Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
EUREKA: HISTÓRIA E BOLOR
Tércio Sthal

Mergulhado na História
e no bolor dos livros antigos
da Biblioteca Nacional,
descubro que Deus não nasceu na Bahia,
nem eu nasci nas Gerais.

Descubro que
"quem não chora, não mama,"
e que as tetas da nação insuficientes são
para prover o sustento da geral.

Descubro que
"quem tem padrinho vivo não morre pagão,"
a não ser que o padrinho
não esteja nem aí com o seu afiliado,
com as regras gerais do jogo da vida,
com o Papa, o Bispo, o Padre ou o Pastor,
muito menos com sacristãos e coroinhas.

Descubro que
as uvas verdes nem sempre caem do pé,
que as maduras nem sempre estão
nos galhos mais baixos
e que não é de bom tom recolher as uvas
que caem do pé e se espalham pelo chão.

Descubro que
o Pé Grande mora lá longe,
lá onde todo mundo congela o pé,
ou onde todos esquentam a cabeça,
mas que Mão Grande tem
em todo espaço, tempo e lugar.

Descubro que,
ao longo da História,
sempre houve enfrentamentos,
derramamento de sangue e desamor.

Descubro que
a fé e a esperança não morrem,
pois configuradas estão
nos sonhos e nos ideais.

"Vade Mecum!"
"Quo Vadis?"

Já estou no Século Vinte e Um, ou não?
Lustrando botas e patas de cavalos,
ilustrando quadros com fotos
e imagens de índios escalpelados,
queimando bruxas como se responsáveis fossem
por todo o infortúnio da Humanidade.
Bodes expiatórios, a própria desumanidade.
Fogueiras sempre acesas, brasas vivas
e cinzas de casas mal construídas.

O Bem e o Mal, o mal e o bem,
bem ou mal estruturados ou reconhecidos.

Descubro que
o enforcado, em plena Praça Púbica,
põe a língua pra todo mundo,
enquanto estouram Champanhes
nos compartimentos dos Palácios.

Certamente este não é
o melhor dos espetáculos,
pois não estarrece a mais ninguém.

Entrementes,
o poeta escreve isto apenas
para cumprir o seu ignominioso ritual.
Não adverte, nem exagera.

Aqui e acolá,
por força de Ordem Judicial,
carcereiros soltam os prisioneiros.

Aos mártires restam as missas na Matriz.
Das feridas a expectativa de futura cicatriz.
Furiosamente protesta o Lobo da Estepe
que se transforma em algoz de si mesmo.

"Você tem fome de quê?
"Você tem sede de quê?"
Do que é que a gente precisa?

Talvez muito mais do que a História
e do bolor dos livros antigos
da Biblioteca Nacional!


Biografia:
Tércio Sthal, Natural de Tupã, SP, Poeta e Escritor, MBA em Gestão de Pessoas, Cadeira de nº 28 da Academia Nacional de Letras do Portal do Poeta Brasileiro, com publicações em coletâneas da Shan Editores, Autor de a Cidade das Águas Azuis e O Menino do Dedo Torto, Do Abstrato ao Adjacente, Inferências, Referências e Preferências em http://bookess.com e Lâminas e Recortes em Widbook.com
Número de vezes que este texto foi lido: 28870


Outros títulos do mesmo autor

Poesias LAVA DO VULCÃO Tércio Sthal
Poesias EM CAUSA PRÓPRIA Tércio Sthal
Poesias DEDO NO OLHO Tércio Sthal
Poesias QUE REMÉDIO? Tércio Sthal
Poesias TRAVESSEIRO MACIO Tércio Sthal
Poesias UMBIGO Tércio Sthal
Poesias TEMPOS MODERNOS Tércio Sthal
Poesias A SANGUE FRIO Tércio Sthal
Poesias DURO OU MOLE? Tércio Sthal
Poesias OLHO DO FURACÃO Tércio Sthal

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 266.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2019
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 57858 Visitas
A Arte De Se Apaixonar - André Henrique Silva 53093 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 39361 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 34973 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 34186 Visitas
Amores! - 33420 Visitas
Desabafo - 33044 Visitas
Reencontro - Jose Andrade de Souza 31819 Visitas
Faça alguém feliz - 31761 Visitas
Vivo com.. - 31464 Visitas

Páginas: Próxima Última