Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
CIDADES UMBRALINAS
CIDADES UMBRALINAS
Henrique Pompilio de Araujo

Resumo:
Existem cidades umbralinas onde só há espíritos ruins ou sofredores. Não adianta duvidar que elas estão lá para provar a verdade.

CIDADES UMBRALINAS
No livro "Libertação" (cap. lV), André Luiz nos fala de uma cidade dos planos inferiores, onde o panorama é um dos mais desagradáveis, seja pelo local e a população, seja pela fauna e a flora. São descrições que nos causam medo e tristeza, tal é a situação dessa coletividade de sofredores.
A cidade está envolta em denso nevoeiro, em terreno acidentado e casario paupérrimo, decadente e sórdido, com exceção do templo e dos palácios do pessoal administrativo, que ficam num pequeno planalto, onde há ruas e praças bem cuidadas, cheias de povo e carros puxados por escravos e animais.
Tanto os seres humanos e sub-humanos, como a flora e a fauna causam comiseração, tal é a degeneração em que se encontram. No ar, aquele ambiente de insegurança, ao presenciar-se aquelas fisionomias patibulares. Pigmeus aos magotes perambulam pelas ruelas, como que impulsionados por uma força estranha, que os move de um local para outro, sem destino.
A ociosidade é a nota dominante.
Multidões de seres sub-humanos são utilizadas para os serviços mais rudimentares, como trabalhadores de poucas possibilidades, em regime de escravidão. Para completar esse quadro entristecedor, essa população se traja de roupas Imundas e fétidas. Entre os dirigentes predomina a roupa de cor escarlate, simbolizando bem o estado de agressividade que lhes é peculiar.
Tudo é de causar pena, inclusive a flora, porque até as plantas são desagradáveis ao olhar; mas o que mais amedronta é a grande quantidade de animais monstruosos, que se movimentam a esmo, como duendes.
Nessa cidade purgatorial, 95% da população se dedicam ao mal e à desarmonia, não existindo crianças, como se Deus quisesse poupá-las de lugar tão desolador e inseguro. Os restantes 5% são constituídos de missionários do bem, em abnegado serviço de auxiliar aqueles que demonstrem arrependimento e propensão para a reforma íntima. Trabalham anonimamente, para não despertar revolta por parte dos Senhores da Colônia. Essa população de estropiados e malfeitores, escravos e carrascos, vive sob severa vigilância de um policiamento de pessoas de semblante feroz, mais parecendo felinos à procura de uma presa. Todos, entretanto, não passam de instrumentos da Justiça Divina, que utiliza o homem para corrigir o homem.
A alimentação se dá através da vampirização dos fluidos dos encarnados que se afinem com as paixões rasteiras, sugando-lhes as energias, como se fossem lampreias insaciáveis. Essa cidade fica nas proximidades da crosta terrestre.
O plano espiritual é um mundo de infinitas situações, de conformidade com as condições morais e intelectuais de sua população, que se agrupa por afinidade; mas, como aqui, lá também existem os que governam e os que são governados, segundo a condição intelectual que alcançaram.
O importante dessa lição é que ela nos adverte para o perigo do envolvimento dessa coletividade de vampiros, que está bem próxima de nós, à procura daqueles que se afinem com as sensações inferiores, para se imantarem aos mesmos.
Como dizem os benfeitores espirituais, cada pessoa tem a companhia que deseja, segundo as suas Inclinações. E diante dessa advertência, não podemos alegar ignorância, se formos conduzidos a cidades dos planos inferiores, ao desencarnar. Vigiemos, portanto, as nossas tendências, para que não desembarquemos nessas regiões de atrozes sofrimentos.















Biografia:
Henrique Pompilio de Araújo, nascido em Campo Mourão PR e radicado em Cuiabá MT. Começou a escrever desde cedo. Professor aposentado, bacharel em Direito e Teologia. Trabalhou em diversas escolas em Cuiabá e alguns jornais do Estado. Publicou sua primeira obra em 1977: Secos & Molhados - Poemas. Ultimamente publicou outros livros: "Flores do Além" Poemas, "Contos da Espiritualidade" - Contos, "Nas curvas da vida" Memórias, "Cinquenta contos" Contos. Há muitas obras ainda esperando edição.
Número de vezes que este texto foi lido: 259


Outros títulos do mesmo autor

Ensaios OS TIPOS DE ESPÍRITOS MAIS DIFICEIS DE SEREM AJUDADOS Henrique Pompilio de Araujo
Ensaios ESTAMOS NESTA VIDA POR EMPRÉSTIMO Henrique Pompilio de Araujo
Artigos CHEGADA AO UMBRAL Henrique Pompilio de Araujo
Artigos A NOSSA PSICOSFERA, È SUJA, IMUNDA Henrique Pompilio de Araujo
Artigos 15 MANEIRAS DE SE TORNAR UM MISERÁVEL Henrique Pompilio de Araujo
Artigos 15 MANEIRAS DE NÃO SE TORNAR UM MISERÁVEL Henrique Pompilio de Araujo
Crônicas ENCARNADOS DIFICEIS Henrique Pompilio de Araujo
Poesias PROBLEMAS SEXUAIS Henrique Pompilio de Araujo
Ensaios MENSAGEM DA LEMÚRIA Henrique Pompilio de Araujo
Artigos HIGIENE AO TEMPO DE JESUS Henrique Pompilio de Araujo

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última

Publicações de número 21 até 30 de um total de 62.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
Desabafo - 54365 Visitas
O Senhor dos Sonhos - Sérgio Vale 54340 Visitas
A menina e o desenho - 54177 Visitas
Jornada pela falha - José Raphael Daher 54173 Visitas
MENINA - 54149 Visitas
sei quem sou? - 54146 Visitas
eu sei quem sou - 54119 Visitas
Vivo com.. - 54119 Visitas
Depressivo - PauloRockCesar 54117 Visitas
viramundo vai a frança - 54095 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última