Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Iraci Gama: intérprete de Alagoinhas
Caliel Alves dos Santos

Resumo:
Resenha do ensaio historiográfico de Iraci Gama.

Uma nação que possui intérpretes, detém uma historiografia. Uma cidade que possui intérpretes, é privilegiada. Alagoinhas é essa cidade. Atualmente localizada no território de identidade Litoral Norte e Agreste Baiano, é rica em história(s), pujante em economia, com sociedade e cultura vívida. Nascida de uma freguesia inhambupense, de entreposto se tornou centro comercial da microrregião.
O município se desenvolveu em diversas áreas, o que lhe possibilitou o olhar crítico de homens e mulheres que se detiveram em escrever a sua história. Mais que pesquisadores, a esses dou o nome de intérpretes de Alagoinhas. Ao pesquisador cabe o recorte, ao intérprete cabe o panorama. A historiadora Iraci Gama Santa Luzia, em seu livro Memória, narrativa e identidade: a cidade ferroviária de Alagoinhas Vol. 1, nos apresentou uma profunda reflexão sobre a historiografia alagoinhense.
A obra foi publicada em 2022, e havia sido postergada por variados motivos, dentre eles a pandemia de COVID-19. Foi dividida em dois volumes devido à grande quantidade de imagens e documentos que a historiadora fez questão de publicar junto ao texto. O livro trata de variadas questões, desde a economia até a política alagoinhense. Se utilizou da perspectiva dedutiva, focando também a história do Brasil e da Bahia.
A fundação da urbe é marcada por mitos a exemplo do Padre João Augusto Machado, suposto fundador da Vila de Santo Antônio das Lagoinhas, ou a construção da Igreja Inacabada. Os mitos fundadores de Alagoinhas são anacrônicos e à-históricos, mas não desprovidos de intencionalidade, como a própria autora descreveu ao longo da obra. Iraci Gama fez um trabalho excepcional em desconstruir essas incongruências históricas.
A escolha de um ensaio historiográfico lhe concedeu uma vantagem. Sua escrita é leve, sem esquecer da análise-crítica; embasada em documentos; alterna em tempo síncrono e diacrônico; e é à-linear. Apesar de atribuir a Alagoinhas o sinônimo de “cidade ferroviária”, não descuida de outros elementos do espaço urbano como a indústria agroalimentícia e os seus diversos movimentos artísticos-culturais.
Iraci Gama foi e ainda é uma mulher devotada a preservação do patrimônio histórico, cultural e documental de Alagoinhas. Ela, junto a outros tantos colaboradores, construiu um acervo que auxiliou na formação de uma historiografia alagoinhense. Seu mais recente projeto se concluirá numa duologia, é mais uma contribuição a esse acervo da história do município.
Apesar de ser uma professora aposentada, continua mais ativa que nunca. Suas contribuições a cidade vão além do seu ensaio historiográfico. Formadas em Letras Vernáculas e Mestra em Educação, foi diretora e professora da Faculdade de Formação de Professores (FFPA) e depois da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Campus II. Foi vereadora, e presidiu associações culturais, atualmente é vice-prefeita da cidade.
Minha única crítica ao ensaio se refere há algumas passagens que soaram como livro de memória. Apesar do acesso a grande quantidade de documentos, a autora foi econômica tanto na quantidade de fontes analisadas e aprofundamento destas. Certas imagens careceram de contextualização, mesmo que em notas de rodapé. Alguma revisão precisa ser feita no futuro em relação à ortografia, mas nada há que impeça a leitura.
O livro foi publicado pela Quarteto Editora, possui 184 páginas. A obra conta com orelhas e Prefácio do Prof. Dr. Jorge Damasceno, além de uma Apresentação da Prof.ª Dr.ª Edil Silva Costa. A capa e contracapa do livro ficaram a cargo do artista plástico Littusilva. O livro é indicado para discentes, professores ou curiosos da história de Alagoinhas. Leitura recomendada para todos e todas.

Para adquirir a sua edição, entre em contato com a autora em:
https://www.facebook.com/iraci.gama.547

Ou se encaminhe a Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo (SECET), Biblioteca Municipal Maria Feijó, em frente à Praça Rui Barbosa, Alagoinhas-Centro.


Biografia:
Caliel Alves nasceu em Araçás/BA. Desde jovem se aventurou no mundo dos quadrinhos e mangás. Adora animes e coleciona quadrinhos nacionais de autores independentes. Começou escrevendo poemas e crônicas no Ensino Médio. Já escreveu contos, noveletas, resenhas e artigos publicados em plataformas na internet e em algumas revistas literárias. Desde 2019 vem participando de várias antologias como Leyendas mexicanas (Dark Books) e Insólito (Cavalo Café). Publicou o livro de poemas Poesias crocantes em e-book na Amazon.
Número de vezes que este texto foi lido: 53409


Outros títulos do mesmo autor

Resenhas Poetize a vida Caliel Alves dos Santos
Artigos O Brasil não é hexa, mas Lula é tri! Caliel Alves dos Santos
Artigos O romper das cordas Caliel Alves dos Santos
Resenhas Mirar na lua acima das estrelas Caliel Alves dos Santos
Artigos Representação política como parâmetro da divisão do Brasil Caliel Alves dos Santos
Artigos O que é dívida histórica? Caliel Alves dos Santos
Resenhas Iraci Gama: intérprete de Alagoinhas Caliel Alves dos Santos
Ensaios Militares como fator de risco a democracia Caliel Alves dos Santos
Resenhas A cidade em palavrório Caliel Alves dos Santos
Resenhas A poética feminina Caliel Alves dos Santos

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 139.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
JASMIM - evandro baptista de araujo 69106 Visitas
ANOITECIMENTOS - Edmir Carvalho 58001 Visitas
Contraportada de la novela Obscuro sueño de Jesús - udonge 57663 Visitas
Camden: O Avivamento Que Mudou O Movimento Evangélico - Eliel dos santos silva 55939 Visitas
Entrevista com Larissa Gomes – autora de Cidadolls - Caliel Alves dos Santos 55260 Visitas
URBE - Darwin Ferraretto 55254 Visitas
Caçando demónios por aí - Caliel Alves dos Santos 55161 Visitas
Coisas - Rogério Freitas 55031 Visitas
ENCONTRO DE ALMAS GENTIS - Eliana da Silva 55019 Visitas
Sobrenatural: A Vida de William Branham - Owen Jorgensen 54996 Visitas

Páginas: Próxima Última