Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
O PEIXINHO DOURADO DA TEODORA
Saulo Piva Romero

HOUVE UM TEMPO EM QUE UM PEIXINHO DOURADO VIVIA TRANQUILO EM UM ORFANATO QUE ABRIGAVA OS PEIXINHOS ABANDONADOS PELAS FAMÍLIAS.
O PEIXINHO DOURADO VIVIA LIVREMENTE NO ORFANATO, POIS ELE PODIA SAIR E ENTRAR A HORA QUE ELE QUISESSE.
O PEIXINHO DOURADO ERA MUITO QUERIDO POR TODOS OS PEIXES QUE VIVIAM NAQUELE VELHO ORFANATO ESCONDIDO NO MEIO DO OCEANO.
ELE ERA O PEIXINHO MAIS GENEROSO QUE HAVIA NAQUELA COMUNIDADE DE AMOR E PAZ.
DOURADINHO COMO ERA CONHECIDO POR TODOS OS HABITANTES QUE VIVIAM NO VELHO ORFANATO, GOSTAVA MUITO DE BRINCAR, POIS, ERA A ALEGRIA VIVA, POIS, ELE ESTAVA SEMPRE DE BOM HUMOR E DE BEM COM A VIDA.
ELE SEMPRE ESTAVA DISPOSTO A AJUDAR OS SEUS AMIGOS QUANDO ELES ESTAVAM EM UMA SITUAÇÃO DE PERIGO.
O ÚNICO ANIMAL MARINHO QUE NÃO GOSTAVA DELE ERA O POLVO QUE VIVIA PERSEGUINDO O PEIXINHO.
O POLVO COM OS SEUS GRANDES TENTÁCULOS QUERIA TRANSORMÁ-LO EM UM APETITOSO PETISCO.
CERTO DIA , O MALVADO POLVO AO PERSEGUIR O PEIXINHO DOURADO SEM DAR UMA TRÉGUA FEZ COM QUE ELE SE AFASTASSE PARA BEM LONGO DO ORFANATO EM QUE VIVIA.
ASSIM DOURADINHO ACABOU SE PERDENDO E PARA COMPLICAR AINDA MAIS A SUA SITUAÇÃO, ELE TERMINOU NA PONTA DE UM ANZOL QUE PERTENCIA A UM EXCELENTE PESCADOR DOS SETE MARES.
ENTÃO, A PARTIR DAQUELE DIA, A VIDA DO PEIXINHO DOURADO NÃO FOI MAIS A MESMA, POIS, O PESCADOR VENDEU DOURADINHO PARA UMA LOJA DE PEIXES E ELE FOI APRISIONADO EM UM AQUÁRIO.
DIAS DEPOIS, ENTROU NA LOJA UM HOMEM E ASSIM QUE VIU O PEIXINHO DOURADO, ELE O COMPROU COM A INTENÇÃO DE DÁ-LO DE PRESENTE DE ANIVERSÁRIO PARA A SUA FILHA TEODORA.
ASSIM QUE CHEGOU A CASA DE TEODORA, O BOM PEIXINHO DOURADO NÃO TEVE MAIS SOSSEGO.
TEODORA ERA UMA MENINA MUITO MIMADA E FAZIA O QUE QUERIA COM O PEIXINHO DOURADO QUE SEU PAI HAVIA LHE DADO COMO PRESENTE
ELA SEMPRE OLHAVA PARA O PEIXINHO DOURADO COMO SE QUISESSE HIPNOTIZÁ-LO E ELE DEVOLVIA O OLHAR PARA ELA COM MUITO MEDO E UM CALAFRIO PERCORRIA-LHE POR TODA A SUA ESPINHA DORSAL.
O CORAÇÃOZINHO DO ASSUSTADO PEIXINHO DOURADO BATIA DESCOMPASSADAMENTE TODA A VEZ QUE TEODORA SE APROXIMAVA DO AQUÁRIO ONDE ELE ESTAVA APRISIONADO.
NA MAIORIA DAS VEZES TEODORA LEVAVA O SEU GATINHO DE ESTIMAÇÃO PARA QUE ELE AMEDRONTASSE AINDA MAIS A VIDA DO ASSUSTADO PEIXINHO DOURADO.
O GATINHO COLOCAVA AS SUAS AFIADAS GARRAS DE FORA E COMEÇAVA ARRANHAR AS PAREDES DO AQUÁRIO E TEODORA SE DIVERTIA EM VER O ROSTO DO PEIXINHO FICAR COMPLETAMENTE APAVORADO.
TEODORA TINHA PRAZER EM APRONTAR MALVADEZAS COM O POBRE PEIXINHO DOURADO.
CERTO DIA AO INVÉS DE COLOCAR RAÇÃO PARA ALIMENTAR O POBREZINHO DO PEIXINHO, ELA DECIDIU COLOCAR UMA PITADA DE PIMENTA –DO- REINO.
TEODORA COMEÇOU A CAÇOAR QUANDO O PEIXINHO DOURADO COLOCOU A PITADA DE PIMENTA GOELA ABAIXO E COMEÇAR A ESPIRRAR SEGUIDAMENTE SEM CESSAR.
DOURADINHO EM UM DESSES ATAQUES DE ALERGIA POR CAUSA DO CHEIRO E DO FORTE ARDOR DA PIMENTA , ESPIRROU COM TANTA FORÇA FAZENDO COM QUE O AQUÁRIO TREMESSE E BALAÇASSE AO MESMO TEMPO.
A FORÇA QUE O PEIXINHO DOURADO FEZ PARA ESPIRRAR FEZ COM QUE O AQUÁRIO FOSSE ARREMESSADO PARA O ALTO E TERMINASSE CAINDO SOBRE A CABEÇA DA MALVADA TEODORA FAZENDO COM QUE ELA FICASSE COM A SUA CABEÇA APRISIONADA DENTRO DO AQUÁRIO E O PEIXINHO DOURADO A OLHANDO COM MUITO PRAZER EM VE-LA IMPLORAR PARA QUE ALGUÉM LHE LIBERTASSE DAQUELE AQUÁRIO EM QUE O PEIXINHO FOI APRISIONADO E AMEDRONTADO PELAS GARRAS AFIADAS DO GATINHO E CAÇOADO PELA MIMADA TEODORA.
COM ISSO TEODORA APRENDEU QUE UM DIA SOMOS O CAÇADOR E NO OUTRO A CAÇA.
PARA O ALÍVIO DE TEODORA, SEU PAI RAPIDAMENTE A LIBERTOU DO AQUÁRIO E SEM SEGUIDA TEODORA ARREPENDIDA POR TODA A MALDADE QUE TINHA COMETIDO CONTRA O BOM E AMOROSO PEIXINHO DOURADO, PEDIU AO PAI QUE LEVASSE O DOURADINHO DE VOLTA AO OCEANO PARA QUE ELE PUDESSE RETORNAR AO ORFANATO EM QUE HAVIA SIDO ABANDONADO PARA QUE RETOMASSE NOVAMENTE A LIBERDADE QUE HAVIA PERDIDO NO DIA DO ANIVERSÁRIO DELA.







Biografia:
Saulo Piva Romero, professor de Língua Portuguesa e Poeta, 49 anos. Nasceu em São Paulo no dia 9 de março de 1972. Começou a escrever poesias aos 18 anos. É formado em Letras pelas Faculdades Associadas do Ipiranga com Licenciatura Plena em Língua Portuguesa, Inglesa e Literatura.Em 2000 publicou seu primeiro livro Vida, amor e esperança.
Número de vezes que este texto foi lido: 46843


Outros títulos do mesmo autor

Contos A COROA DO IMPERADOR Saulo Piva Romero
Contos A VACA FOI PARA O BREJO Saulo Piva Romero
Contos BELINHA E O CHAPÉU COR-DE- ROSA Saulo Piva Romero
Contos A BRUXA QUE SE TRANSFORMAVA EM PRINCESA Saulo Piva Romero
Contos O CASAMENTO DA FILHA DO SOL E DA LUA Saulo Piva Romero
Contos O SONHO DO CAÇADOR Saulo Piva Romero
Contos OS PASSEIOS MISTERIOSOS DA DONA BARATA Saulo Piva Romero
Contos OTONIEL E TALMAI Saulo Piva Romero
Contos EU, VOVÔ E AS CABRAS Saulo Piva Romero
Contos PAPAI PAPUDO Saulo Piva Romero

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 301.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2021
 
  Textos mais lidos
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 49565 Visitas
Amores! - 49165 Visitas
Faça alguém feliz - 49158 Visitas
Na caminhada do amor e da caridade - Rosângela Barbosa de Souza 48928 Visitas
ENCONTRO DE ALMAS GENTIS - Eliana da Silva 48872 Visitas
Ano Novo com energias renovadas - Isnar Amaral 48869 Visitas
saudades de chorar - Rônaldy Lemos 48702 Visitas
Entrevista com Larissa Gomes – autora de Cidadolls - Caliel Alves dos Santos 48693 Visitas
Caçando demónios por aí - Caliel Alves dos Santos 48642 Visitas
Coisas - Rogério Freitas 48579 Visitas

Páginas: Próxima Última