Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
HISTÓRIA DE CINCO ROSAS
Cinco Rosas
MARCO AURÉLIO BICALHO DE ABREU CHAGAS

Resumo:
Poema inspirado no conto homônimo do livro INTERMÉDIO LOGOSÓFICO, de Carlos Bernardo González Pecotche (RAUMSOL).



                         Florescia uma roseira,
                         num parque, em belo jardim,
                         em meio a dálias e cravos,
                         jacintos e um jasmim.

Tão formosa e bela planta,
cinco rosas nela havia.
A mão do homem dentre todas,
as mais belas escolhia.

                         Um casal enamorado,
                         em gesto de eterno amor,
                         desprendeu do tenro talo
                         a obsequiosa flor.

Aquela rosa murchou,
com carinho foi guardada
dentre as prendas mais queridas
da menina enamorada.

                         Junto à roseira um vaidoso
                         passou, retirando u’a rosa
                         e a colocou na lapela,
                         indo embora todo prosa.

Não bem a rosa murchou,
perdeu a finalidade,
no lixo ele a jogou,
não mais convinha à vaidade.




                         Beijando a terceira rosa,
                         a mãe sofrida a pegou,
                         nas mãos do filho inerte
                         em pranto a depositou.


Foi achada a quarta rosa
entre as mãos de um suicida.
Cena triste dolorosa.
Epílogo de uma vida.

                         Em seu talo a quinta rosa
                         sempre ali permanecia
                         para contar essa história,
                         nos anos que renascia.

Perguntaram à quinta rosa,
- por que não conta você
a sua história também,
nesse eterno florescer?

                         Turbada a flor legendária,
                         revelando o seu sofrer,
                         - sou a alma deste corpo,
                         em constante padecer.

Nem todas as minhas rosas
têm elas igual destino,
nem posso levar a culpa
de tão cruel desatino.

                         _______

                         O pai não pode ter culpa,
                         por filhos haver gerado,
                         que não souberam o seu nome
                         conservar e tê-lo honrado.


Sempre por aparências
é temeroso julgar.
Há muitos segredos íntimos,
que as flores vêm a guardar.

                         ***
                              


Biografia:
Advogado especialista nas áreas comercial e tributária. Foi consultor jurídico da ACMINAS – ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE MINAS. Sócio do CUNHA PEREIRA & ABREU CHAGAS – Advogados Associados. Curador Especial nomeado por Juízes Federais e Estaduais. Atua junto aos TRIBUNAIS SUPERIORES. Assessor do SIM – INSTITUTO DE GESTÃO FISCAL. marcoaureliochagas@gmail.com
Número de vezes que este texto foi lido: 28594


Outros títulos do mesmo autor

Poesias PACIÊNCIA DE DEUS Marco Aurélio Bicalho de Abreu Chagas
Poesias SEPARATISMO Marco Aurélio Bicalho de Abreu Chagas
Poesias A PACIÊNCIA Marco Aurélio Bicalho de Abreu Chagas
Poesias O ERRO Marco Aurélio Bicalho de Abreu Chagas
Poesias A CARRUAGEM DO DESTINO Marco Aurélio Bicalho de Abreu Chagas
Poesias A GOIABEIRA Marco Aurélio Bicalho de Abreu Chagas
Poesias INDIFERENÇA E OUTRO TANTO... Marco Aurélio Bicalho de Abreu Chagas
Poesias UVAS Marco Aurélio Bicalho de Abreu Chagas
Poesias LEMBRANÇAS EM PEDAÇOS Marco Aurélio Bicalho de Abreu Chagas
Poesias SONHO PRECURSOR Marco Aurélio Bicalho de Abreu Chagas

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 131.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 62954 Visitas
A Arte De Se Apaixonar - André Henrique Silva 53982 Visitas
Minha namorada - Jose Andrade de Souza 42933 Visitas
Reencontro - Jose Andrade de Souza 40127 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 39997 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 38344 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 37083 Visitas
Amores! - 35114 Visitas
Desabafo - 34654 Visitas
Faça alguém feliz - 33054 Visitas

Páginas: Próxima Última