Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Preview: Distante do Céu
Caliel Alves dos Santos

Resumo:
Meu mais novo livro publicado na plataforma Amazon, anjos e demônios num cenário pós-apocalíptico lutando pela supremacia da Terra.

Eles brigavam constantemente. Mas naquele momento, os ânimos estavam bastante exaltados. O rapaz pegou o capacete no sofá da sala e saiu pela porta da frente fazendo estardalhaço. Ela não se deu por vencida, veio atrás dele, gritando como uma louca. O jovem não parecia interessado, subiu na motocicleta e deu ignição, acelerou-a tentando silenciar os gritos da mãe, a mulher já chorava. Ela enfiou a mão no guidom e retirou a chave. O estapeou com força no rosto. Plaft! O som fez um eco seco no ar. O garoto ficou olhando para o horizonte. Ela pôs as mãos no rosto. Se sentiu envergonhada, os vizinhos a tudo assistiam pelas persianas das janelas.
     — Se você se importasse só um pouquinho com seu futuro, não arriscaria a vida numa moto! — bradou ela.
     — Eu não pedi pra nascer caso você não saiba — retrucou ele. — Eu não tenho culpa se eu sofri aborto paternal.
     — Já conversamos sobre isso, seu pai não pôde ficar aqui...
     — Não me importa! — disse ele furioso. — A senhora nunca fala dele, só diz que ele nos abandonou para nos proteger. Que tipo de pai abandona a família pra protegê-la, mãe? A senhora todos os dias dobra o joelho no chão chamando por Deus, aonde é que ele está que não vê o nosso sofrimento?
     — Eu não sei mais o que fazer com você Arthuriel — disse alisando as têmporas. — Você sai com essa moto por aí, sem carteira de habilitação. Pode ser preso!
     Ele continuou com o rosto virado. A mãe tomou o seu rosto nas mãos, o jovem rangia os dentes. Estava furioso.
     — Nós precisamos de dinheiro, né mãe!?
     — Mas não dessa forma garoto? — retrucou ela. — Você é mais importante do que a casa. Saía dessa vida de malocagem e arrume logo um emprego, se tornar alguém decente, quem sabe até estudar, não quero que você se torne alguém como...
     — Como o papai? — perguntou ele com alguma esperança. — Porque a senhora nunca fala dele, hein mãe? Qual o mistério? Porque é que ele abandonou a gente?
     — Eu... snif-snif. — Ela não conteve as lágrimas. Toda vez que tocavam nesse assunto, havia mais briga e choro do que respostas.
     — Quer saber? Tô cansado disso, coroa. Cansado, ouviu!
     A mulher pôs a mão na boca tentando parar a torrente de choro, caminhou apressada em direção à casa. O vizinho da porta da frente meneou a cabeça e disse:
     — Não se sente envergonhado de fazer isso com sua mãe, Arthuriel?
     — Vá se lascar, velho! — respondeu irritado.
     Num movimento rápido, deu partida na moto e avançou deixando a mãe para trás. O garoto olhava a mulher em soluços pelo retrovisor. Os moradores desviaram quando ele passou velozmente. Era tido como o típico garoto problema na vizinhança. Sua mãe o definia muito bem: arrogante, egoísta e individualista. Por sua vez, o rapaz não se importava. Odiava a tudo e a todos. Se não fosse a exceção do amor que nutria àquela mulher, a seu modo, ele já teria dado o fora. Uma estranha sensação de piedade e necessidade de retribuição o prendia àquela casa minúscula num bairro pobre de sua cidade natal.
     Só havia uma coisa que o fazia se sentir bem. Mesmo arriscando a vida, era uma maneira de levantar uma grana e aumentar a dose de adrenalina in natura. Arthuriel unia o útil ao agradável. Todas as noites, ele pegava a moto e ia para a Death Line. Era o mais perigoso racha de motos da região. Ele participava de todas as edições. O adolescente de 17 anos era um famoso corredor...

Continua

Se você gostou do que leu, então vai querer ler o resto!
Distante do Céu é um conto de fantasia e pós-apocalipse onde anjos de demônios lutam pela supremacia da Terra. Acesse o link e descubra como adquirir o seu e-book:

https://www.amazon.com.br/Distante-do-C%C3%A9u-Caliel-Alves-ebook/dp/B085JWC8NY/


Biografia:
Comecou a escrever depois de um concurso em sala de aula. Dois anos depois ele publicou seu primeiro livro.
Número de vezes que este texto foi lido: 550


Outros títulos do mesmo autor

Resenhas Explorar é preciso! Viver? Nem tanto... Caliel Alves dos Santos
Resenhas Floresceram poemas no quintal Caliel Alves dos Santos
Resenhas O espírito ainda anda Caliel Alves dos Santos
Artigos A história até a História Caliel Alves dos Santos
Resenhas A paixão como eterno crime culposo Caliel Alves dos Santos
Resenhas Os sonhos não acabam Caliel Alves dos Santos
Resenhas Uma mão sempre arruma uma boa luva Caliel Alves dos Santos
Resenhas Bem-vindo ao Mundo Fantástico Caliel Alves dos Santos
Resenhas Literatura eletrizante! Caliel Alves dos Santos
Resenhas Eternas aventuras de meninos Caliel Alves dos Santos

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última

Publicações de número 11 até 20 de um total de 95.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
TOMO TUDO - sigmar montemor 35969 Visitas
Faça alguém feliz - 35774 Visitas
Lamento - FERNANDO 35754 Visitas
Vivo com.. - 35168 Visitas
Parabéns, Daniel Dantas! - Carlos Rogério Lima da Mota 35066 Visitas
MANCHETE DE JORNAL - sigmar montemor 34885 Visitas
eu sei quem sou - 34071 Visitas
camaro amarelo - 33970 Visitas
MENINA - 33855 Visitas
sei quem sou? - 33830 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última