Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
PROBLEMAS, PROBLEMAS...
Orlando Batista dos Santos

Detesto chamar meus vizinhos e meus amigos pelo apelido que cada um tem. A única vez que botei um apelido em alguém foi “ Zé do Jegue”, porque ele possuía um jegue de estimação. O apelido pegou fácil, mas até hoje estou arrependido pelo gesto infeliz e de mau-gosto que tive. E não é que muitos anos depois, meu filho acabou adquirindo uma jumenta? Nascido na cidade, o moleque não tinha a menor queda para a equitação, o que obrigou-me a adotar a jumenta. Aqui se faz, aqui se paga. Paguei.
Como eu ia dizendo, Baxin, Chupa-cabra, Isquisito, Minhoca, Sei-lá e Xuxa, são alguns dos apelidos de amigos que eu não aprovo. Como não fui eu quem os inventou, paciência. Mas, voltemos ao título desta crônica:
Há poucos dias, o Lingüiça – digo, o João, um vizinho meu, procurou-me na intenção de desfazer um mal-entendido que atormentava-lhe as idéias. Queria desculpar-se, pelo fato de eu tê-lo cumprimentado sem obter a recíproca. Fora censurado pela esposa e, mesmo alegando não ter ouvido o meu “bom-dia”, não teve perdão. Vá retratar-se – diziam-lhe a esposa e consciência.
Ás vezes as preocupações deixam a gente fora dos eixos, distraídos mesmo, justificou-se. É verdade, consenti, no mundo de hoje, tudo é muito complicado.
E a conversa continuou, até que os pingos fossem colocados nos devidos “is”:
Ele – São muitos os problemas...
Eu – De fato, são muitos os problemas...
Ele – Peço-lhe desculpas.
Eu – Não foi nada, a vida é assim.
Ele – Sabe que outro dia aconteceu a mesma coisa com você?
Eu – Como assim!!!
Ele – Quando você passou, eu disse “boa-tarde”, mas você não notou.
Eu – Não diga, rapaz!
Ele – Aí eu pensei: ele deve estar com muitos problemas...
Eu – É, sou muito distraído... Peço-lhe mil desculpas...
Ele – Não foi nada, a vida é assim mesmo...

João está desempregado há pelo menos dez anos. Tinha acabado de “tomar uma”, recurso que o auxilia a agüentar os trancos da vida, mas conservava na fala e no olhar uma ternura quase santa, uma resignação inexplicável, atributos que só os inocentes experimentam. Invejei-o.


Biografia:
Estudioso do Folclore e da Cultura Popular de raízes caipiras. Autor do livro Heróis Caipiras. http://www.clubedeautores.com.br/book/119026--HEROIS_CAIPIRAS Presidente da Associação de Produtores da Agricultura Urbana de Campinas e Região. Blog: http://aproagriup.blogspot.com.br
Número de vezes que este texto foi lido: 54888


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Poema do Nascimento Orlando Batista dos Santos
Crônicas CAIPIRAS EM GUERRA Orlando Batista dos Santos
Contos SEO DONATO Orlando Batista dos Santos
Artigos OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR Orlando Batista dos Santos
Crônicas Trabalha, Negro, Canta e Dança Orlando Batista dos Santos
Artigos FOLCLORE - CHUPA-CABRA: O NASCER DE UM MITO Orlando Batista dos Santos
Crônicas OS MEDOS DA GENTE Orlando Batista dos Santos
Poesias ENGENHO NOVO Orlando Batista dos Santos
Poesias FELICIDADE É... Orlando Batista dos Santos
Contos SACI, OU O DEMO EM PESSOA? Orlando Batista dos Santos

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 17.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
Minicurso sobre a redação no ENEM - Isadora Welzel 79742 Visitas
URBE - Darwin Ferraretto 59556 Visitas
Salvando computador muito ruim - Vander Roberto 55646 Visitas
Contraportada de la novela Obscuro sueño de Jesús - udonge 55564 Visitas
81 anos da prisão e morte dos Rosas Brancas - Vander Roberto 55457 Visitas
Delícias da festa junina - Ivone Boechat 55394 Visitas
QUE SE... - orivaldo grandizoli 55375 Visitas
Lançamento do livro - Alberto Kopittke 55364 Visitas
Nua, totalmente indefesa - rodrigo ribeiro 55311 Visitas
O estranho morador da casa 7 - Condorcet Aranha 55303 Visitas

Páginas: Próxima Última