Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
SINESTESIA MONOCROMÁTICA
Caliel Alves dos Santos

Etimologicamente a palavra chrôma tem origem grega e significa o sinal que contém a informação referente às cores da imagem. Você já ouviu uma música e sentiu o cheiro do som? Ou quando leu um mangá, sentiu a batida perfeita de um hip-hop? Lendo o mangá criado pelo Washington (roteiro) e Erick (arte), (que chamarei de Irmãos Messias, Amén) você terá essa experiência.
    Essa dupla de cariocas conseguiu imprimir influências diversas e elementos de um bom B-Shonen. Cansado de ver mangá brasileiro ambientado no Japão e com aqueles nomes e termos japoneses? Seus problemas acabaram. De todos os trabalhos que li até agora, essa é o que tem a atmosfera mais brasilei-ra. José, Andrea, Diego de todo o Brasil estão aqui.
    Henry vive com seu pai Abrahan (numa favela, importante que se diga), eles gerem uma academia de gangues. O desmotivado protagonista volta de mais um dia da escola. Após fazer a apresentação do local a Candy, aluna de inter-câmbio (essa parte foi hilária), um grupo de ex-alunos pede para serem aceitos novamente na academia.
    Entre eles está o pequeno notável JC. Ele não está muito interessado nas aulas, na verdade, seu propósito é muito maior. As habilidades dos persona-gens têm relação com as cores. Não sei exatamente o sistema, mas cada cor no círculo cromático parece ter uma função diferente, com infinitas possibilida-des. Os Irmãos Messias conduzem a história com uma sinergia simbiótica.
    O título está aprovado! Espero poder ver no futuro mais do que o círculo cromático é capaz de fazer. JC roubou a cena do volume 1 (só suspeito para falar, adoro hip-hop), veja a luta dele ouvindo Battlecry do Nujabes. Para ad-quirir seu mangá acesse:

http://www.facebook.com/kromaquadrinho


Biografia:
Caliel Alves nasceu em Araçás/BA. Desde jovem se aventurou no mundo dos quadrinhos e mangás. Adora animes e coleciona quadrinhos nacionais de autores independentes. Começou escrevendo poemas e crônicas no Ensino Médio. Já escreveu contos, noveletas, resenhas e artigos publicados em plataformas na internet e em algumas revistas literárias. Desde 2019 vem participando de várias antologias como Leyendas mexicanas (Dark Books) e Insólito (Cavalo Café). Publicou o livro de poemas Poesias crocantes em e-book na Amazon.
Número de vezes que este texto foi lido: 47301


Outros títulos do mesmo autor

Resenhas Rosas cor de sangue Caliel Alves dos Santos
Resenhas A arma faz o bom soldado Caliel Alves dos Santos
Resenhas No inferno? Queime! Caliel Alves dos Santos
Ensaios Naruto e a pedagogia do oprimido Caliel Alves dos Santos
Resenhas Arte perfeita e destrutiva Caliel Alves dos Santos
Resenhas Era uma vez na Segunda Guerra Mundial Caliel Alves dos Santos
Resenhas Desçamos todos a cova Caliel Alves dos Santos
Resenhas No espaço sem fronteiras Caliel Alves dos Santos
Resenhas À espreita do insólito Caliel Alves dos Santos
Resenhas Guardando na memória para depois me alembrar Caliel Alves dos Santos

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 129.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2021
 
  Textos mais lidos
O cocheiro - Onihara 49533 Visitas
NÃO FIQUE - Gabriel Groke 49479 Visitas
La senda de las flores oblicuas - Eva Feld 49463 Visitas
Minha namorada - Jose Andrade de Souza 49443 Visitas
Na caminhada do amor e da caridade - Rosângela Barbosa de Souza 49423 Visitas
Entrevista com Larissa Gomes – autora de Cidadolls - Caliel Alves dos Santos 49414 Visitas
Reencontro - Jose Andrade de Souza 49391 Visitas
IHVH (IAHUAH) e ISV (IASHUA) - Gileno Correia dos Santos 49203 Visitas
Caçando demónios por aí - Caliel Alves dos Santos 48365 Visitas
saudades de chorar - Rônaldy Lemos 48294 Visitas

Páginas: Próxima Última