Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
🔴 Leve-me ao seu líder
Rafael da Silva Claro


Carlos Jordy é o líder da oposição na Câmara Federal. Acharam uma mensagem no seu celular chamando-o de “meu líder”. Pronto. A “fishing expedition” (pesca probatória) rendeu frutos, encontrou o “crime” que tanto procurava. Essa estratégia inverte a lógica jurídica, ou seja, escolheu alguém para atribuir algum crime.

Seguindo essa lógica, qualquer baiano que saúda com um simpático “meu rei” corre o risco de ser algemado, no mínimo, levanta suspeitas. Ora, o cumprimento nunca deu direito a um trono nem coroa a ninguém, muito menos cedeu poderes vitalícios ou garantiu o direito à sucessão hereditária. Simplesmente, a saudação baiana é um jeito calmo de trocar uma fita do Senhor do Bonfim, uma fotografia com uma típica baiana ou qualquer suvenir soteropolitano. Enfim, não é um “beija-mão” entre súdito e soberano.

É bom os garçons começarem a moderar o vocabulário. Na música ‘Saideira’, o grupo ‘Skank’ cita alguns vocativos usados por garçons ao atender os “cervejólatras”: comandante, amigão, chefia, capitão, tio, brother, camarada. Historicamente, jamais alguma dessas abordagens se referiu a algum grau de hierarquia, parentesco ou amizade. Simplesmente, é um modo consolidado para os atendentes “quebrarem o gelo”.

Em jogos de futebol é comum vários torcedores mais exaltados soltarem um “esse juiz vai morrê”. Ninguém vai interpretar esse claro exagero como uma ameaça de morte. Confesso: com uns 12 anos, devo ter desejado a morte de algum árbitro que não deu um pênalti ou uma falta pro meu Corinthians. No entanto, quando a partida acabava, eu me conformava, até esquecia do erro, e achava justo que aquele homem de preto continuasse vivendo.

Pois bem, muito cuidado, a mais alta corte brasileira está interpretando conversas de boteco, trocas de mensagens no grupo da família e palavras hiperbólicas como “provas” de crime. Parece uma distopia daquele cinzento Leste da Europa dos anos 80, mas é a realidade do “democrático” “País Tropical” de 2024.


⚫️ “Mostre-me o homem, e eu lhe mostrarei o crime”
(Laurentti Beria)


Biografia:
Ensino secundário completo. Trabalhei em várias empresas, fora da literatura. Tenho um blog, onde publico meus textos: “Gazeta Explosiva” Blogger
Número de vezes que este texto foi lido: 259


Outros títulos do mesmo autor

Ensaios Leite com Pimenta Rafael da Silva Claro
Ensaios 🔴 As joias da coroa Rafael da Silva Claro
Ensaios 🔴 Feiquinius Rafael da Silva Claro
Crônicas 🔵A mansão dos mortos Rafael da Silva Claro
Ensaios 🔴 Os esquerdistas invadem a América Rafael da Silva Claro
Ensaios 🔴 Atila, o rei dos energúmenos Rafael da Silva Claro
Ensaios 🔴 Os políticos fazendo a festa Rafael da Silva Claro
Ensaios 🔴 Vestidos para matar de rir Rafael da Silva Claro
Ensaios 🔴 O Homem-Falência Rafael da Silva Claro
Ensaios 🔴 Entre meias e gravatas Rafael da Silva Claro

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 422.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
JASMIM - evandro baptista de araujo 69078 Visitas
ANOITECIMENTOS - Edmir Carvalho 57975 Visitas
Contraportada de la novela Obscuro sueño de Jesús - udonge 57627 Visitas
Camden: O Avivamento Que Mudou O Movimento Evangélico - Eliel dos santos silva 55902 Visitas
URBE - Darwin Ferraretto 55221 Visitas
Entrevista com Larissa Gomes – autora de Cidadolls - Caliel Alves dos Santos 55195 Visitas
Caçando demónios por aí - Caliel Alves dos Santos 55070 Visitas
Sobrenatural: A Vida de William Branham - Owen Jorgensen 54958 Visitas
ENCONTRO DE ALMAS GENTIS - Eliana da Silva 54936 Visitas
Coisas - Rogério Freitas 54926 Visitas

Páginas: Próxima Última