Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Reflexão sobre "A Traição"
Comportamento Humano
Rodrigo Nascimento

Resumo:
Nossa evolução social dos anos 60 para cá.

Reflexões sobre “A Traição”

Nos anos 60, a pílula anticoncepcional marcou uma grande etapa das relações entre homens e mulheres. O fato é que a mulher vista até então como posse do marido teve seu desejo reconhecido, ser mulher poderia ser independente de ser mãe.
Uma série da Globo fez um sucesso tremendo, “Malu Mulher”, considerada imprópria para menores passava as 22:00hs, mostrava a vida de mulher que resolve seguir os caminhos de sua vida após a decepção amorosa com o marido. Naquele momento acredito que muitas mulheres pensaram que eram parecidas com ela, Malu, não era má como aos olhos da repressão e do pensamento do casamento indissolúvel, era simplesmente o desejo de todas em uma.
Naquela época eram muito comuns os crimes pela vingança da honra, mas acertadamente, a sociedade começou a classificá-los como uma aberração monstruosa contra a mulher ser naturalmente mais frágil.
Fato é que com a liberdade feminina de poder agir mais livre em relação ao sexo, a mulher deixou a maternidade mais para frente na vida e começou a concorrer no mercado de trabalho com os homens e logo passou a reivindicar o mesmo valor e salários.
Passaram a existir mais os casais modernos que dividiam tanto as tarefas domésticas como as despesas da casa e a família passou a ter uma divisão melhor entres os poderes do homem e da mulher perante aos filhos.
Mesmo assim, quando se queria dar uma fugida do cotidiano e da monotonia da monogamia, era uma ginástica danada, misturada com engenharia do despiste que fez aquela época do telefone fixo e das linhas cruzadas inesquecível.
Hoje parece que tudo mudou, a facilidade que se tem de comunicação, tornou a “traição” alguma coisa meio inexistente como parecida com a prova dos pensamentos. Se pensarmos bem, a maioria das conversas mais simples que temos com o sexo oposto seriam condenadas a forca pela inquisição, tanto é que o fato da “traição” em si se tornou algo descartável.
O que será que aconteceu com aquela “libido” que corria solta nas paqueras das praças e dos cinemas de domingo, enfim estou com saudade do “footing”, os homens andavam em um sentido horário e as mulheres no anti-horário, mas sempre se acertavam.
A saída da missa e a pipoca da carrocinha, o algodão doce e o amendoim...Que saudade daquela época. Éramos felizes e não sabíamos.
Essa salada de frutas das redes sociais transformou o desejo em algo “descartável” demais, a presença é somente uma montagem falsa do si mesmo, sempre na realidade somos um burrinho bem mais feio que postamos no instagram ou no facebook, mas esse feio é que é bonito e precisamos reencontrá-lo antes que a vida passe por nós!


Biografia:
Do autor
Número de vezes que este texto foi lido: 54713


Outros títulos do mesmo autor

Contos A day in my life! Rodrigo Nascimento
Contos O que uma viagem ao Atacama aos 70 me ensinou. Rodrigo Nascimento
Crônicas Um coroa no Atacama Rodrigo Nascimento
Monografias Meu Currículo de Agronomia. Rodrigo Nascimento
Crônicas O café. Rodrigo Nascimento
Romance As coisas. Rodrigo Nascimento
Humor Um sonho delicioso e muito perigoso. Rodrigo Nascimento
Artigos Cai na real Facebook! Rodrigo Nascimento
Humor Uma Caminhada Engraçada. Rodrigo Nascimento
Contos Viajando no Tempo Rodrigo Nascimento

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 24.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
Vocabulario nipo-brasileiro (UDONGE) - udonge 54959 Visitas
Amores! - 54851 Visitas
Delícias da festa junina - Ivone Boechat 54831 Visitas
Desabafo - 54826 Visitas
Dores da paixão - Ivone Boechat 54826 Visitas
Leite com Pimenta - Rafael da Silva Claro 54825 Visitas
Carta para Sophie Scholl - Junho/2024 - Vander Roberto 54823 Visitas
🔴 Conto de fardas - Rafael da Silva Claro 54820 Visitas
A menina e o desenho - 54816 Visitas
Vivo com.. - 54813 Visitas

Páginas: Próxima Última