Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
QUARENTENA
manoel serrão da silveira lacerda

Ó cai-me às mãos entre os dedos
A pena veza que sublima os meus versos.
Cai-me!
Ó salta-me aos prantos
O destino com os lenços nos olhos.
Salta-me!
Ó assalta-me o peito o desapego dos desejos,
E a fé naquilo que não vejo.
Assalta-me!
Abraça-me! Ó à todos peço-lhes perdão!
Eu...
Logo eu pálido Deus que já fora
Estima sem pecado nas lameiras d’um caminhão.
Eu...
Logo eu que condenado ao Cristo levado à "crucificação",
Quão Pilatos lavara,
Não posso ao mundo nem lavar às mãos.
Eu...
Logo eu que condenado a Papillon,
Ser banido à perpetuação,
Não posso à dor do exílio nem dar termo a solidão.
Ó amém! Rezarei a quem?
Quisera Deus, qualquer Deus,
Quão o ente de etos sublime, afeito a ternura do phato dorido:
Pudesse encontrar todo o perdão no coração.
Ó amém! Rezarei a quem?
Quisera Deus, qualquer Deus,
Que pudesse ao encontrar-me no amor,
Devolver-me a noite; desfraldar-me os sonhos; e devotar-me à luz do sol toda gratidão.
Ó à todos peço-lhes perdão!
Eu...
Logo eu pálido Deus indigente que fora paz e alvo na mira dos aviões!
Eu...
Logo eu pálido Deus sucumbente que fora obus e napalm na boca dos canhões!
Eu...
Logo eu pálido Deus que fora à quarentena de febre e delírio... Ó avistei-me sem querer no espelho, e incapaz de desvendar-me -, o Ser por inteiro - C'os olhos turbidos de lágrimas, fiz-me cascatas diluído sob as celhas, o "dissoluto sujeito "anjo" imundado.
Eis-me que pálido Deus indigente à margem onde tudo parecia fechado, torno sem novenas aos diferentes! E olho-me, toco-me: e sou de carne e osso. Ó desatei-me os nós d'ante os iguais feito coisa como gente d'ante os espelhos!


Biografia:
Número de vezes que este texto foi lido: 28696


Outros títulos do mesmo autor

Poesias LOBSHOMEM manoel serrão da silveira lacerda
Poesias NEURA TRIBAL manoel serrão da silveira lacerda
Poesias ÁLIBIS manoel serrão da silveira lacerda
Poesias APRENDIZ manoel serrão da silveira lacerda
Poesias PÓSTUMO manoel serrão da silveira lacerda
Poesias AUSCHWITZ manoel serrão da silveira lacerda
Poesias O BELISCÃO manoel serrão da silveira lacerda
Poesias A TRINDADE manoel serrão da silveira lacerda
Poesias ANFÍBIOS manoel serrão da silveira lacerda
Poesias ALMA QUÂNTICA manoel serrão da silveira lacerda

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 64.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2019
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 55685 Visitas
A Arte De Se Apaixonar - André Henrique Silva 52865 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 39220 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 34186 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 33361 Visitas
Amores! - 33003 Visitas
Desabafo - 32584 Visitas
Reencontro - Jose Andrade de Souza 31634 Visitas
Faça alguém feliz - 31442 Visitas
Vivo com.. - 31097 Visitas

Páginas: Próxima Última