Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
🔴 As joias da coroa
Rafael da Silva Claro


A jornalista Eliane Cantanhêde, da GloboNews, quis demonstrar toda sua empatia com os gaúchos. O momento mais difícil que ela conseguiu vasculhar na memória, para exprimir toda a sua solidariedade, foi quando roubaram suas joias. Meu Deus!

Percebe-se bem que a jornalista não comparou seu caso com pessoas que perderam tudo, mas a infelicidade do comentário revela a falta de noção e que está apartada da realidade. Numa linguagem popular, ela perdeu a oportunidade de ficar quieta; como jornalista, ela usou as palavras erradas, na hora errada. Esse comportamento não combina com uma roda de discussão jornalística, e ela ficou parecendo uma dondoca completamente alienada.

Um caso como esse não é isolado e exemplifica como parte do jornalismo morreu. O jornalismo raiz, como ficou conhecido o jornalismo bom e tradicional, está em contraposição ao “Nutella”, que é o jornalismo ruim, feito com intenções obscuras. Uma hipótese é que essa turminha vive numa “bolha”, onde toda a classe profissional se frequenta. Assim, esses personagens acham que tudo se resume ao mundinho da redação, ignorando o “Brasil profundo”.

A Rede Globo só não é oficialmente um grupo de comunicação do governo federal, mas na prática se presta a isso. Na “obrigação” de enaltecer a “mão que a alimenta”, acontecem essas coisas, como aconteceu com a Eliane. “Fake news”, extrema-direita, organização internacional de direita, etc, são “biscoitos caninos” (moeda de troca) para corroborar aquilo que o governo acusa a oposição. Com essa linguagem, as mídias ajudam o governo, tirando a pecha de teoria da conspiração e briga ideológica.

Eliane Cantanhêde esqueceu de disfarçar seu discurso, escorregando no comentário, e revelou uma dondoca, que passaria despercebida num programa de fofocas, portanto, incompatível com um canal de notícias. A Daniela Lima também exagerou, deixando seu lado militante dominar a jornalista.

A Globo está sendo recebida no Rio Grande do Sul com hostilidade. Com o episódio das “joias da coroa”, a situação tende a piorar.


Biografia:
Ensino secundário completo. Trabalhei em várias empresas, fora da literatura. Tenho um blog, onde publico meus textos: “Gazeta Explosiva” Blogger
Número de vezes que este texto foi lido: 54742


Outros títulos do mesmo autor

Ensaios 🔴 O animal do Pânico Rafael da Silva Claro
Crônicas 🔵 Noite sem fim Rafael da Silva Claro
Crônicas 🔵 Mensagem para você Rafael da Silva Claro
Ensaios 🔴 A arte de enganar Rafael da Silva Claro
Crônicas 🔵 Rosmitter, o boêmio Rafael da Silva Claro
Poesias 🔴 Conto de fardas Rafael da Silva Claro
Ensaios 🔴Madonna de areia Rafael da Silva Claro
Ensaios Leite com Pimenta Rafael da Silva Claro
Ensaios 🔴 As joias da coroa Rafael da Silva Claro
Ensaios 🔴 Feiquinius Rafael da Silva Claro

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 429.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
Amores! - 54782 Visitas
Delícias da festa junina - Ivone Boechat 54781 Visitas
DIVINO SER - Ivan de Oliveira Melo 54779 Visitas
eu sei quem sou - 54778 Visitas
Carta para Sophie Scholl - Junho/2024 - Vander Roberto 54778 Visitas
Dores da paixão - Ivone Boechat 54777 Visitas
Desabafo - 54776 Visitas
Leite com Pimenta - Rafael da Silva Claro 54771 Visitas
O que e um poema Sinetrico? - 54770 Visitas
A força do recomeço de empresários atingidos pelas enchentes - Isnar Amaral 54770 Visitas

Páginas: Próxima Última