Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
BELINHA E O CHAPÉU COR-DE- ROSA
Saulo Piva Romero

HOUVE UM TEMPO EM QUE BELINHA FOI MORAR COM A SUA AVÓ, POIS, ELA HAVIA FICADO MUITO ABALADA DEPOIS QUE A SUA MÃE FOI VIVER NO CÉU.
DESDE QUE A MENINA CHEGOU AO SÍTIO DA AVÓ, ELA PASSAVA OS DIAS, DEBRUÇADA NA JANELA COM OS OLHOS MAREJADOS DE LÁGRIMAS E COM UM NÓ NA GARGANTA PENSANDO NA SUA QUERIDA MAMÃE.
VÓ MARGARIDA SENTIA MUITA PENA AO VER O ESTADO EM QUE BELINHA SE ENCONTRAVA DEPOIS QUE A MÃE HAVIA PARTIDO.
ENTÃO DONA MARGARIDA TEVE UMA IDEIA PARA ALIVIAR O SOFRIMENTO DA SUA NETINHA.
ELA DECIDIU CRIAR UMA ROUPA NOVA PARA BELINHA COM A AJUDA DE A SUA VELHA MÁQUINA DE COSTURAR.
DONA MARGARIDA SABIA QUE BELINHA GOSTAVA DE ROUPAS COR DE ROSA DESDE PEQUENA E QUE TAMBÉM ERA APAIXONADA POR CHAPEÚS.
ASSIM DONA MARGARIDA FICOU TRABALHANDO NA CONFECÇÃO DA NOVA ROUPINHA DA NETA.
ELA FEZ UMA LINDA SAIA COM UM BABADO NA BARRA E UMA BLUSINHA BEM JUSTINHA E ASSIM ACRESCENTOU UM ENORME CHAPÉU COM UMA TIRA VERDE COM DUAS ROSAS PRESAS NA SUA ABA.
DONA MARGARIDA AINDA CRIOU LAÇOS COR- DE- ROSAS PARA ENFEITAR OS LONGOS CABELOS DE BELINHA.
ELA AINDA NÃO ESTAVA SATISFEITA, POIS PRECISAVA CRIAR ALGO QUE DESSE UM CHARME A MAIS NA ROUPINHA DELA.
ASSIM DECIDIU CRIAR TAMBÉM UMA BOLSINHA A TIRA A TIRACOLA E PARA COMPLETAR COMPROU UM PAR DE MEIAS E UM PAR DE BOTINHAS COR- DE ROSA.
NO DIA SEGUINTE, VÓ MARGARIDA ENTREGOU O PRESENTE PARA BELINHA QUE RAPIDAMEMTE ENXUGOU AS LÁGRIMAS QUE TEIMAVAM EM ROLAR PELO SEU ROSTO E CORREU NA DIREÇÃO DA AVÓ PARA ABRAÇA-LA.
PASSADOS ALGUNS MINUTOS, BELINHA FOI PARA O SEU QUARTO E EXPERIMENTOU A ROUPA QUE A VÔ MARGARIDA TINHA CONFECCIONADO PARA ELA COM MUITO AMOR.
BELINHA FOI SE VER NO ESPELHO E LOGO SE SENTIU UMA PRINCESA TODA VESTIDA DE COR- DE- ROSA, POIS, ELA ESTAVA DESLUMBRANTE QUE ATE A LILICA REPILICA SE A VISSE SENTIRIA UMA PONTINHA DE INVEJA.
AO VESTIR AQUELA ROUPA QUE A AVÓ TINHA CRIADO ESPECIALMENTE PARA ELA, BELINHA RECEPEROU A ALEGRIA DE VIVER VOLTANDO A SER AQUELA MENINA ALEGRE, ESPERTA E BRINCALHONA QUE SEMPRE ERA ANTES DA PARTIDA DA MÃE.
QUANDO BELINHA SAIU DO QUARTO, ELA AGRADECEU A AVÓ PELO LINDO PRESENTE E CONFESSOU TAMBÉM QUE QUANDO CRESCESSE SE TORNARIA DETETIVE PARA QUE PUDESSE DESVENDAR MISTERIOSOS CASOS.
DEPOIS DE TOMAR UM DELICIOSO CAFÉ DA MANHÃ NA COMPANHIA DA VÓ MARGARIDA, BELINHA SAIU PARA BRINCAR NO POMAR E TAMBÉM CONVERSAR COM OS BICHINHOS QUE CIRCULAVAM NO EXTENSO GRAMADO DAQUELE HUMILDE E ACONCHEGANTE SITIOZINHO QUE FICAVA AS MARGEM DO RIO PIRACICABA.
BELINHA CAÇOU BORBOLETAS ADMIROU AS ABELHAS BEIJANDO AS FLORES TIROU LEITE DA VAQUINHA DEU MILHO PARA AS GALINHAS E DISPUTOU UMA CORRIDA COM O VELHO LAFAIETE, O CACHORO DE ESTIMAÇÃO DA VÓ MARGARIDA.
ELA HAVIA PERDIDO MUITO ENERGIA E LOGO COMEÇOU A SENTIR UM CANSAÇO DEVIDO A GRANDE AGITAÇÃO QUE HAVIA PASSADO.
ENTÃO BELINHA SE SENTOU DEBAIXO DE UM PÉ DE LARANJA LIMA E RECOSTOU A SUA CABEÇA NO SEU TRONCO.
ASSIM ELA PEGOU NO SONO E QUANDO SE DEU CONTA JÁ NÃO SE ENCONTRAVA MAIS NO POMAR DO SÍTIO.
ELA ESTAVA NUMA FLORESTA DESCONHECIDA E COMPLETAMENTE ESCURA SEM NENHUM SINAL DE CLARIDADE.
ENTÃO BELINHA DEPOIS DE CAMINHAR MUITAS HORAS SEM PARAR FINALMENTE AVISTOU UM MENINO QUE TINHA MAIS OU MENOS A IDADE DELA.
QUANDO O MENINO A VIU, LOGO FOI SE APRESENTANDO:
- SEJA BEM- VINDA A FLORESTA DOS DUENDES! – EU SOU O CHIQUINHO POLEGAR.
A MENINA ENTÃO RESPONDEU:
- EU SOU A BELINHA DO CHAPÉU COR-DE-ROSA.
ASSIM QUE BELINHA SE APRESENTOU, O DUENDE FICOU OLHANDO PARA O ENORME CHAPÉU COR- DE- ROSA QUE NÃO PARAVA DE SE MOVER DE UM LADO PARA O OUTRO.
ENTÃO O DUENDE NÃO AGUENTANDO A CURIOSIDADE E FOI TENTAR PUXAR O CHAPÉU COR-DE ROSA DA CABEÇA DA MENINA.
ENTÃO BELINHA DISSE:
- NÃO SE ATREVA A TOCAR NO MEU CHAPEUZINHO COR – DE- ROSA.
ENTÃO O DUENDE SE CURVOU DIANTE DE BELINHA E DISSE:
- VOCÊ DEVE SER A FADA QUE VEIO NOS LIBERTAR DAS GARRAS DO REI DOS ELFOS!
BELINHA NÃO ESTAVA ENTENDO O RUMO DAQUELA CONVERSA, MAS COMO ERA UMA BRINCALHONA, RESOLVEU DAR CORDA PARA O DUENDE.
- SIM. EU SOU A SUA SALVADORA!
ENTÃO O DUENDE LEVOU BELINHA ATÉ O CASTELO DO REI DOS DUENDES.
CHEGANDO LÁ BELINHA FOI ENTRANDO SEM A MENOR CERIMÔNIA E LOGO FOI AVISTADA PELO REI DO ELFOS QUE A ENCAROU E DISSE:
- QUEM SE ATREVE A ABRIR AS PORTAS DO MEU CASTELO?
BELINHA, ENTÃO RESPONDE:
EU, A FADA DO CHAPÉU COR- DE- ROSA!
ENTÃO O REI DOS ELFOS PERCEBENDO QUE O ENORME CHAPÉU DA MENINA COMEÇA A SE MOVER PARA CÁ E PARA LÁ, VOLTA PARA O SEU TRONO.
ENTÃO BELINHA ESTUFA O PEITO E DIZ:
- NA CONDIÇÃO DE RAINHA DAS FADAS, EU ORDENO QUE LIBERTE TODOS OS DUENDES DESSA FLORESTA, SENÃO VOCÊ SENTIRÁ O PESO DO MEU PODEROSO CHAPÉU COR-DE ROSA.
ASSIM O MEDROSO REI DOS ELFOS NÃO QUERENDO PAGAR PARA VER O QUE TINHA DENTRO DO ENORME CHAPÉU DE BELINHA, DA ORDEM PARA QUE TODOS OS DUENDES SEJA LIBERTADOS.
ENTÃO ASSIM QUE CHIQUINHO POLEGAR E O SEU POVO DEIXA O CASTELO, BELINHA CANTA E RI AO MESMO TEMPO CAÇOANDO DA CARA DO MEDROSO REI DO ELFOS.
- EU ENGANEI UM BOBO NA CASCA DO OVO E SALVEI UM POVO!
BELINHA, ENTÃO RETIROU O ENORME CHAPÉU COR-DE ROSA DA SUA CABEÇA E DE LÁ SAIU UM FELPUDO COELHO BRANCO PULANDO DIRETO NA CARA DO INCRÉDULO REI DOS ELFOS QUE FURIOSO ORDENOU QUE A SUA GUARDA REAL PRENDESSE A ESPERTA E BRINCALHONA MENINA.
 ENTÃO ASSIM QUE OS GUARDAS ALCANÇARAM A VALENTE BELINHA, ELA DESPERTOU DEPOIS DE UMA LONGA SONECA DEBAIXO DO PÉ DE LARANJA LIMA E AINDA OFEGANTE E AGITADA PERCEBEU QUE TUDO HAVIA SIDO APENAS UM SONHO, POIS, ESCUTAVA A VÓ MARGARIDA LHE CHAMANDO PARA QUE FOSSE ALMOÇAR.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


Biografia:
Saulo Piva Romero, professor de Língua Portuguesa e Poeta, 49 anos. Nasceu em São Paulo no dia 9 de março de 1972. Começou a escrever poesias aos 18 anos. É formado em Letras pelas Faculdades Associadas do Ipiranga com Licenciatura Plena em Língua Portuguesa, Inglesa e Literatura.Em 2000 publicou seu primeiro livro Vida, amor e esperança.
Número de vezes que este texto foi lido: 47374


Outros títulos do mesmo autor

Contos INDIRA E A ELEFOA Saulo Piva Romero
Contos A ILHA DAS GAIVOTAS Saulo Piva Romero
Poesias O VULCÃO DE PERUÍBE Saulo Piva Romero
Contos O BAILE DA PRIMAVERA Saulo Piva Romero
Contos A COROA DO IMPERADOR Saulo Piva Romero
Contos A VACA FOI PARA O BREJO Saulo Piva Romero
Contos BELINHA E O CHAPÉU COR-DE- ROSA Saulo Piva Romero
Contos A BRUXA QUE SE TRANSFORMAVA EM PRINCESA Saulo Piva Romero
Contos O CASAMENTO DA FILHA DO SOL E DA LUA Saulo Piva Romero
Contos O SONHO DO CAÇADOR Saulo Piva Romero

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 305.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2021
 
  Textos mais lidos
O cocheiro - Onihara 50092 Visitas
Na caminhada do amor e da caridade - Rosângela Barbosa de Souza 50065 Visitas
La senda de las flores oblicuas - Eva Feld 50027 Visitas
Minha namorada - Jose Andrade de Souza 50004 Visitas
Reencontro - Jose Andrade de Souza 49996 Visitas
Entrevista com Larissa Gomes – autora de Cidadolls - Caliel Alves dos Santos 49798 Visitas
Caçando demónios por aí - Caliel Alves dos Santos 49796 Visitas
saudades de chorar - Rônaldy Lemos 49779 Visitas
NÃO FIQUE - Gabriel Groke 49755 Visitas
IHVH (IAHUAH) e ISV (IASHUA) - Gileno Correia dos Santos 49719 Visitas

Páginas: Próxima Última