Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
HISTÓRIA ELETRIZANTE
História Eletrizante
Henrique Pompilio de Araujo

Resumo:
Alguém conhece um peixinho que dá choques? Eu não conhecia e fiquei horrorizado com o que aconteceu certa vez.

HISTÓRIA ELETRIZANTE

          - Atenção, muita atenção! Senhores e senhoras! Hoje, somente hoje nesta praça, a banha do peixe elétrico. Um complexo poderoso para doenças. Um composto que acaba com tudo: sarna, sarampo, coceira, erisipela, furúnculos, reumatismo, ferida, tontura, dor de cabeça, fraqueza, dor na bexiga, nos rins, no útero, na próstata etc, etc.

          O homem da cobra acabara de chegar em Nortelândia. A gurizada toda animada, começou a chegar perto. Eu, como era guri, tinha já marcado o meu lugar de curioso. Guri é assim mesmo, não compra nada, mas é o primeiro a chegar, marcar o lugar e ficar enchendo o saco.

          - É isso aí mesmo, pessoal - gritava o homem da cobra - vamos se achegando e marcando o seu lugarzinho. Você vai ver coisas fantásticas, coisas de outro mundo. Coisas de que você jamais viu e vai ver. Um peixe diferente... - Epa! Não é mais cobra? - Pensei eu. Já virou peixe. E ele continuava: - um peixe diferente dos outros. Um peixe milagroso.

          Eu nunca tinha visto falar em peixe elétrico. Era a primeira vez que ouvia aquilo e ele continuava:

          - Basta a senhora passar um pouquinho de banha do peixe elétrico que sua doença será imediatamente curada.

          Conversa fiada - pensava eu. Há doenças que os médicos passam anos e não conseguem curar, imaginem se curar com uma banha de peixe um peixinho deste.

          Procurei muito ver o dito peixinho. Estava escondido numa caixa. Eu só conseguia ver frascos de remédios, ou supostos remédios.

          O homem falava, falava, falava, mas não estava conseguindo vender nada.

          - Um custa 3 e dois custam apenas 5 reais -dizia o homem. Comprando 3 a senhora leva um de graça. Se o senhor ou a senhora comprar dois, tem direito a levar um choquinho de graça.

          Só então ele abriu a tampa da caixa de ferro. Era uma caixa cheia de água. Cheguei mais perto e vi um peixinho pequeno como se fosse uma cobra, nadando na água.

          Mentira desgraçada - pensei - um peixinho deste tamanho vai dar choque em ninguém. História pra boi dormir. Esses homens da cobra, aliás do peixe, só faltam assaltar a gente por aí. Um peixinho daquele tamanho! Sou capaz de pegar meia dúzia em cada mão.

        - Olha aí, meus senhores, vamos comprar o remédio milagroso. Tão milagroso como o peixe elétrico. Está barato, muito barato. Quem comprar 2 tem o direito de levar um choquinho, comprando 3 leva dois choquinhos.

          Daí a pouco ele começou a vender os produtos, mas as pessoas meio ressabiadas compravam somente um. Ou com medo de não curar nada ou com medo de gastar o dinheiro à toa.

          Eu, doido pra ver alguém levar um choquinho daquele peixinho pra ver se era mesmo de verdade.

          Mais tarde um sujeitão forte comprou logo três frasquinhos e fazia questão de levar os dois choquinhos.

          Fiquei todo curioso, até que enfim eu ia ver o peixinho elétrico de mentira funcionar.

        O homem da cobra ajeitou o senhor bem no centro da roda, perto da caixa do peixe, pegou os dois plugues, colocou-os entre os dois braços do sujeito e pediu que ele fechasse os braços.

        Eu não perdia um detalhe do evento, agora eu ia desmascarar aquele safado do homem da cobra. Peixe elétrico...

        O homem ficou com os dois braços fechados e com os fios entre eles. As outras pontas do fio estavam no chão, enquanto o homem fazia sua propaganda.

        - Agora, meus senhores e senhoras, vou demonstrar a validade da banha do peixe elétrico. Este senhor comprou três frascos do remédio e merece levar os dois choquinhos. Observem bem, senhores e senhoras, a força deste peixinho.

        Pegou os fios, olhou bem para o homem, olhou para o peixe.

        O comprador olhava o peixe e parecia ter lá suas dúvidas. Estava calmo e parado, esperando o momento de receber o choquinho.

        De repente o homem da cobra ligou os dois fios no peixe.

        Truumm...O homem deu um solavanco, um pulo enorme, esbugalhou os olhos, soltou os fios, correu a uns dois metros do peixe, bufava e berrava:

        - Caramba! Isto lá é um choquinho? Isto é uma usina elétrica.

        O homem da cobra não se deu por achado e continuou:

        - A banha do peixe elétrico cura sarna, sarampo, mau olhado etc. Quem comprar três frasquinhos tem direito a levar dois choquinhos do peixe. Aquele senhor ali comprou 3, já levou um choquinho, tem direito a levar outro de graça. É um brinde da casa. Por favor, senhor, pode se achegar aqui de novo.

        - Se achegar aí?...Lá vou eu levar mais um choque desta bomba atômica nada.

        - O senhor tem o direito de levar outro choquinho de 150 volts, por favor, moço, venha tomá-lo de graça.

        - Quem vai tomar é a mãe, eu não.

        Saiu dali pisando duro e se mandou.

        Eu fiquei lá mais um pouco vendo se mais alguém iria se danar ali, mas não apareceu mais ninguém disposto.

        E eu, que pegava meia dúzia em cada mão, fui saindo de fininho, sem nem triscar em um peixinho, quanto mais pegar seis.

                                             


Biografia:
Henrique Pompilio de Araújo, nascido em Campo Mourão PR e radicado em Cuiabá MT. Começou a escrever desde cedo. Professor aposentado, bacharel em Direito e Teologia. Trabalhou em diversas escolas em Cuiabá e alguns jornais do Estado. Publicou sua primeira obra em 1977: Secos & Molhados - Poemas. Ultimamente publicou outros livros: "Flores do Além" Poemas, "Contos da Espiritualidade" - Contos, "Nas curvas da vida" Memórias, "Cinquenta contos" Contos. Há muitas obras ainda esperando edição.
Número de vezes que este texto foi lido: 54843


Outros títulos do mesmo autor

Ensaios COMO VIVER MAIS DE CEM ANOS Henrique Pompilio de Araujo
Ensaios COLÔNIA DAS ÁGUAS Henrique Pompilio de Araujo
Ensaios CIÊNCIAS OCULTAS Henrique Pompilio de Araujo
Ensaios CIDADES UMBRALINAS Henrique Pompilio de Araujo
Ensaios Chico deu continuidade às obras de Kardec Henrique Pompilio de Araujo
Ensaios AVISO DOS PLEIADIANOS Henrique Pompilio de Araujo
Ensaios Almas gêmeas, existem ou não existem? Henrique Pompilio de Araujo
Ensaios A minha missão na terra Henrique Pompilio de Araujo
Poesias A escuridão é poderosissima Henrique Pompilio de Araujo
Poesias Energia dos Espíritos Henrique Pompilio de Araujo

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 62.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
Minicurso sobre a redação no ENEM - Isadora Welzel 79716 Visitas
URBE - Darwin Ferraretto 59535 Visitas
81 anos da prisão e morte dos Rosas Brancas - Vander Roberto 55450 Visitas
QUE SE... - orivaldo grandizoli 55364 Visitas
Lançamento do livro - Alberto Kopittke 55341 Visitas
Nua, totalmente indefesa - rodrigo ribeiro 55307 Visitas
A FARSA DA USURA - fabio espirito santo 55282 Visitas
amor feito desejo... - natalia nuno 55241 Visitas
A Magia dos Poemas - Sérgio Simka 55217 Visitas
O Senhor dos Sonhos - Sérgio Vale 55207 Visitas

Páginas: Próxima Última