Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
APELIDOS ESPIRITUAIS
Apelidos espirituais
Henrique Pompilio de Araujo

Resumo:
Antenor queria se melhorar e para isto procurou diversas religiões, mas era cada uma pior que a outra. Por isto entrou no espiritismo e lá mandaram ele estudar e deu certo.

APELIDOS ESPIRITUAIS

     Antenor de repente resolveu se tornar espírita. Era a religião das religiões. Ela já tinha passado por tudo: católico e evangélico. Ninguém lhe deu as respostas de que tanto ele precisava para saber para onde ir quando saísse desta vida.

     Antenor tinha um problema sério. No espiritismo todos precisam estudar muito e praticar a caridade. Antenor era muito caridoso, mas para estudar era uma lástima. Ele fugiu da escola quando tinha 9 anos de idade. Segundo ele, nada entrava em sua cabeça, sofria muitas dores e não decorava nada. Era só pegar um livro para a dor de cabeça chegar. Então ele deixou de estudar e foi trabalhar. Trabalhava muito. Foi quando foi tapeado numa igreja e disseram a ele que quando ele morresse iria para o inferno que a única salvação era se tornar membro desta religião. Então ele começou a professar a tal religião e logo viu que aquilo era só tapeação, pois ele tinha que pagar um tal de dízimo e era alto, 10% de tudo o que ele tinha. Resolveu sair e foi para outra religião e lá descobriu que era a mesma coisa. Eles só queriam o seu dinheiro.

     Foi para o espiritismo e lá não exigiam nada de dinheiro, mas ele tinha que estudar muito e praticar sempre a caridade. Caridade ele fazia muito, mas estudar.

     Então ele teve uma ideia. Começou a dar o nome das coisas com termos espíritas e assim ele conseguia gravar melhor as coisas. Antenor morava num sítio e tinha muitos animais e resolveu dar um apelido a cada animal. Assim ele guardaria todos os termos espíritas.

     O presidente do centro resolveu visitá-lo num determinado dia e lá foi ele ver o novo seguidor. Chegando lá foi recebido pelos cachorros do Antenor que saiu de casa gritando com os animais?

     - Moisés, já pra dentro. Jesus não morda o homem. Kardec, fique quieto não vê que é um amigo que está chegando.

     O presidente ficou encabulado com aquilo e perguntou a Antenor?

     - Por que deu o nome de pessoas a estes animais?

     - Não é nome de pessoas, mas os seguidores de Deus. Assim num cachorro dei o nome de Moisés, que significa primeira revelação, no outro dei o nome de Jesus que significa segunda revelação e no terceiro dei o nome de Kardec que significa 3ª. revelação.

     - Que bom disse o presidente. Muito criativo de sua parte. E os outros nomes dos termos espíritas que temos?

     - Já dei os nomes dos termos espíritas a muitas coisas, mas ainda estou renomeando todos. Até o fim do ano eu termino esta tarefa.

     - E as leis espirituais?

     - Também. Assim para a lei do trabalho eu nomeei a enxada, para a lei do amor nomeei meu casal de gêmeos, para a justiça nomeei minha espingarda.

     - Espingarda? Mas não é muito forte?

     - Não senhor. Aqui no sertão a gente chama a polícia e o juiz para resolver os problemas, mas se não resolver a gente usa da espingarda. Fique tranquilo só faço uso deste instrumento em último caso.

     - E para a caridade o que você usa?

     - Ah! Neste caso eu dei o nome de pão.

     - É um nome bastante criativo, representa bem a caridade.

     Estava tudo nos conformes conforme o entendimento de Antenor, mas um termo o presidente não concordou.

     - É para a lei de reprodução, o que você usou?

     - Ah! Neste caso dei o nome de pinto.

     - Pinto? Mas não é muito estranho.

     - Não senhor. Nossas galinhas reproduzem muito bem. Todas elas botam muitos ovos e criam muitos pintos. Nada melhor que dar o nome de pinto a lei da reprodução. Aliás é muito criativo.

     O presidente não teve como duvidar. Saiu dali satisfeito por Antenor ser muito caprichoso em seu trabalho e estudo. Oxalá outras pessoas seguissem o exemplo dele.


Biografia:
Henrique Pompilio de Araújo, nascido em Campo Mourão PR e radicado em Cuiabá MT. Começou a escrever desde cedo. Professor aposentado, bacharel em Direito e Teologia. Trabalhou em diversas escolas em Cuiabá e alguns jornais do Estado. Publicou sua primeira obra em 1977: Secos & Molhados - Poemas. Ultimamente publicou outros livros: "Flores do Além" Poemas, "Contos da Espiritualidade" - Contos, "Nas curvas da vida" Memórias, "Cinquenta contos" Contos. Há muitas obras ainda esperando edição.
Número de vezes que este texto foi lido: 54852


Outros títulos do mesmo autor

Ensaios COMO VIVER MAIS DE CEM ANOS Henrique Pompilio de Araujo
Ensaios COLÔNIA DAS ÁGUAS Henrique Pompilio de Araujo
Ensaios CIÊNCIAS OCULTAS Henrique Pompilio de Araujo
Ensaios CIDADES UMBRALINAS Henrique Pompilio de Araujo
Ensaios Chico deu continuidade às obras de Kardec Henrique Pompilio de Araujo
Ensaios AVISO DOS PLEIADIANOS Henrique Pompilio de Araujo
Ensaios Almas gêmeas, existem ou não existem? Henrique Pompilio de Araujo
Ensaios A minha missão na terra Henrique Pompilio de Araujo
Poesias A escuridão é poderosissima Henrique Pompilio de Araujo
Poesias Energia dos Espíritos Henrique Pompilio de Araujo

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 62.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
Minicurso sobre a redação no ENEM - Isadora Welzel 79716 Visitas
URBE - Darwin Ferraretto 59535 Visitas
81 anos da prisão e morte dos Rosas Brancas - Vander Roberto 55450 Visitas
QUE SE... - orivaldo grandizoli 55364 Visitas
Lançamento do livro - Alberto Kopittke 55341 Visitas
Nua, totalmente indefesa - rodrigo ribeiro 55307 Visitas
A FARSA DA USURA - fabio espirito santo 55282 Visitas
amor feito desejo... - natalia nuno 55241 Visitas
A Magia dos Poemas - Sérgio Simka 55217 Visitas
O Senhor dos Sonhos - Sérgio Vale 55207 Visitas

Páginas: Próxima Última