Diesel Borille
Poesias O beijo Matilde Diesel Borille
Poesias Toque divino Matilde Diesel Borille
Poesias Ao som de cantilenas Matilde Diesel Borille

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última

Publicações de número 11 até 20 de um total de 63.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
Vivo com.. - 32756 Visitas
CÉREBRO HUMANO - Tércio Sthal 32370 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 32003 Visitas
eu sei quem sou - 31880 Visitas
camaro amarelo - 31813 Visitas
sei quem sou? - 31745 Visitas
MENINA - 31659 Visitas
viramundo vai a frança - 31627 Visitas
O que e um poema Sinetrico? - 31609 Visitas
A menina e o desenho - 31561 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última