Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Ó meu presépio
Matilde Diesel Borille

A vida pode ser nívea,
e envolta em panos,
e colocada numa caverna.
Não, a luz do sol não foi.
Foi o betume da judéia
que ajudou a envelhecer
o santo abrigo de madeira.
O tempo passa, não passa?
Dois mil anos, um pouco mais.
A hora é a do bater do sino,
não do relógio nem da torre,
o da canção, o pequenino,
o que em luz pede Paz na Terra.
E leva-me à uma reza que implora,
Sol de Deus, por favor, não vá agora,
haverá Natal com presépio,
na entrada da vila onde vivo.
E nenhum cobertor de nuvens,
nessa noite poética de paz,
será capaz de do alto descer,
e feito manta de criança santa,
envolver o “Deus em mim",
o "Emannuel”, o chamado Cristo,
o Messias prometido,
O Jesus de Nazaré,
Jesus, o nazareno,
Jesus, o filho do carpinteiro,
Jesus, o filho de José,
Jesus, o humilde,
que pobre se fez,
por amor de todos,
e acessível aqui está,
nesse lugar singular,
construído sem barreiras,
para que ricos e pobres,
com amor e fé no coração,
possam vir adorá-lo.


Biografia:

Este texto é administrado por: MATILDE DIESEL BORILLE
Número de vezes que este texto foi lido: 183


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Bons solos Matilde Diesel Borille
Poesias Elos infinitos Matilde Diesel Borille
Poesias Pão para os outros Matilde Diesel Borille
Poesias Ó meu presépio Matilde Diesel Borille
Poesias Vida Matilde Diesel Borille
Poesias Um pouquinho além Matilde Diesel Borille
Poesias À beira da lareira Matilde Diesel Borille
Poesias Amanhã Matilde Diesel Borille
Poesias Junto de Deus Matilde Diesel Borille
Poesias Migalhas de doçura Matilde Diesel Borille

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última

Publicações de número 11 até 20 de um total de 68.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
Vivo com.. - 33538 Visitas
CÉREBRO HUMANO - Tércio Sthal 32651 Visitas
eu sei quem sou - 32486 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 32416 Visitas
camaro amarelo - 32368 Visitas
sei quem sou? - 32313 Visitas
MENINA - 32221 Visitas
O que e um poema Sinetrico? - 32159 Visitas
A menina e o desenho - 32149 Visitas
viramundo vai a frança - 32146 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última