Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
SAUDADES DE MIM
Flora Fernweh

Em que canto me escondi que já não me encontro em voz alguma? O mundo cisma em me moldar, bloqueia minhas lentes. Com um tapa, consome a essência do meu ser. Me envolvo com gente de carne e ossos, caio nas armadilhas terrenas e imperfeitas como os humanos, mas é apenas quando estou no fundo do poço e olho para cima que percebo minha morada nas sombras de uma luz que até ontem me iluminava e me enchia de doces esperanças. A urgência em retornar ao meu eu é inédita, nunca antes saí de minha ilha e precisei voltar a essas terras, pois tinha a plena convicção de que jamais me abandonaria. Hoje vejo que não voltarei a ser quem eu era, pois nunca fui quem não indaguei por imaginar que já soubesse mais de mim do que qualquer outro. Sou estranha a mim mesma, a imagem que se forma no espelho quando me ponho na frente de um, não pertence a mim, e por ser quem hoje sou, desconhecida e alheia, o amanhã passeia como um forasteiro exótico. O sol nasce, mas o parto vem de mim, a fúria em renascer irrompe um casulo cíclico após uma metamorfose que se repete a cada despontar lunar. No útero escuro da noite, busco em vão me reencontrar, pois sei que em breve, me perderei de mim, não saberei mais na verdade quem eu sou. Voei como águia para além das montanhas e suspeito jamais encontrar o caminho de volta, o meu último apelo ao destino antes de partir para sempre: Devolva minha solidão, ela é meu latíbulo, nela eu sou livre, dela eu sinto falta.


Biografia:
Sobre minha pessoa, pouco sei, mas posso dizer que sou aquela que na vida anda só, que faz da escrita sua amante, que desvenda as veredas mais profundas do deserto que nela existe, que transborda suas paixões do modo mais feroz, que nunca está em lugar algum, mas que jamais deixará de ser um mistério a ser desvendado pelas ventanias. 
Número de vezes que este texto foi lido: 319


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Caminhos para uma nova gestão do trabalho na era tecnologia Flora Fernweh
Crônicas O ensurdecedor silêncio de adolescer Flora Fernweh
Poesias Adubo do mundo Flora Fernweh
Poesias Devaneio enamorado Flora Fernweh
Frases De: eu Para: mim Flora Fernweh
Crônicas Reflexão sobre o tempo Flora Fernweh
Frases Cura poética Flora Fernweh
Artigos Crise hídrica Flora Fernweh
Artigos Os desafios que habitam os centros urbanos Flora Fernweh
Artigos Os desafios da divulgação cultural no contexto da pandemia Flora Fernweh

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 125.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 66247 Visitas
A Arte De Se Apaixonar - André Henrique Silva 55163 Visitas
Minha namorada - Jose Andrade de Souza 43709 Visitas
Reencontro - Jose Andrade de Souza 43334 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 42947 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 40875 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 39812 Visitas
Amores! - 38251 Visitas
Amor e Perdão - Amilton Maciel Monteiro 37587 Visitas
Desabafo - 37496 Visitas

Páginas: Próxima Última