Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
PROBLEMAS, PROBLEMAS...
Orlando Batista dos Santos

Detesto chamar meus vizinhos e meus amigos pelo apelido que cada um tem. A única vez que botei um apelido em alguém foi “ Zé do Jegue”, porque ele possuía um jegue de estimação. O apelido pegou fácil, mas até hoje estou arrependido pelo gesto infeliz e de mau-gosto que tive. E não é que muitos anos depois, meu filho acabou adquirindo uma jumenta? Nascido na cidade, o moleque não tinha a menor queda para a equitação, o que obrigou-me a adotar a jumenta. Aqui se faz, aqui se paga. Paguei.
Como eu ia dizendo, Baxin, Chupa-cabra, Isquisito, Minhoca, Sei-lá e Xuxa, são alguns dos apelidos de amigos que eu não aprovo. Como não fui eu quem os inventou, paciência. Mas, voltemos ao título desta crônica:
Há poucos dias, o Lingüiça – digo, o João, um vizinho meu, procurou-me na intenção de desfazer um mal-entendido que atormentava-lhe as idéias. Queria desculpar-se, pelo fato de eu tê-lo cumprimentado sem obter a recíproca. Fora censurado pela esposa e, mesmo alegando não ter ouvido o meu “bom-dia”, não teve perdão. Vá retratar-se – diziam-lhe a esposa e consciência.
Ás vezes as preocupações deixam a gente fora dos eixos, distraídos mesmo, justificou-se. É verdade, consenti, no mundo de hoje, tudo é muito complicado.
E a conversa continuou, até que os pingos fossem colocados nos devidos “is”:
Ele – São muitos os problemas...
Eu – De fato, são muitos os problemas...
Ele – Peço-lhe desculpas.
Eu – Não foi nada, a vida é assim.
Ele – Sabe que outro dia aconteceu a mesma coisa com você?
Eu – Como assim!!!
Ele – Quando você passou, eu disse “boa-tarde”, mas você não notou.
Eu – Não diga, rapaz!
Ele – Aí eu pensei: ele deve estar com muitos problemas...
Eu – É, sou muito distraído... Peço-lhe mil desculpas...
Ele – Não foi nada, a vida é assim mesmo...

João está desempregado há pelo menos dez anos. Tinha acabado de “tomar uma”, recurso que o auxilia a agüentar os trancos da vida, mas conservava na fala e no olhar uma ternura quase santa, uma resignação inexplicável, atributos que só os inocentes experimentam. Invejei-o.


Biografia:
Estudioso do Folclore e da Cultura Popular de raízes caipiras. Autor do livro Heróis Caipiras. http://www.clubedeautores.com.br/book/119026--HEROIS_CAIPIRAS Presidente da Associação de Produtores da Agricultura Urbana de Campinas e Região. Blog: http://aproagriup.blogspot.com.br
Número de vezes que este texto foi lido: 29233


Outros títulos do mesmo autor

Contos BATICO Orlando Batista dos Santos
Crônicas PROBLEMAS, PROBLEMAS... Orlando Batista dos Santos
Crônicas CAMPINAS, GIBRAN E GALEANO Orlando Batista dos Santos
Crônicas UM GENERAL EM MEU QUARTO Orlando Batista dos Santos
Artigos PRA LÁ DE CAIPIRA Orlando Batista dos Santos
Teatro A GUERRA DA ÁGUA Orlando Batista dos Santos
Cartas SIGA TEU CORAÇÃO, MARIANE Orlando Batista dos Santos

Páginas: Primeira Anterior

Publicações de número 11 até 17 de um total de 17.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
ALEGRIA DE AMAR - Alexsandre Soares de Lima 0 Visitas

Páginas: Primeira Anterior