Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
caso a caso
4
paulo azambuja

Resumo:
livrão

Luis deixa Andóra a cuidar das plantas do jardim de inverno.
- Vai demorar?
- Não, vou aos bancos, colocarei o plano de Laura em andamento.
- Dará tudo certo.
- Tomara meu amor. O casal se beija, ele sai Ana vem com um copo de suco de limão, Andóra bebe.
- Nossa que delicia Ana.
- Fiz com limão siciliano.
- Amei.
- D. Andóra preciso lhe perguntar algo.
- Pois pergunte.
- Não me interprete mal, não é avanço meu...
- Diga Ana, pode falar.
- A situação esta tão ruim assim?
- Sabia que ia me perguntar, para sei que posso abrir ou melhor explicar.
- Sim srª.
- Temos ainda alguns valores, fique tranquila mas não podemos mais deixar estas crianças sem controle.
- Bem que eu pensei, eles são muito precavidos.
- Mas a situação também não é das melhores.
- Entendo.
- Por favor não fale nada a Cecília tampouco para João, este ai terei de usar mãos de ferro para com ele.
- Vocês sempre souberam cria-los mas eles tem a maneira deles de verem a vida.
- Até entendo mas Ana vamos combinar, não são mais criancinhas ao contrário são bem adultos e sem qualquer noção de controle e responsabilidade.
- bem isso é, Ana sai, Andóra fica pensativa e decide por continuar com a lida em suas floreiras.
Leonardo para o carro frente a casa ao ver Ana vai perguntando pelos patróes.
- Sr. Luis saiu e D. Andóra está no jardim de inverno.
- vou até lá.
- Tudo bem, sabe o caminho?
- Sim. Ele segue até onde Andóra está.
- D. Andóra.
- Leonardo que bom te ver.
- Nossa sempre moça.
- Você me deixa sem graça.
- Nada. Abraços, Andóra o leva em direção as cadeiras onde se acomodam tendo a proteção de um guarda sol.
- Bem D. Andóra vou ser direto.
- Diga Leonardo.
- Fiquei sabendo da situação financeira de vocês.
- Sim, não é segredo estamos passando por um momento tanto peculiar. Andóra não demonstra qualquer mudança ficando ao mesmo modo.
- Então o que sugere?
- Bem gostaria de falar com seu esposo, porém como ele não se encontra, quero fazer um proposta, uma oferta pela parte de vocês no shopping.
- Bom, Leonardo, o Luis é quem vê estas coisas de dinheiro, sabe que aquelas salas nos dão um bom lucro mensal.
22/09/2016
CASO A CASO É QUE VOCÊ ESTÁ LENDO, OBRIGADO

Luis deixa Andóra a cuidar das plantas do jardim de inverno.
- Vai demorar?
- Não, vou aos bancos, colocarei o plano de Laura em andamento.
- Dará tudo certo.
- Tomara meu amor. O casal se beija, ele sai Ana vem com um copo de suco de limão, Andóra bebe.
- Nossa que delicia Ana.
- Fiz com limão siciliano.
- Amei.
- D. Andóra preciso lhe perguntar algo.
- Pois pergunte.
- Não me interprete mal, não é avanço meu...
- Diga Ana, pode falar.
- A situação esta tão ruim assim?
- Sabia que ia me perguntar, para sei que posso abrir ou melhor explicar.
- Sim srª.
- Temos ainda alguns valores, fique tranquila mas não podemos mais deixar estas crianças sem controle.
- Bem que eu pensei, eles são muito precavidos.
- Mas a situação também não é das melhores.
- Entendo.
- Por favor não fale nada a Cecília tampouco para João, este ai terei de usar mãos de ferro para com ele.
- Vocês sempre souberam cria-los mas eles tem a maneira deles de verem a vida.
- Até entendo mas Ana vamos combinar, não são mais criancinhas ao contrário são bem adultos e sem qualquer noção de controle e responsabilidade.
- bem isso é, Ana sai, Andóra fica pensativa e decide por continuar com a lida em suas floreiras.
Leonardo para o carro frente a casa ao ver Ana vai perguntando pelos patróes.
- Sr. Luis saiu e D. Andóra está no jardim de inverno.
- vou até lá.
- Tudo bem, sabe o caminho?
- Sim. Ele segue até onde Andóra está.
- D. Andóra.
- Leonardo que bom te ver.
- Nossa sempre moça.
- Você me deixa sem graça.
- Nada. Abraços, Andóra o leva em direção as cadeiras onde se acomodam tendo a proteção de um guarda sol.
- Bem D. Andóra vou ser direto.
- Diga Leonardo.
- Fiquei sabendo da situação financeira de vocês.
- Sim, não é segredo estamos passando por um momento tanto peculiar. Andóra não demonstra qualquer mudança ficando ao mesmo modo.
- Então o que sugere?
- Bem gostaria de falar com seu esposo, porém como ele não se encontra, quero fazer um proposta, uma oferta pela parte de vocês no shopping.
- Bom, Leonardo, o Luis é quem vê estas coisas de dinheiro, sabe que aquelas salas nos dão um bom lucro mensal.
22/09/2016
CASO A CASO É QUE VOCÊ ESTÁ LENDO, OBRIGADO
- Claro que sim, pode ficar tranquila não faço uma proposta fora do valor de mercado.
- Bem é que...   Leonardo tira do bolso um envelope e entrega para Andóra.
- Aqui esta minha proposta, olhem com carinho e depois entrem em contato por favor.
- Tudo bem. Ele se despede logo deixando o lugar, Andóra após alguns minutos abre o envelope e dá um suspiro.
- Até que a proposta não é tão ruim assim.
Andressa aperta o interfone do prédio onde reside Augusto.
- Pois não?
- Gostaria de ir no apartamento do Sr. Augusto Conti.
- Só um instante.
- Tudo bem. Momentos após o portão é acionado liberando a entrada de Andressa e Margot.
Augusto abre a porta deixando as 2 entrarem, o deputado esta no sofá sorvendo goles de generoso wisky.
- Perdeu a vergonha de vez, o que faz aqui?
- Por favor deputado, me perdoe, já coloquei Giovanna para fora.
Augusto cruza os braços em pé atrás delas assistindo a conversa de Andressa e Margot com o deputado, Margot vez em quando olha para Augusto lambendo os lábios e mexendo no cabelo.
- Andressa, sabe que se eu quiser posso fechar aquele lugar de uma vez por todas?
- Sim eu sei, mas por favor Flávio.
- Não me chame pelo nome. O politico enraivece, Margot toma frente indo até ele olhando nos lhos começa a abrir a blusa, logo senta no colo dele e começa acariciar seus cabelos.
- Vagabunda.
- Sou, mais você me deseja, quis me trocar e viu no que deu.
- Faço o que eu quiser.
- Sim faz, mas vai fazer comigo. Margot levanta colocando as mãos do homem em sua cintura e inicia uma dança sensual, logo ele levanta do sofá levando-a para o quarto.
- Pelo jeito parece que tudo foi solucionado.
- Tomara Augusto, bem vou deixa-los, tenho algumas coisas para resolver.
Augusto segura a mão de Andressa puxando-a para si.
- Nossa Augusto o que você tem?
- Paixão por ti.
- Sabe que gosto de você, mas não posso e nem quero ter alguém.
- Mas eu te amo.
- Não é amor, parece mas não é.
- Então o que é?
- Uma mera paixão boemia.
- Como pode ter certeza disso?
- Sim eu tenho, ja tive desses sentimentos ha um bom tempo, olhe você é um homem que qualquer mulher quer.
- Mas você não me quer?
- Sim te quero, como amigo, cliente, mas entenda para algo mais não, sei o que digo você se arrependeria e me faria sofrer.
- Jamais.
- Sim, faria, sei que faria.
- Acho que você ainda não conseguiu tirar seu grande amor por Leonardo do seu coração.
- Isso já não existe ha anos.
- Será, dentro de ti existe e queima de forma latente.
- Não sei o que quer dizer.
- Ah sabe, por que a gente não deixa este impasse, vamos logo para meu quarto.
- Sim, como programa vamos.
- Deste jeito não quero. Andressa se afasta de Augusto, na porta joga beijo para ele.
- Também te amo, mas é um amor diferente, puro. Saindo, deixa Augusto a olhar para a porta que é fechada, senta no sofá, liga a tv, nisso toca seu celular.
- Oi, demorou, o que aconteceu, tudo bem, me espere em 10 minutos estarei ai. Ele pega as chaves e sai.
22/09/2016
CASO A CASO SUA HISTÓRIA NO BLOG, OBRIGADO POR LER

Num bar da periferia, Giovanna serve-se de mais um copo de cerveja, come alguns amendoins até que para um carro novo frente a mesa.
- Trouxe o material?
- Ei é desse jeito que trata sua sócia?
- Chega de tolices, trouxe o material?
- Claro, acha que seria louca de não trazer. Ela tira da bolsa um pendrive.
- Ja esta aqui, passei numa Lan e o rapaz colocou ai tudo certinho.
- Isso já veremos. Augusto volta para o carro logo traz a mesa um notebook, conecta o pendrive e em segundos começa a rodar o vídeo de Giovanna e Flávio o deputado toda as agressões foram gravadas.
- Ficou perfeito.
- Lógico, afinal eu sou a protagonista e olha que protagonista hein.
- Larga de ser idiota, tome o combinado. Ele dá para ela um certo valor que Giovanna confere ali na hora.
- Tem mais um probleminha.
- O que, o fato de Andressa ter colocado você na rua?
- Ja esta sabendo?
- Sim.
- Como?
- Andressa esteve no apartamento, levou Margot que ficou com o deputado.
- Vadia, tranqueira.
- Isso é o de menos, olhe faremos o seguinte, você vai ficar neste endereço por uns dias depois eu te ligo e trataremos a 2ª fase. Augusto anota o endereço entregando para ela.
- Por mim tudo ótimo, afinal ia ter que ficar num hotel pulgueiro.
- Tá não precisa me contar seus infortúnios onde esta suas coisas?
- Aqui no bar, chapa deixou eu guardar.
- Bem tome mais este dinheiro, ligue para um táxi e vá direto para este endereço.
- Tudo bem, gatinho. Augusto sai da mesa, vai ao balcão e coloca frente ao dono do lugar uma nota de 100 reais.
- Esta pago a mesa, obrigado. Sai dali sem olhar para Giovanna que termina a cerveja, faz uma ligação e pega suas coisas.
- Valeu colega, logo eu volto para tomar mais umas.
- Quando quiser. Em pouco tempo o táxi para e ela entra com sua bolsa e sacolão.
- Para onde senhora?
- senhorita, neste endereço.
Renata sai de uma loja no shopping na companhia de mais 2 colegas, andam pelo lugar vão a praça de alimentação e depois decidem andar mais um pouco até que uma das moças decide por entrar numa loja de calçados, escolhem sapatos, tênis, experimentam.
- Nossa são lindos.
- E até que estão em conta.
- Verdade.
Renata decide o que vai levar e junto com as colegas que também escolheram os seus vão para o caixa, ja de saída ela vê Leonardo entrando no estabelecimento.
- Minha nossa o que ele faz aqui?
- Sei lá vamos. Elas passam por ele que não perde o costume de dar uma olhadela conferindo as moças que soltam deliciosos sorrisos.
- Ainda morro disso.
- Mas por enquanto, não merreu, então vai atender os fornecedores que te esperam no escritório.
- Ah minha irmã sempre centrada esta de volta.
- Ja que não me deixa viver, decide te bloquear também.
- Ai irmãzinha eu amo essas mulheres.
- Sei, como eu sei, me lembre de logo alugar um apartamento só para mim.
- Nem pensar, quem vai cuidar de mim, do seu mano nos momentos dificeis?
- As tuas adoráveis mulheres da noite.
- Bem deixa eu ir atender estes fornecedores.
- Pois vá, mas antes limpe a baba que esta escorrendo. Ele sorri deixando Marcela a balançar a cabeça.
- Marcela, tem um freguês querendo aquele tênis que esta no lançamento mas não encontro o numero que ele quer.
- Vamos lá procurar. Marcela segue com a funcionária.
Andressa entra no banco e passa seu cartão num caixa eletrônico depois entra na agência indo para uma mesa de atendimento.
- Estou com problemas em meu cartão. O atendente pega seu cartão e inicia a consulta pelo computador.
- Só um instante.
- Tudo bem. Luis sai da sala do gerente indo em direção a Andressa.
- Olá Andressa.
- Oi Luis, retornou quando?
- Ja ha uns 3 dias.
- Que bom, espero que tenha vindo para ficar um bom tempo.
- Claro, desta vez vamos ficar alguns meses.
- Vamos?
- Sim, Andóra veio comigo.
- Dê lembranças minhas a ela.
- Só se for para ela me arrancar a cabeça. Andressa ri.
22/09/2016
VOCÊ ESTA LENDO CASO A CASO AQUI NO BLOG

Andressa sai dali com a situação bancária acertada, Luis entra no carro de longe vê ela seguir para uma lanchonete.
Andóra recebe o marido com flores na mão.
- Ora pra quem essas flores?
- Para o nosso amor, durar para sempre.
- Isso eu posso garantir.
- Te amo.
- Não mais que eu. Beijos e eles entram na casa.
- Antes que eu me esqueça venha comigo para o escritório.
- Estou gostando da idéia.
- Seu bobo.
DEntro do escritório, Andóra tira da gaveta o envelope entregando para Luis.
- O que é isso?
- Leonardo deixou. Luis abre e vê o valor ali escrito.
- Uma boa soma.
- Generosa ao meu ver.
- Ainda não entendi.
- Esta soma é o que ele quer pagar pela nossa parte no shopping.
- Não é tão ruim o que você acha?
22/09/2016
CASO A CASO SEU SUCESSO É AQUI





Biografia:
gosto de escrever
Número de vezes que este texto foi lido: 28774


Outros títulos do mesmo autor

Romance estrada de aço 20 novel livre 12anos paulo azambuja
Contos ESTRADA DE AÇO 19 NOVEL LIVRE 12 ANOS paulo azambuja
Contos ESTRADA DE AÇO 18 NOVEL LIVRE 12 ANOS paulo azambuja
Contos ESTRADA DE AÇO 17 NOVEL LIVRE 12 ANOS paulo azambuja
Contos ESTRADA DE AÇO 16 NOVEL LIVRE 12 ANOS paulo azambuja
Contos ESTRADA DE AÇO 15 NOVEL LIVRE 12 ANOS paulo azambuja
Contos ESTRADA DE AÇO 14 NOVEL LIVRE 12 ANOS paulo azambuja
Contos ESTRADA DE AÇO 13 NOVEL LIVRE 12 ANOS paulo azambuja
Poesias EDIVIRGENS E SUAS ATITUDES paulo azambuja
Contos ESTRADA DE AÇO 12 NOVEL LIVRE 12 ANOS paulo azambuja

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 166.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 69565 Visitas
A Arte De Se Apaixonar - André Henrique Silva 55953 Visitas
IHV (IAHU) e ISV (IASHUA) - Gileno Correia dos Santos 48863 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 44683 Visitas
Minha namorada - Jose Andrade de Souza 44324 Visitas
Reencontro - Jose Andrade de Souza 43942 Visitas
viramundo vai a frança - 43637 Visitas
Amor e Perdão - Amilton Maciel Monteiro 43348 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 41958 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 41581 Visitas

Páginas: Próxima Última