Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Eclipse de Lunna🌙
Romance
Joyce Carolynne

Resumo:
Um romance que narra a história de um amor proibido entre a lua e o sol...

Na escuridão de uma noite de lua nova as estrelas reluziam sobre o firmamento uma luz sobrenatural como se algo excêntrico fosse acontecer. Nesse momento uma delas desceu pelo infinito faiscando uma luz exótica, pela primeira vez uma estrela-cadente para realizar um desejo. Nesse instante a rainha Lua deu a luz a uma herdeira que chamou de Lumna Fairy Wicca a princesa de Lunna. Era mais bela que o brilho do luar e singela como o amanhecer, ela nasceu com uma marca no ombro em forma de lua que simbolizava a realeza.
     O rei e a rainha ficaram muito felizes com o nascimento da filha e decretaram uma festa, convidaram todos os súditos do Reino de Lunna e dos planetas associados, porém não convidaram ninguém do Reino de Solária pois ambos os reinos eram êmulos e tinham acabado de travar guerra.
Durante a festa a princesinha ganhou muitos presentes dentre eles: uma escova mágica de poeira prateada, um espelho Lunar que permitia ver o futuro e da sua mãe um talismã de lua, cada qual mais deslumbrante. nesse momento cheia de indignação Edwina olhava da janela do Palácio de Lunna, encolerada por não ter sido convidada a feiticeira jurou vingança.
    Quando a festa acabou e todos adormeceram Edwina capturou a criança e levou-a para o planeta terra onde refugiou-se implicitamente do Reino Lunar. Edwina criou ela fazendo-a acreditar que era sua mãe, o tempo passou e quando Lumna cresceu Edwina trancou-a em uma torre altíssima onde a isolava de tudo.Ao completar dezesseis anos a jovem estava cada vez mais encantadora, seus cabelos eram negros como a noite e sua pele alva como a lua, sempre ao anoitecer a jovem subia para a sacada altíssima onde admirava o luar e cantava enquanto a leve briza agitava seus longos cabelos e suas vestes brancas, sua voz era maravilhosa e seu olhar escondia um encanto: a lua, a lua brilhava em seu olhar.
    Em uma tarde ao pôr- do- sol Edwina disse a Lumna:
-filha ficarei distante por um tempo e quero me certificar que você esteja segura, não saia e não desça para o porão pode ser perigoso.
Lumna respondeu:
-Sim mãe pode ir tranquila.
E a feiticeira evadiu-se pelo infinito.
Lumna não conseguiu dormir,passou a noite pensando "o que haverá de tão misterioso naquele porão?".
     Ao raiar do novo dia depois de tomar o café da manhã que Edwina deixou em uma mesa mágica Lumna correu para o porão, desceu as escadas que pareciam não ter fim, ao chegar lá viu uma grande porta antiga cheia de teias de aranha, Lumna se assustou, segurada em um candelabro ela iluminou a fechadura e destrancou com uma chave que estava pendurada em uma antiga estátua de gárgula, ao entrar no porão Lumna ficou apavorada com a escuridão, olhou ao redor e viu uma antiga biblioteca, prateleiras carregadas de poções e mandingas, entre essas coisas ela viu uma que chamou sua atenção: uma escova que reluzia no escuro uma poeira prateada e viu um espelho com formato de lua, encantada com os mágicos objetos Lumna correu para seu quarto e levou-os consigo, olhou o espelho e se surpreeendeu: viu ela entre a lua e o sol e viu uma luz dourada que mesclava-se com uma poeira prateada, assustada e sem entender o que tinha visto Lumna guardou o espelho.
     Ao cair da noite ela subiu para a sacada altíssima onde começou a cantar acompanhada da briza, o céu estava exóticamente estrelado era uma noite de lua nova, enquanto cantava ela se deparou com uma luz dourada que descia intensamente em sua direção, assustada a jovem correu para seu quarto e ficou olhando da janela...a luz começou a criar forma, sua forma era de um belo rapaz que desceu sobre a sacada, ela saiu para vê-lo mais de perto e ele falou:
-Olá encantadora jovem és mais bela que um raio de luar, serena como a noite, singela como o amanhecer. com quem tenho o prazer de falar com tamanho encanto carregada de fulgor?
-Eu me chamo Lumna, obrigada pela reverência e tamanha gentileza, como se chamas?
Sem querer assusta-la e revelar que era Príncipe do Sol ele apenas disse:
-Deuza da noite rainha do luar me chame de Ramón
Dias se passaram e eles se tornaram amigos ,todas as noites ele ia para a sacada vê-la onde ficavam olhando as constelações.o tempo passou e eles se apaixonaram ardentemente.
      Em uma noite de lua cheia as estrelas faiscavam intensamente um brilho exótico, Lumna estava no seu quarto se arrumando a espera de Ramón, ela pegou sua escova prateada e escovou seus cabelos, no mesmo instante eles brilharam como o luar, ela ficou impressionada e ao mesmo tempo surpresa. e foi para sacada espera-lo...Quando Ramón chegou ao vê tamanha sensualidade ele disse:
-Nossa! nesta noite sois mais bela que a estrela d'alva, mais deslumbrante que a própria lua que é ofuscada com teu olhar, deuza dos meus pensamentos rainha do Luar.
-Obrigada por tamanha gentileza.
Ficaram juntos contemplando o luar, nesse instante uma estrela desceu rasgando o infinitivo com seu brilho ofuscante...ele olhou nos olhos dela e disse:
-Teus olhos refletem os meus deuza do luar, vejo a lua em teus olhos veis o sol em meu olhar. não importa se opostos somos irei sempre te amar.
E os lábios de ambos apaixonados se encontraram, um beijo ardente carregado de paixão.passaram uma noite de amor sobre o claro das estrelas e da lua.
     Ao amanhecer Edwina voltou, ao vê-los se enfureceu lançou um feitiço mandando ele de volta ao Reino de Solária e puxou Lumna , acorrentou-a na sacada e cortou seus longos cabelos...Ao cair da noite ao ver o luar ela ja não tinha forças para cantar, seu coração estava partido e a solidão a dominava, ela começou a chorar, amava ele mas era proibida, começou a cantar, nesse momento as correntes se quebraram e estrelas nasceram de suas mãos, seus cabelos cresceram novamente prateados e ofuscantes.Lumna subiu no Pilar da sacada, a briza sacudia suas vestes e seus cabelos, olhou para o céu e para o chão e disse:
-Chegou a hora...
E se jogou da sacada,mas não caiu, nela brotaram tenues asas e voou em direção a lua onde encontrou seus verdadeiros pais.
    Muito felizes com sua volta eles deram uma festa, ela passou a festa inteira procurando seu amado mas não o encontrou, Lumna ficou muito triste, ela falou para sua mãe a verdade e ela conversou com o marido, ambos não estavam de acordo em deixar a filha se casar com um rapaz da família de Solária e trancaram ela em seu quarto, a rainha ordenou a uma ninfa da lua que se desfarçar-se de Lumna fosse até Ramón e terminasse com ele, e assim foi feito, a ninfa se passou por Lumna e ele acreditou...Ao saber disso Lumna chorou muito, se recusava a comer e só vivia isolada no seu quarto, sentia falta do seu amado o amava mais que qualquer coisa, seu coração estava partido era um amor proibido.
     Dias se passaram e Ramón ja estava com outra, era uma plebeia de Marte chamada Mirianny, ao saber disso Lumna ficou muito triste não queria mais viver, a rainha levou-a para um salão onde apresentou a ela um rapaz do Reino de Lumna e disse:
-filha esse é Itilio seu futuro marido
Ao ouvir isso Lumna correu para o seu quarto chorando...
   Nesse momento Ramón estava com Mirianny em uma festa no Palácio de Solária, de mãos dadas com ela ele olhou para as estrelas e se lembrou da noite que tinha passado com Lumna, ele ainda a amava, um amor que nunca ia acabar...
Lumna ficou sabendo dessa festa que eles tinham ido juntos e sentiu um aperto no coração , lágrimas eram pouco pra expressar a sua dor.
      Muitos dias se passaram, em uma noite de lua nova Lumna estava em seu quarto, a mãe dela anunciou que era o dia de seu casamento com Itílio,ela chorou sem parar, a rainha arrumou-a e ficou a espera. Lumna estava ainda no quarto chorando, nesse instante uma estrelar apareceu pra ela e disse:
-não chore ainda é tempo vá em busca do seu amado.
E ela foi voando para Solária e não o encontrou, na volta ela o viu sozinho em uma constelação , chorando por ter ficado sabendo que ela ia se casar, ela foi ao encontro dele e contou tudo que tinha acontecido e ele disse que estava com a plebeia de Marte mas não a amava, nunca tinha deixado de amar Lumna, ambos voaram de mãos dadas para a via láctea onde se casaram com a lua e as estrelas como testemunhas, se beijaram intensamente .nesse momento ocorreu um eclipse a lua se encontrou com o sol. a União dos dois reinos foi decretada pela nova rainha Lumna e o rei Ramón. " O que o amor uniu ninguém jamais irá separar. não importa quanto tempo passar sempre irei te amar" ...





Biografia:
Encantos de luar🌙
Número de vezes que este texto foi lido: 54838


Outros títulos do mesmo autor

Romance A pétala de cerejeira🌸🍒🌸 Joyce Carolynne
Romance 16 Luas Joyce Carolynne
Romance A flor do sertão🌹🌵 Joyce Carolynne
Romance Coração da mata🌳🍃 Joyce Carolynne
Romance As asas do desejo☁🍃 Joyce Carolynne
Romance Anjo da noite ☁ Joyce Carolynne
Romance Sonho de verão🌊🌴⛅ Joyce Carolynne
Romance Eclipse de Lunna🌙 Joyce Carolynne


Publicações de número 1 até 8 de um total de 8.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
Minicurso sobre a redação no ENEM - Isadora Welzel 79742 Visitas
URBE - Darwin Ferraretto 59556 Visitas
Salvando computador muito ruim - Vander Roberto 55646 Visitas
Contraportada de la novela Obscuro sueño de Jesús - udonge 55564 Visitas
81 anos da prisão e morte dos Rosas Brancas - Vander Roberto 55457 Visitas
Delícias da festa junina - Ivone Boechat 55393 Visitas
QUE SE... - orivaldo grandizoli 55375 Visitas
Lançamento do livro - Alberto Kopittke 55364 Visitas
Nua, totalmente indefesa - rodrigo ribeiro 55311 Visitas
O estranho morador da casa 7 - Condorcet Aranha 55302 Visitas

Páginas: Próxima Última