Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Torto Arado - impressões pessoais
Flora Fernweh

Torto Arado, de Itamar Vieira Junior, é ambientado no sertão da Bahia e tem como característica marcante o regionalismo expresso na obra por meio do cotidiano narrado, da descrição das personagens e da escolha vocabular específica. O romance retrata a vida precária de trabalhadores rurais de modo muito vivaz, o que garante força de consciência nacional à obra. A narrativa tem um agudo tom provocativo, sendo original e tradicional a um só tempo, guardando tanto um tom intimista quanto um aspecto exterior de grandiosidade da terra. Tal ambivalência é incrivelmente harmônica e pode ser ilustrada pela densidade de pensamento e de sensação das personagens ao passo em que elas são em muitas passagens, representadas em uma perspectiva naturalista, em um nível quase animal. O livro, tendo uma “lavoura arcaica” literal, dialoga muito com Raduan Nassar, em traços estilísticos. Já do ponto de vista de enredo e de práticas culturais que enriquecem a história e exibem as singularidades desconhecidas do Brasil, pude facilmente traçar semelhanças entre o espaço em questão: a fazenda de Água Negra e a vila de Macondo, eternizada na obra de García Márquez. No entanto, sinto que Torto Arado se aproxima muito mais da realidade bruta, merecendo o título de romance de formação ao invés de realismo mágico. De farta inspiração sociológica, a obra é uma verdadeira ferida aberta que induz à reflexão sobre desigualdades sociais pela perspectiva da ancestralidade, desenterrando as raízes que compõem o povo brasileiro e colocando-as à mostra de quem estiver disposto a pensar sobre colonialismo, riquezas étnicas, saberes culturais e resistências históricas.


Biografia:
Sobre minha pessoa, pouco sei, mas posso dizer que sou aquela que na vida anda só, que faz da escrita sua amante, que desvenda as veredas mais profundas do deserto que nela existe, que transborda suas paixões do modo mais feroz, que nunca está em lugar algum, mas que jamais deixará de ser um mistério a ser desvendado pelas ventanias. 
Número de vezes que este texto foi lido: 53016


Outros títulos do mesmo autor

Poesias BREU Flora Fernweh
Crônicas AMOR E DOR: ESTA RIMA NÃO FUI EU QUEM CRIEI Flora Fernweh
Poesias NORDESTE D'AMOUR Flora Fernweh

Páginas: Primeira Anterior

Publicações de número 381 até 383 de um total de 383.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
quando a luz das estrelas durante a noite não me alcança - Riz de Ferelas 12 Visitas
um cristal - Riz de Ferelas 12 Visitas
fantasmas das avenidas dos corações partidos - Riz de Ferelas 12 Visitas
navegando nessas águas sombrias - Riz de Ferelas 11 Visitas
oceano de lágrimas - Riz de Ferelas 11 Visitas
🔴Madonna de areia - Rafael da Silva Claro 7 Visitas

Páginas: Primeira Anterior