Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Educadores no parque das controvérsias
Ivone Boechat


Geralmente o discurso é a negação do próprio exemplo. Não se resiste à vaidades e egoísmos. Equilibram-se desculpas na roda gigante das controvérsias sociais e rodam-se mentiras na engrenagem da contradição.

Reclama-se do clima social e constroem-se cidadãos multiplicadores desta sociedade armada e triste. A estrutura celestial que nos sustenta se fragiliza nos esteios do corpo precocemente gasto e poluído. Memoriza-se o capítulo histórico da abolição da escravatura, como um chocalho para desviar a atenção de todo tipo de escravidão ao redor e no íntimo de cada um.

O parque de diversões da sociedade tem mais brinquedos e jogos de fazer chorar e simular a morte, porém, o preço é pago para a humanidade se divertir incessantemente com a dor e o extermínio próprio. É uma cavalgada que prossegue aos empurrões pelo esforço da sobrevivência. Andando, chorando, competindo, morrendo.

No mundo mágico das cavernas, o rosto das assombrações não assusta nem surpreende, a magia de sonhar nas curvas do desespero, faz os soldadinhos de chumbo desta guerra insana prosseguirem com a barriga estufada de ilusões.

Por onde andam os governantes obesos mentais que arrotam promessas de que tudo vai melhorar, desde que o contra-cheque dos funcionários continuem rodopiando para cobrir rombos do desperdício e da roubalheira?

Em que passarela desfilam correndo a família e os educadores que nem vêem o estrago da pedagogia que muito mais distorce e maltrata do que estrutura e constrói?

Nesse universo virtual estão confinados, abstratos e distraídos todos aqueles que outrora reclamavam das cavernas escuras dos primórdios e da aurora da vida. A humanidade brinca noite e dia com um brinquedinho que ela cria e sustenta, adoece e morre: a informação.

É preciso entender que a juventude que chega, nada romântica, agredida pela violência pra todo lado, hiper informada do feio, do mau, do ruim, tem o direito de sonhar, de viver melhor, de se aconchegar. Essa juventude está sendo convencida de que fank é música, que promiscuidade é amor, que religião é lucro,.

Educadores, tem jeito sim, mãos à obra.


Biografia:
Natural do Estado do Rio; Membro da Academis Munsial de Cultura e Literatura: Membro da Academia Duquecaxiense de Letras e Artes de Duque de Caxias-RJ; Autora de 16 livros, Consultora em Educação.
Número de vezes que este texto foi lido: 33954


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Refletir Ivone Boechat
Crônicas Dia dos pais Ivone Boechat
Artigos Para quem tem mais de 65 anos Ivone Boechat
Poesias Plágio Ivone Boechat
Poesias Inveja e ganância Ivone Boechat
Poesias Minha avó - mulher de paz Ivone Boechat
Poesias Coisas de mãe Ivone Boechat
Poesias Tenório, o homem da capa branca Ivone Boechat
Poesias Sou mãe Ivone Boechat
Poesias Gratidão à mãe Ivone Boechat

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última

Publicações de número 11 até 20 de um total de 292.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2021
 
  Textos mais lidos
LÍRIO - Alexsandre Soares de Lima 48069 Visitas
Guerra suja - Roberto Queiroz 47678 Visitas
A PRAIA DO PROGRESSO - Rosângela Barbosa de Souza 47368 Visitas
A tristeza no Nordeste - Wanessa Daiana de Brito 47243 Visitas
IHVH (IAHUAH) e ISV (IASHUA) - Gileno Correia dos Santos 46683 Visitas
Um dia serei algo - José Rony de Andrade Alves 46169 Visitas
Tempo - Luiz Fernando Sacramento Lusoli 45946 Visitas
Pou, a Majestade Não-Zoombi - Alice Silva 45735 Visitas
Conexão - Luca Schneersohn 45632 Visitas
Amanhã não saio fico em casa - Martinho do Rio 42536 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última