Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
CÁSSIO 11 NOVEL IND 17 ANOS
DE RICO FOG
paulo ricardo a fogaça

Resumo:
bom


                             7




        Karen sai arrumada do quarto, Regina vem até a sobrinha, a cheira.
   - Nossa que cheiro bom.
   - Acha?
   - Claro querida, esta linda.
   - Obrigado tia.
   - Quer que eu vá junto?
   - Nunca, até por que eu sei que você tem um encontro.
   - É, eu tenho.
   - Gosta dele?
   - Acho que sim, mais tenho que pisar manso.
   - Que bom tia, te desejo tudo de melhor, sempre.
   - A você também querida.
   Regina abraça a sobrinha, logo o interfone toca, Karen atende.
   - Tá bom, obrigada.
   - E?
   - Eles chegaram.
   - Eles?
   - O pai do Bonifácio chegou com ele.
   - Ai que bom, fico mais tranquila, bem, bom passeio.
   - Tá tia.
   Karen sai, Regina retorna a cozinha e finaliza a omelete com espinafre, arroz branco.
   O interfone toca, ela atende, liberando a entrada ao prédio, ela corre para o quarto e dá os últimos ajustes no visual, cabelos, perfume, toca a campainha.
   - Oi.
   - OI.
   Regina faz sinal para que Pérsio entre, em calça jeans e camisa de manga comprida azul marinho.
   - Você esta bonita.
   - Obrigado, você esta lindo.
   - Obrigado.
   O homem se aproxima dela e surge um timido beijo.
   - Nossa, acho que fui audacioso demais?
   - Audácia é sempre bom, ás vezes.
   - Você gosta?
   - Amo, principalmente de um homem assim...
   - Assim como?
   - Vamos comer?
   - Sim.
   O casal faz a refeição em troca de olhares e Pérsio se mostra cuidadoso com as palavras e gestos á mesa, sempre gentil e amoroso para com Regina.
   Quase duas horas depois, Regina convida ele para o quarto, ali o homem se mostra ainda mais timido de inicio mais logo se revela, ela decide por fazer um striper a ele, agora só de lingerie, ele se perde no corpo dela.
   - Nossa, você é até mais atrevidinho do que eu imaginava.
   - Você não viu nada ainda. Em beijos, línguas, toques, caricias, Regina se perde naquele momento de intenso prazer.
   Karen chega do passeio e ouve risos vindo do quarto da tia, ela segue para o seu onde se arruma para dormir.
   Amanhece, Karen sai do quarto e entra no banho, percebe um movimento na cozinha, ela logo sai do banheiro retornando para seu quarto, se troca e logo vem de mochila nas costas.
   - Bom dia.
   - Bom dia.
   Pérsio ali com Regina preparam a mesa do café.
   - O que é isso?
   - Café da manhã.
   - Não, falo de vocês, vão ficar juntos?
   - Até o momento, sim.
   Regina responde sorridente.
   - Sabe jogar games?
   - Um pouco.
   - Fique tranquilo, vou te ensinar.
   - Não vejo a hora.
   Regina entra no assunto.
   - A, não, por favor, já chega essa menina que é viciada nisso, ai não.
   - A amor, me deixa ela me ensinar?
   - O que é isso?
   - Vai.
   - Vou pensar.
   - Oba.
   Karen olha para os dois e cai na risada.
   Fernanda entra no quarto de Laura.
   - É amanhã.
   - Nem acredito, amanhã serei uma mulher casada.
   - Não consigo ver uma ruga de preocupação em ti.
   - Deveria haver?
   - Sei, lá, nunca me casei. Risos.
   - Acho que vai ser lindo.
   - Vai ser mara, maravilhoso.
   - Será que a tia chega a tempo?
   - Com certeza já deve estar a caminho.
   - Será?
   - Até parece que não a conhece.
   - Pena que a Stéfany vai ficar.
   - Pena, acho é bom, senão vai querer aparecer mais que a noiva. Mais risos.
   - É, tem razão.
   - Tem certeza que quer mesmo dar esse passo tão importante, amiga?
   - Sim, tudo que mais quero.
   - Boa sorte e um futuro mais que brilhante aos dois tá.
   - Obrigado por ser essa grande amiga de todas as horas.
   - Esqueceu, somos irmãs, quase irmãs.
   - Te amo Fer.
   - Te amo Laura doidinha. Abraços e beijos, com risos e lágrimas.
   Cássio termina de arrumar as malas para a viagem do casal, no sofá, Reinaldo ali largadão de cuecas, bebeu demais e ficou por ali.
   

                                22072020.........






        - Como estou?
     - Belissima.
     - Assim não vale, amiga.
     - Estou falando sério, Laura.
     Laura gira frente ao espelho, Fernanda tenta segurar as lágrimas de emoção.
     Na igreja, Cássio anda de um lado a outro, Reinaldo vem em seu auxílio.
     - Calma cara, você foi o ser mais tranquilo durante todo o processo, agora que vai assumir a felicidade para si, esta aos nervos.
     - Olha, não consigo segurar, tremo todo o corpo.
     - Logo vai passar, assim que sua futura esposa entrar por aquela porta.
     - Tomara.
     - Acredite.
     Murilo entra no salão paroquial, já que a igreja esta em reforma, senta no penúltimo banco.
     - Quem é ele?
     - Com certeza algum transeunte ai.
     - Não, Reinaldo, estou me lembrando, sei quem é ele.
     - E que é?
     - O ex da Laura, o que faz aqui, vou agora mesmo coloca-lo para fora, não quero este homem aqui.
     - Deixe comigo, afinal você é o noivo e tem de estar igual ao boneco do bolo, fica ai, eu resolvo isso.
     Cássio não ouve tentando ir até o rapaz, mais Reinaldo o segura com gentileza e toma conta da situação para si.
     - Tudo bem.
     - Tá, estou indo lá, juizo hein.
     - Tá certo, obrigado.
     Reinaldo sai em direção a Murilo passa pela fileira de bancos e faz sinal ao homem, para ir fora do salão.
     - Por que veio aqui?
     - Eu te conheço?
     - A questão aqui é a seguinte, me explique e caia fora ou o meu amigo vai sair dali e vir falar contigo, te garanto, não vai gostar da suavidade de suas palavras.
     - Me desculpe, fique tranquilo, não estou aqui para prejudicar em nada, sei que ela o ama, só quero ve-la pela última vez.
     - Por quê?
     - Para minha mente esvaziar e meu coração acalmar a dor de um mau homem aqui, por favor não me negue isso.
     - O que diz?
     - Senhor, eu a tive comigo e não soube dar o real valor que ela teve em minha vida, agora sei, a perdi, aceito, só quero ve-la feliz, só isso.
     - Como?
     - Eu a abandonei, quando ela mais precisou de um apoio.
     - O quê?
     - A morte de seus pais.
     - Meu Deus, e ainda quer ficar aqui para quando ela entrar nesta igreja, por favor vá embora.
     - Eu a namorava e quando ela perdeu seus pais eu estava numa despedida de solteiro, sabe, bordéis do interior.
     - Você a traumatizou.
     - Quando cheguei dois dias depois, já haviam sido sepultados, ela estava frágil e triste e eu bebi ainda mais e a fiz chorar.
     - Como pôde ser assim?
     - Mesmo assim ela continuou comigo, me namorando enquanto eu aprontava ás suas costas, não sou e nunca serei digno do perdão dela.
     - Cara, você é um covarde e insensível, isso sim, vá embora.
     - Por favor.
     - Tudo bem, mais fique longe, bem longe dela e dos amigos dela.
     - Sim, obrigado.
     Reinaldo retorna para junto de Cássio, após uma breve explicação, logo ouve o toque do órgão musical, Laura entra junto de Fernanda que logo circunda as fileiras indo para junto de Reinaldo, ali sozinha ela segue até que Yvone segura sua mão.
     - Tia.
     - Vamos querida.
     As duas seguem a passos longos mais demorados até o altar improvisado, minutos depois Laura é esposa de Cássio.
     O salão se torna dançeteria, os convidados, cerca de 40 pessoas dançam e cantam ali, o buffet é servido, tudo sob o olhar de laura que faz questão de provar antes.
     Murilo já esta próximo do carro quando Fernanda vem a ele.
     - Você é sem caráter mesmo, por que veio?
     - Ela esta feliz?
     - Muito mais do que quando esteve ao seu lado.
     - Era tudo que queria saber.
     - Vai embora, agora.
     - Tchau.
     - Adeus.
     Ele entra no carro e Fernanda empurra a porta com violência, Reinaldo corre até ela.
     - Amor.
     - Só quero que ele vá.
     - Ele ja foi amor.
     - Aquele homem não presta, não presta.   Grita Fernanda ali, Murilo ja esta longe dali.



                                                        26072020...........




Biografia:
amo escrever e ler
Número de vezes que este texto foi lido: 202


Outros títulos do mesmo autor

Contos ESPESSOS REFLEXOS 10 IND 14 ANOS NOVEL paulo ricardo a fogaça
Contos ESPESSOS REFLEXOS 9 IND 14 ANOS NOVEL paulo ricardo a fogaça
Contos ESPESSOS REFLEXOS 8 IND 14 ANOS NOVEL paulo ricardo a fogaça
Poesias O SEU CONHECER paulo ricardo a fogaça
Contos ESPESSOS REFLEXOS 7 IND 14 ANOS NOVEL paulo ricardo a fogaça
Crônicas O HUMORISTA NO CENTRO DO RODA VIVA paulo ricardo a fogaça
Contos ESPESSOS REFLEXOS 6 IND 14 ANOS NOVEL paulo ricardo a fogaça
Crônicas O NOSSO BB E A TAL DA EMPATIA paulo ricardo a fogaça
Contos ESPESSOS REFLEXOS 5 IND 14 ANOS NOVEL SUSPENSE paulo ricardo a fogaça
Contos ESPESSOS REFLEXOS 4 IND 14 ANOS NOVEL paulo ricardo a fogaça

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última

Publicações de número 11 até 20 de um total de 28.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
TOMO TUDO - sigmar montemor 39785 Visitas
Lamento - FERNANDO 39607 Visitas
Desabafo - 38933 Visitas
viramundo vai a frança - 38435 Visitas
MANCHETE DE JORNAL - sigmar montemor 37609 Visitas
Faça alguém feliz - 37154 Visitas
Vivo com.. - 36388 Visitas
Parabéns, Daniel Dantas! - Carlos Rogério Lima da Mota 36326 Visitas
eu sei quem sou - 35304 Visitas
camaro amarelo - 35117 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última