Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
ESTOU DEFICIENTE E AGORA?
teresa armando elios da silva

Resumo:
Explanação visando alertar a todos os indivíduos o quão são importantes o autoconhecimento e o autoequilíbrio para podermos enfrentar os revezes da vida.

ESTOU DEFICIENTE E AGORA?

Todos nos preparamos para momentos que nos agreguem alegrias, conquistas e não tristezas, frustrações, traumas.
Uma das causas para a desagregação familiar é a deficiência adquirida, o impacto é tão forte que muitos ao invés de aprender como lidar com a nova situação, resolvem abandonar o barco.
O atingido por estes revezes da vida, se foi mantida a sua lucidez ou parte dela, se sente assustado, com medo. O simples fato de ter que depender de uma outra pessoa para tudo , é necessário quebra de orgulho e aceitação, itens extremamente difíceis para o paciente.
Aceitação, esta palavra é muito forte e o seu significado vai além de tudo que podemos imaginar. Aceitar é não se queixar, não maldizer, não transferir para o outro as suas frustrações.
Como aceitar algo que não queríamos, que interrompeu momentos importantes da nossa vida e que levou embora seres queridos que não suportaram a barra?
Hábitos corriqueiros que fazem parte do nosso cotidiano como escovar os dentes, utilizar o vaso sanitário, tomar banho, se vestir ou simplesmente tomar um copo de água, possuir os órgãos vitais funcionando direitinho, passam batido na nossa rotina.
Quando nos vemos com a nossa intimidade devassada, sermos deixados no vaso sanitário, utilizando a comadre, fraldas, a espera que nossas atividades fisiológicas funcionem. Quando perdemos um membro, a visão, audição, fala, locomoção, o nosso processo do autoconhecimento e aceitação são colocados a prova, e agora? Deficiências definitivas ou temporárias precisam da ajuda do outro.
Quando são doenças degenerativas, muitos não suportam e optam pelo suicídio.
E o cuidador, se é alguém neutro que não pertence ao núcleo familiar do paciente, ele terá que entendê-lo, procurar ganhar a sua confiança. Se é algum familiar, é mais complicado pois este já o conhecia antes do ocorrido, suas manias, as suas reações, demandará mais esforço de aceitação para ambos.
Enfim as deficiências adquiridas são as mais difíceis de aceitar, a prática do autoconhecimento diário, reavaliação de atitudes, são extremamente importantes. Muitas deficiências possuem origens em mágoas, implosões mentais diárias e orgulho exagerado. Todos estes itens vão minando o sistema imunológico.
O paciente e o cuidador se tiverem condições mentais para utilizarem a empatia, se colocando um no lugar do outro, expondo menos as suas intimidades, exercendo a paciência , a fé e a gratidão por ter quem cuide e por poder ser útil ao outro. Ninguém é uma ilha, melhor nem pior que ninguém e a deficiência nivela, iguala os indivíduos, pois todos poderemos passar por momentos irreversíveis . Não é necessário ficar pensando que poderão acontecer algo que nos deixe dependentes do outro fisicamente, mas estarmos equilibrados seja para passarmos pela deficiência ou cuidarmos de alguém deficiente, a quebra do orgulho é o mais importante passo para isso.


Biografia:
Sou assistente social e gestora do terceiro setor, trabalho com autoconhecimento direcionado a crianças, adolescentes e suas famílias.
Número de vezes que este texto foi lido: 33917


Outros títulos do mesmo autor

Artigos EU E O MUNDO teresa armando elios da silva
Artigos SISTEMA PRISIONAL teresa armando elios da silva
Artigos Orgulho ou tendências? teresa armando elios da silva
Artigos REFLEXÕES teresa armando elios da silva
Artigos ALCOOLISMO E SEUS REFLEXOS teresa armando elios da silva
Artigos LIBERDADEXAUTOCONHECIMENTO teresa armando elios da silva
Artigos AMAMOS A NOSSA FAMÍLIA? teresa armando elios da silva
Artigos IMPLOSÃO MENTAL teresa armando elios da silva
Artigos SEPARAÇÃO RESOLVE? teresa armando elios da silva
Artigos CASA TRANSITÓRIA teresa armando elios da silva

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última

Publicações de número 11 até 20 de um total de 22.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2021
 
  Textos mais lidos
LÍRIO - Alexsandre Soares de Lima 48069 Visitas
Guerra suja - Roberto Queiroz 47678 Visitas
A PRAIA DO PROGRESSO - Rosângela Barbosa de Souza 47368 Visitas
A tristeza no Nordeste - Wanessa Daiana de Brito 47243 Visitas
IHVH (IAHUAH) e ISV (IASHUA) - Gileno Correia dos Santos 46683 Visitas
Um dia serei algo - José Rony de Andrade Alves 46166 Visitas
Tempo - Luiz Fernando Sacramento Lusoli 45946 Visitas
Pou, a Majestade Não-Zoombi - Alice Silva 45735 Visitas
Conexão - Luca Schneersohn 45632 Visitas
Amanhã não saio fico em casa - Martinho do Rio 42533 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última