Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
PROFUNDO 22 IND 16 ANOS
DE RICO FOG E IONE AZ
paulo ricardo a fogaça

Resumo:
BOM

Na lanchonete, Levi olha para o copo com suco de abacaxi e para Sandra em lágrimas.
- Por favor Levi, você é amigo dele, o conhece tão bem, faz ele me perdoar, por favor.
- Não sei ao certo o que te falar, dê tempo, espere ele digerir isso.
- E se ele arrumar outra, sabe que qualquer um faria isso?
Os olhos de Levi arregalam e ele logo retorna ao modo pause ali.
- Ele não é igual ao outros Sandra, ele é o seu namorado ou ficante.
- Eu o amo.
- Sei disso, meio que de um jeito bem louco esse seu amor, mais sei que o ama, por isso mesmo entenda, e se fosse com você, ele tendo outra e você o achando ali, na hora h, entende?
- Eu a mataria.
Levi estremece, a lembrança do beijo, os dois dormindo juntos.
- Cruzes Sandra.
- Sério, não suportaria ter que dividi-lo com outra.
- Sandra.
- O que foi?
- Fique tranquila, vou te ajudar.
- Sabia, meu grande amigo.
Eles ficam ali por mais um tempo, logo Levi recebe uma ligação e Sandra se despede.
Nalva fica eufórica com a festa que Dani e Edú lhe preparara para a união dela e do doutor Arnaldo.
- Dani, não precisava tanto.
- Claro que precisa, eu quero ve-la esplêndida nesta festa.
- Obrigada.
- Nalva, você é como uma tia para mim, enfim alguém muito amado da família.
- Eu sempre me senti acolhida e respeita por todos nesta casa, obrigada de coração Dani.
- Estou feliz e triste, feliz por que um grande acontecimento vai te fazer feliz, mais triste por que perco minha companhia para tudo, as fofocas, passeios, compras, e agora minha amiga?
- Jamais, sempre estarei por aqui é só me ligar e pronto, já venho. Risos.
- Sei disso, sabe sou muito grata a você Nalva.
- Que nada Dani eu é que sou, olha, quem imaginaria de velha agora casada, com um doutor. Risos.
- Você merece isso e muito mais. Abraços e lágrimas das duas.
Leticia no escritório recebe Jarbas com um envelope.
- O que é isso?
- Veio endereçado a senhora, pelo jeito do seu noivo.
Leticia pega o envelope e abre.
- Jarbas, espere.
- O que foi senhora?
- Olhe só, a vida esta te dando outra chance.
- De quê senhora?
- Um convite para a cerimônia de uma funcionária da casa de meu noivo.
- Sim……….
- Ainda não entendeu, você vai com a gente, o convite se estende a ti, a chance de você pôr a limpo o passado.
- Por quê?
- Não sei querido Jarbas, mais sinto essa festa será memorável.
- Se diz assim senhora.
- Com certeza que vai . Jarbas pede licença saindo horas depois Glads chega para o expediente, Jarbas pede ao homem que vá para a sua sala.
- Me chamou sr, o que quer falar?
- Tenho algo para te falar e tem de ser agora.
- Sim senhor.
Quando Jarbas se prepara para dizer, Leticia abre a porta ali.
- Jarbas, preciso que venha a minha sala, agora.
- Sim.
Jarbas sai, Glads tenta falar com ele, porém o homem acompanha a mulher em silêncio.
- O que pensava em fazer Jarbas?
- Falar para ele.
- O quê, olha eu descobri seu outro irmão, é isso?
- Ele tem o direito de ………..
Leticia encosta uma pistola no peito do homem.
- Eu decido o quê, quando e como ele deve saber, só eu entendeu?
- Mais eu…………
- Já te disse, eu comando tudo daqui pra frente, só eu e ponto final.
- Por favor.
- Cale a boca e me atenda, entenda de uma vez, só eu estou comandando isso, só eu.
- Sim senhora.
- Melhor assim. Leticia guarda a pistola.
- Jarbas, você sabe que é muito importante para mim, vai deixe de ser bobo, jamais farei mau a você, afinal você é………..
- Senhora.
- Vai, fale com seu pupilo, invente qualquer coisa, não deixe ele desconfiar de nada.
- Sim senhora.


                                                      26122020…………..

                           Allan deitado na cama de motel, suíte extra luxo, Leticia beija o corpo do homem.
- Por que a gente não se casa logo?
- Mais a gente vai se casar, só não agora.
- Por que?
- Antes eu tenho que fazer algumas coisas.
- Tipo?
- Nossa, meu amor ficou mais interessado na minha vida.
- Não posso, sou teu homem?
- Fale de novo.
- O quê, seu homem?
- De novo.
Aos beijos, Allan repete e Leticia se entrega por completo a ele.
Glads chega em casa junto de Jarbas.
- Chegou filho?
- Oi mãe, o sr Jarbas veio junto, ele quer falar com a senhora.
- Por que não o chama de pai?
- Vou dormir, estou com muito sono, depois eu como.
- Tudo bem filho. Glads segue para o quarto, Arlete ali com Jarbas.
- Vamos dar uma volta?
- Onde?
- Você escolhe. Minutos depois eles estão no mercadinho de Vanderlei, ali 2 pratos com pastéis e refri em lata para cada.
- E então?
- Minha patroa, ela quer contar tudo.
- Como assim tudo, o que ela sabe, para mim tudo já foi dito?
- Não, ela sabe de algo mais.
Ele olha para ela apreenssivo e inicia o que tem a dizer, a cada fala, palavra ali dita, Arlete vai ficando nervosa.
- Ela não tem esse direito, como ela soube de tanto assim da gente, de minha família e de minha história?
- Ela só sabe, só isso.
- Eu quero falar com ela, me leve até ela, agora.
- Não precisa, acho que logo ela vai estar na sua casa, na realidade bem antes do que imaginamos, ela quer muito falar com o Lourival.
- Como deixei que isso tudo chegasse até aqui, Jarbas que tipo de homem é você, não sabe nem ao menos defender seus filhos?
- Eu não…………..posso.
- Por que Jarbas, por que, aliás, o que essa mulher é para você, sabe, ás vezes acho que vocês tem uma ligação que vai muito além de patroa e empregado?
- Eu não sei o que dizer, não posso falar.
- Então eu não estava tão errada, sabia disso, você continua o imprestável de sempre, desapareça de nossas vidas de uma vez.
- Arlete.
- Adeus Jarbas. Arlete sai deixando o homem ali, Vanderlei vem a mesa.
- O que houve?
- Ela nunca vai me perdoar Vanderlei.
- Você tem de entender, ela sofre com tudo isso há anos, ainda tem o……………
- Você também sabe do outro filho, por que não me disse Vanderlei?
- Isso é problema de vocês eu não deveria me intrometer e assim o fiz.
- Obrigado Vanderlei, obrigado mesmo.
- Entenda Jarbas eu…………
Jarbas acerta a conta e sai, Vanderlei guarda o dinheiro e fica a olhar o amigo entrar no carro e sair.
Lourival acende a última vela, do altar, quando sente alguém na porta.
- Já que não se anuncia, entre, aqui somos todos amigos.
- Gostei e gostei muito, o sr é realmente incrível, como dizem.
- Gostaria de lhe dizer o mesmo mais sei que seus sentimentos não são lá tão bons, sua energia é bem carregada, pesada demais, sabia?
- Amei, vim falar com um velho e ainda recebo um truque de magia, o que mais sabe fazer, pelo jeito não muito já que vive numa situação bem deplorável senhor?
Lourival se vira e ela, Leticia lhe estende a mão.
- Sou Leticia e o senhor é Lourival não, prazer ou qualquer coisa do tipo.
   Lourival olha para ela ali.
- O que foi, o que quer tanto dizer?
- Gosto, direto, sarcástico, um tanto avançado também, gostei muito de sua pessoa Lourival.
Jarbas termina o café com Glads ali na cozinha.
- O que a patroa tanto quer falar com meu avô?
- Não sei, acho que se consultar com ele, afinal ela gosta de várias experiências espirituais.
- Será isso mesmo, por que minha mãe saiu daqui logo que vocês entraram?
- Sua mãe ainda esta muito brava comigo.
- O que o senhor fez a ela, foi muito ruim, mais sei, minha mãe não é vingativa e nem tampouco rancoroza.
- Sei disso filho, eu sei disso. Glads fica um tanto sem jeito ali com a fala de Jarbas.
- Me desculpe.
- Tudo bem, só acho que ainda vai levar um bom tempo para dizer o que tanto espera.
- Vou esperar, ansioso mais vou esperar.
Arlete entra ali, os olhos de Jarbas para ela faz Glads sair dali deixando-os a sós.
- Diz logo, o que essa mulher é para você?
- Minha patroa, só isso.
- Não importa, só cuide bem do meu filho, não deixe que ninguém faça mau a ele, por favor.
- Nosso filho, ele é meu também, Arlete, fique tranquila, vou cuidar sempre dele, eu te prometo.
Leticia entra ali nisso.
- Podemos ir Jarbas.
- Sim senhora.
- Você é a mãe do Glads?
- Sim.
- Tem um filho surpreendente, especial, ele é um dos meus melhores colaboradores.
- Acredito, só não quero que ele sofra, jamais aceitarei isso.
- Senhora, ninguém quer sofrer, mais ás vezes sofremos sem perceber.
- O que quer dizer?
- Vamos Jarbas, obrigado senhora por fazer companhia a esse meu amigo.
- Amigo?
- Sim senhora, Jarbas é muito mais para mim do que um mero motorista, ele é praticamente meus braços, posso confiar nele em tudo, tudo.
- Sei, acredito nisso também, sei que ele é muito comprometido quando trata-se de dinheiro.
- Tchau senhora.
- Tchau. Leticia sai dali deixando Arlete pensativa, Lourival entra ali.
- Não queira rixa com essa daí, é daquelas que acha que compra tudo e todos, um demônio na terra, isso é o que ela é.
- Ela te maltratou?
- Nunca, até parece, acha que alguém pode me maltratar, ela só disse o que eu já sabia, foi bom, agora sei um pouco mais do que esta escondido.
- Escondido?
- Arlete, ela é muito ruim, mais ruim do que imagina, mais fique tranquila ela não é contra o nosso Glads, pelo contrário até se simpatiza com ele.
- Até quando?
- Isso não sei, mais sei que ela vai ter alguns obstáculos e o que ela não sabe, a vida vai cobrar-lhe e carissimo por tudo de ruim que ela fez, é dificil ocultar as marcas de sangue que ela traz nas mãos.
- Cruzes vô.

                                         28122020………..





                             Leticia termina de colocar o vestido longo em tecido plinçado preto com detalhes em brilho e algumas pérolas soltas na altura da barra, Jarbas segura o fecho do zíper para subi-lo quando Allan entra na sala.
- Amor, que bom que veio, me ajude com este vestido.
- Lógico meu amor. Allan segue até ela, Jarbas pede licença saindo, Allan fecha o vestido.
- Você estava se trocando com o Jarbas aqui?
- Sim, ele me ajuda em tudo, mais fique tranquilo, me troco sempre atrás do biombo ali.
- Eu sei, você confia muito no Jarbas, amor?
- Sim, minha vida, ele me ajudou muito, é muito importante para mim, mais que um funcionário qualquer............
- Acredito que ele nunca...............
- Jamais, sempre deixei claro as coisas, até por que nem preciso, ele trabalha para a minha família, conheceu meus pais me viu crescer, ele não é e nem seria capaz de tal ato.
- Te amo amor.
- Eu sei.
- Sério, você nunca esconde sua história e sempre me responde o que pergunto.
- Por que tenho e muito que confiar no meu homem, meu gato.
- Me ama tanto assim?
- Sim, demais.
- Te quero.
- Aqui amor, acabei de colocar esse vestido.
- A vai..........
- Te adoro. Leticia senta na mesa e Allan coloca as mãos nas pernas dela.
Jarbas sai do banho e logo coloca seu terno, pronto ele sai pelos fundos e entra no carro, Leticia ainda não fora, esta com certeza nos braços do noivo.
   Leticia termina de se arrumar novamente sob o olhar de Allan.
- Viu seu safadinho, vamos nos atrasar.
- Valeu a pena, demais.
- Seu gostoso.
- Olha que eu vou querer mais.
- Depois, agora vamos?
- Sim. O casal sai dali indo para a cerimônia de Nalva.
A cerimônia fora feita por um pastor da igreja de Arnaldo, Nalva se emociona muito durante tudo ali, Dani sempre por perto lhe dando parabéns e apoio, fora a primeira pessoa a abraçar o casal.
Edú entrega o presente ao casal, uma viagem a Trancoso Bahia, com tudo pago.
- Sério, seu Edú, muito obrigado. Nalva não esconde sua felicidade e Dani se alegra com aquilo, momentos depois, Dani e Edú vão a mesa do buffet.
- Que pena que a Simone não veio.
- Amor, não tinha como, ela ainda esta um tanto abatida com o acontecido.
- Eu sei, ainda não acredito que ela sofrera aquilo.
- Nem eu.
- O bom é que ela não esta só.
- Sei, doutor Marcelo.
- Sim, Marcelo, acho que eles finalmente vão ficar juntos.
- Se esqueceu, ele esta separado mais tem uma namoradinha.
- Nada sério, amor, de quem ele gosta de verdade e ama é sua irmã, minha cunha.
- Eu deveria é ir lá e acabar com toda essa graça isso sim.
- Nem pensar, deixe-os eles são maiores e tem o direito ao amor.
- Tá você tem razão.
- Eu sei que tenho amor. Beijos.
Simone ali no tapete com Marcelo maratona a sexta série da semana deles num streaming.
- Olha, o cara vai fugir.
- Será?
- Certeza, ele vai fugir, sair do carro e correr.
- Não sei não.
- Esta vendo.
- Que safado, amor você entende mesmo hein.
- Um tanto óbvio.
- Bem, por este lado, sim. Beijos.
- Vamos sair?
- Onde?
- Sei lá, um chopp, petisco?
- Bar?
- Pode ser.
- Tudo bem, vamos.
- Sério?
- Claro, amo ficar aqui, mais temos de ver gente além de nós.
- Concordo.
- Então vamos?
- Agora.
- Banho?
- Partiu, não é assim que se diz. Risos.
Marcelo já vai se despindo e Simone também, ambos seguem para o banho.
   Quase uma hora depois, eles num bar com música ao vivo, chopp e porção de camarão.
- Adoro isso.
- É bom.
- O que foi amor, não queria vir, a gente pode ir agora?
- Não, eu gostei, é que……………
- Fique tranquilo, eu te entendo, o Hércules morreu, ele não vai voltar.
- Simone.
- Eu sinto, sabe, muito, choro ás vezes, mais ele mesmo sempre me disse que não devemos parar de viver.
- Nossa, muito sábio ele.
- Sim, um cara para lá de boa praça.
- Você o amava?
- Sim.
- E eu?
- O que acha, afinal estou aqui contigo.
- Te amo.
- Fala de novo.
- Te amo.
- Bobo.
Marcelo beija Simone quando ouve.
- Boa noite.
- Oi, boa. Ali na frente do casal, a namorada de Marcelo na companhia de um rapaz.
- Olá.
Momentos depois, Marcelo ali em outro espaço do bar em pé frente a ela.
- Então………..
- Fique tranquilo, eu já sabia, sempre soube, nossa relação tinha prazo de validade, de boa.
- E o garoto?
- Vida que segue, não é assim o ditado?
- Certo, bem, eu te desejo toda sorte que não pude te dar.
- Eu sei que sim, te desejo o mesmo, sempre.
- Então………...felicidades.
- Sim, obrigado, tudo foi muito louco entre a gente, tchau.
- Tchau.
Sem abraço ela sai deixando ele ali, mais um pouco, depois ele segue para sua mesa onde Simone o aguarda.
- Tudo certo entre vocês?
- Acho que sim, pelo menos para mim, sim.
- Ela é muito inteligente, com certeza já suspeitava da gente.
- Será?
- Com certeza, sim.
- Como vocês são tão avançadas nestes assuntos?
- Somos mulheres, conhecemos outras e nos conhecemos, sabe que na real já dominamos vocês há muito tempo?
- Acredito e muito. Beijos.


                                    30122020………………...


Biografia:
amo escrever e ler
Número de vezes que este texto foi lido: 134


Outros títulos do mesmo autor

Poesias O ENCONTRO 5 paulo ricardo a fogaça
Contos LAPSOS EM CRISES P1 paulo ricardo a fogaça
Crônicas O REAL VERDADEIRO? paulo ricardo a fogaça
Crônicas O NOVO LOCK DOWN paulo ricardo a fogaça
Crônicas A MÁQUINA PÚBLICA paulo ricardo a fogaça
Contos IZAÍAS 4 LGBT IND 18 ANOS paulo ricardo a fogaça
Crônicas O BBB21 O REALITY DA HUMILHAÇÃO? paulo ricardo a fogaça
Crônicas SOBRE MIM paulo ricardo a fogaça
Contos IZAÍAS LGBT 3 IND 18 ANOS paulo ricardo a fogaça
Contos IZAÍAS LGBT 2 IND 18 ANOS paulo ricardo a fogaça

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 90.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2021
 
  Textos mais lidos
viramundo vai a frança - 75969 Visitas
Sem - ANDERSON CARMONA DOMINGUES DE OLIVEIRA 61956 Visitas
NÃO ERA NADA - Alexsandre Soares de Lima 50246 Visitas
O Trenzinho - Carlos Vagner de Camargo 50017 Visitas
Os Morcegos - Nato Matos 49581 Visitas
Pensamento 21 - Luca Schneersohn 49206 Visitas
A TRISTEZA E O SIM DA VIDA - Alexsandre Soares de Lima 48945 Visitas
MILA, A MENINA QUE MORAVA DENTRO DE UM COGUMELO - Saulo Piva Romero 48785 Visitas
Solidão que nada - Morgana Bellazzi de Oliveira Carvalho 48744 Visitas
Um dia - Luca Schneersohn 48216 Visitas

Páginas: Próxima Última