Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
O Fardo Lançado Sobre Deus
Octavius Winslow

Título original: The Burden Cast upon God

Por Octavius Winslow (1808-1878)

Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra

"Lança o teu fardo (ou cuidados) sobre o Senhor, e Ele te susterá". (Salmos 55:22).

Quem, cujo olho sendo iluminado pelo caráter que estas palavras notáveis retratam não sentirá que elas lhe pertencem? Quem não está sobrecarregado? Quem não carrega alguma carga pesada, vacila e desmaia, sob a pressão de algum peso irritante, talvez esmagador, de enfermidade, provação ou cruz, ao longo das avenidas da vida? Não há cláusula de exceção na aliança da graça que exima os santos de Deus dos fardos. Sim, a própria provisão dessa aliança - "uma aliança ordenada em todas as coisas" - implica sua existência, seu caráter variado e profunda necessidade. O concerto da graça é feito para um povo pobre e aflito, que o Senhor deixou no meio do Egito, para saber por experiência o que a plenitude e a preciosidade daquela aliança é, devemos ser esvaziados, provados, sobrecarregados.
É apenas o pobre pecador que vive da riqueza de Cristo, a alma vazia que vive na plenitude de Cristo, o santo fraco que vive do poder de Cristo, o crente tentado, aflito e atribulado que vive da graça, da simpatia e do amor de Cristo. A extensão de nossa necessidade consciente é a medida de nossa vida de fé em Jesus. Combinamos nossa fraqueza com Sua força, nosso demérito com Sua justiça, nossa indigência com Sua opulência, e penduramos nosso vaso vazio sobre Sua suficiência ilimitada e insondável. Amado, amarre com fio de ouro este precioso pensamento: "O MEU VAZIO ME CONDUZ PARA A PLENITUDE DE CRISTO, E A PLENITUDE DE CRISTO É DESIGNADA PARA O MEU VAZIO".   
Mas, que grande e preciosa exortação e promessa é esta: "Lançai o vosso fardo sobre o Senhor, e ele vos susterá". Há versões que trazem “dom” no lugar de “fardo”. Aceitamos ambas as leituras como corretas. Tudo o que recebemos do Senhor, recebemos como um presente - o dom de Sua mais livre graça e amor. O crente vê e prova a graça livre em cada bênção de Seu Pai Celestial. Ele a vê no sol que o alegra, na primavera que o refresca, na brisa que o abana, nas flores que o deleitam. Ele a vê no amor que o conforta, na amizade que o fortalece, na simpatia que o acalma, na mão estendida que alivia sua necessidade.
E ainda, o filho de Deus vê a graça livre - o dom do Pai - em cada nuvem que escurece, em cada tristeza que embarga, em cada decepção que fere, em todo fardo que esmaga.
Mas, infinitamente além de tudo, ele vê e prova a graça livre no sangue que o perdoa, na justiça que o justifica, no amor que o adota, na voz que o chama e nas promessas que se comprometem a trazê-lo para casa em glória! Sobre a "porta da esperança" que nos abriu no escuro "vale de Acor" da nossa pobreza e do nada, as palavras maravilhosas são escritas - "POR GRAÇA VOCÊ É SALVO."
Todos estes como dons, naturais e espirituais, devem ser lançados sobre o Senhor; em outras palavras, empregados em Seu serviço e devotados para a Sua glória. É talento? É riqueza? É influência? É tempo? É graça? - Lance o seu dom - seja qual for o talento que seja - sobre o Senhor; consagrando a todos, e empregando tudo sem reservas para Ele.
Mas, restringimos nossa exposição da passagem ao texto recebido. "Lança o teu fardo sobre o Senhor". O povo do Senhor é verdadeiramente um povo sobrecarregado. Eles de toda a criação são os mais sobrecarregados. São conscientes dos fardos dos quais o mundo não regenerado é totalmente inconsciente. Em primeiro lugar, amados, vocês sentem a carga do pecado? Esta é uma prova da vida espiritual. Como um corpo morto não tem sensibilidade e não sente pressão, assim uma alma morta em delitos e pecados não tem consciência do corpo do pecado e da morte a que pertence.
Um cadáver não chora, nem geme, nem suspira, nem chora sua condição humilhada; nenhuma alma espiritualmente morta clama do seu túmulo de corrupção: "Ó infeliz que eu sou, quem me livrará deste corpo de pecado e de morte?" E por que não? Porque não há vida, e onde não há vida, não há sensibilidade. Se, meu amado, a consciência do pecado é a sua carga - se o seu maior suspiro, e mais profundo gemido, e a sua mais amarga lágrima brota do sentimento de pecado interior, é uma das mais fortes evidências da vida espiritual - que você é na verdade uma alma viva. O Espírito de Deus inspirou-lhe a vida divina e, assim, vivificado você clama: "Ai de mim, porque estou perdido, porque eu sou um homem de lábios impuros".
Sigam adiante, vocês que desesperadamente pensaram que não tinham relação familiar com os filhos de Deus, já que discernem tanto em seu coração o que é contrário à natureza do Pai, quanto em seu espírito o que é contrário à imagem dos irmãos, e que dizem: "Eu me abomino e me arrependo no pó e na cinza" – recebam o consolo de que esse fardo consciente prova a sua posse de sensibilidade espiritual, e este lamento amargo evidencia a vida de Deus em sua alma. Oh, sim, o povo do Senhor é um povo sobrecarregado, e o peso do pecado que nele habita é o maior fardo de todos.
Tal também é o fardo da alma recentemente despertada. De onde veio uma grande indagação - "Que farei para ser salvo?" De onde veio o apelo tocante - "Senhor, ajude-me!" De onde veio o grito agonizante - "Deus seja misericordioso comigo, um pecador!" Ele nasce da consciência despertada, da alma afligida pela culpa, o pecador acaba de sentir que seus pecados são um fardo, convencido de que ele é pobre e miserável, perdido, e sem Cristo deve perecer para sempre.
A QUEM o Salvador fez este maravilhoso convite, cujo poder e sabedoria continuará até que o último pecador desperto olhe para Cristo e viva: "Vinde a Mim, todos vós que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei." Oh, foi exatamente a alguém como você! O Espírito Santo descobriu a sua pecaminosidade, mostrou-lhe quão "pobre e cego, miserável e nu" você é? Sua carga de pecado parece muito grande para você suportar? Venha e lance-a sobre Cristo, o grande carregador do pecado do pecador! Este grande, gracioso e livre convite é endereçado, alma culpada, a você, e nada ousará proibir sua aceitação. Cristo afirma isso, e quem dirá não, quando Cristo diz sim?
O amor que lhe oferece para vir, será acompanhado com o poder que lhe permite vir e na fé simples lançar essa carga de pecado e culpa sobre o amoroso, Salvador Todo-Poderoso, que sozinho pode arrancá-lo de sua alma e dar-lhe descanso. Você não tem nada a ver nem com seu fardo nem com sua dimensão. Essa é a preocupação de Cristo. A sua é simplesmente acreditar que Ele foi entristecido por ele no Getsêmani, morreu por ele na cruz e agora convida você a transferi-lo para Ele, sentado em glória sobre Seu trono. Você não tem nada a fazer no assunto, senão acreditar para tomá-lo em Sua palavra, e assim encontrar descanso para o seu espírito de culpa-oprimido e cansado do pecado.
"Venha a Mim, cansado, venha!
Você pesado e sobrecarregado, deixe de vagar!
Vou refrigerar o peito cansado,
E dar descanso ao espírito sobrecarregado.
Palavra doce, isso acalma minha alma perturbada,
Ele pede que minha tristeza cesse de rolar;
Sorrisos como o arco-íris no fundo,
E silencia todas as minhas aflições para eu dormir.”
Talvez um sentimento de recuo do Senhor seja o seu fardo. Você corria bem, andou perto de Deus e amou alimentar-se em verdes pastagens com o rebanho e ao lado da tenda do Pastor; mas não amou o rebanho, e partiu e não andou mais com Jesus. E agora o Pastor foi atrás de você, e pelo suave movimento de Seu Espírito em seu coração está atraindo você de volta com choro, lamento e confissão. As suas partidas são pesadas, e, como Efraim, feriu a coxa e se envergonhou até exclamar: "Converta-me e serei convertido, porque Tu és o Senhor meu Deus".
Vem, pois, pobre desamparado e vacilante, afastado do redil, para o lado do Pastor, e ouça a terna e perdoadora linguagem daquele Deus e Pai contra quem pecaste. "Não é Efraim meu filho querido? filhinho em quem me deleito? Pois quantas vezes falo contra ele, tantas vezes me lembro dele solicitamente; por isso se comovem por ele as minhas entranhas; deveras me compadecerei dele, diz o Senhor." (Jeremias 31:20). Aproxima-te, alma penitente, embora vagueante, ainda um filho; apesar do seu retrocesso, e lance o fardo de suas costas sobre Jesus, cujo amor imutável e graça restauradora agora estão gentil e eficazmente atraindo você de volta para Si mesmo. "Levantar-me-ei e irei a meu Pai, e lhe direi: Pai, pequei contra o Céu e diante de Ti".
"Volta, ó errante, volta,
E procure o rosto de um Pai ferido;
Aqueles desejos ardentes que lhe queimam
Foram acesos pela graça de recuperação."
Talvez seu fardo seja mental. Não há, provavelmente, nenhuma pressão tão agudamente sentida como aquela em que a mente está mais imediatamente preocupada. Qualquer tentação, seja espiritual ou temporal, que implique os poderes mentais, implica um fardo que nada menos que um poder sobrenatural pode sustentar.
O Senhor julgou oportuno enviar este véu de nuvens à sua mente, que durante algum tempo obscurece a sua evidência cristã, obscurece sua esperança, enfraquece seu domínio sobre o Salvador, deprime você até o desânimo e o leva quase ao desespero. E agora você questiona a sinceridade de sua profissão cristã, duvida da realidade de sua conversão, e está pronto para ignorar a esperança do céu que uma vez tão felizmente apreciou. Tudo isso, entretanto, é o efeito somente de uma mente mórbida, nervosa e por uma temporada, temporariamente desarrumada; mas cuja regeneração espiritual, cuja vida escondida, e cuja segurança eterna nada pode tocar.
A criação ilustra essa ideia. O sol é eclipsado, mas não aniquilado. As estrelas são veladas, mas não extintas. Nuvens escuras podem cobrir Cristo dos olhos do crente, mas nada extingue, ou pode diminuir um pouco seu grande amor aos Seus santos. A depressão mental pode obscurecer suas evidências cristãs - aquelas estrelas da alma que sorriem sobre ela tão brilhantemente, mas o selo Divino do espírito nada nunca poderá remover. O filho da luz pode andar nas trevas e ser um filho da luz ainda, porque uma vez um filho, sempre um filho!
Tal é a carga que o Senhor convida a lançar sobre Ele! Nenhum santo ou anjo pode simpatizar com ela como Jesus pode. Ele passou por uma angústia mental infinitamente mais escura e mais esmagadora do que a sua. E Ele permitirá que você sucumba a este eclipse temporário, ou permitirá que você mergulhe sob essas águas escuras? Permitirá que o inimigo aproveite sempre as suas enfermidades físicas, trabalhando assim em seus sentimentos mentais e espirituais, produzam tanta tristeza, inquietação e angústia?
Não! No exercício de Seu divino poder, Ele clamará: "Até aqui virão, e não mais adiante". As trevas e a luz estão debaixo do Seu comando, e ambos, na experiência de Seus santos, trabalham juntos para o bem. Se alguma vez a simpatia daquele que na terrível e incomparável escuridão de Sua alma exclamou: "Meu Deus, meu Deus, por que Me desamparaste", flui para ti agora. E você acha que esta escuridão temporária da mente através da qual você está passando, diminui o amor, ou abala a fidelidade, ou prejudica o poder da aliança do seu Deus e Pai?
Impossível! Ouça Sua maravilhosa linguagem. "Os montes se afastarão e serão removidos, mas a minha bondade não se apartará de vós, nem o pacto da minha paz será removido, diz o Senhor que tem misericórdia de vós". Alegre-se, então, você triste e desesperado! Por que você está abatido? Espera em Deus, pois esta longa e triste noite de choro será, antes de muito tempo e para sempre, fundida em uma brilhante manhã de alegria.
Pesado, também, é o fardo da aflição. Quem não o encontra entre os muitos que ele carrega ao longo da estrada cansada e empoeirada da vida? "Muitas são as aflições dos justos." E novamente: "O Senhor prova os justos". Mais uma vez: "Aquele a quem ama o Senhor ele castiga e açoita a todo filho a quem recebe". Assim, se você é um santo aflito, um crente convicto, um filho castigado, carregado de cuidados, de angústias, de tristezas e de pesadas aflições, você usa apenas as vestes do reino espiritual a que pertence. Mas, os selos e evidências de uma filiação mais nobre e relacionamento mais próximo com Deus afirmam. "Se você suportar o castigo, Deus lida com vocês como filhos". Aceitem, pois, com mansidão e amor estas evidências Divinas - essas provas sagradas de adoção - até mesmo as muitas provações, as mais dolorosas tentações e correções com que o Pai Celestial, em amor, vê a oportunidade de visitá-los.
Mas, talvez, seus deveres, provações e necessidades domésticas, formam a sua carga. Cada casa é um reino de embriões, um mundo do qual o pai constitui a cabeça. Há leis a serem obedecidas, regras a serem observadas, assuntos a serem governados, cuidados a serem sustentados, demandas a serem cumpridas, e "quem é suficiente para tudo isso?" É muitas vezes o seu inquérito ansioso. Quem pode dizer que esmagadores fardos, que amargas tristezas, que cuidados corrosivos, que exigências urgentes, podem existir dentro de um único círculo familiar, profundamente velado de todos os olhos, exceto de Deus? Você é talvez um viúvo, enlutado e desolado; ou você é uma viúva solitária e desamparada. Seus filhos são uma ansiedade, seus deveres domésticos uma provação, suas necessidades estão pressionando, toda a sua posição é de constrangimento e depressão.
O que você deve fazer? Faça como o Senhor que lhe ama, ordena: "Lança o teu fardo sobre o Senhor, e Ele te susterá". Seu Pai Celestial conhece todas as suas provações em seu lar, porque Ele as enviou! Jesus, embora não tivesse casa na terra, simpatizava com os cuidados domésticos e com os sofrimentos dos outros, e não é um estranho, nem indiferente ao seu. Traga tudo para Ele, diga a Ele tudo, confie a Ele, confie nele em tudo. Você não tem uma provação familiar muito grande, e nenhuma necessidade doméstica muito pequena para levar a Cristo. Obedeça o preceito: "Lança o teu fardo sobre o Senhor"; E Ele cumprirá a promessa, "e Ele vos susterá".
Mas quem é o nosso portador de fardos? "Lança o teu fardo sobre o Senhor". JEOVÁ-JESUS é o grande Carregador de Seu povo. Nenhum outro braço, e nenhum outro coração, no céu ou na terra, eram suficientemente fortes, ou amáveis, para suportar esses fardos, exceto os dele! Aquele que carregou o peso do nosso pecado, da maldição e da vergonha em Sua obediência e morte - levou-o ao longo de todas as vias de Sua cansada peregrinação, de Belém ao Calvário - é Ele que agora estende Seu braço Divino e desnuda o coração de um Irmão para assumir o seu fardo de cuidados e de tristeza, querido santo de Deus, sobre Si mesmo. Você pode por um momento questionar Seu poder ou Seu amor depois de tudo o que Ele tem feito por você? Isso seria cruel incredulidade de fato!
Mas, como poderemos descrever a ternura de Cristo para com os seus sobrecarregados, e a gentileza com que Ele os conduz? "Ele apascenta o seu rebanho como um pastor: Ele recolhe os cordeiros nos seus braços e os carrega perto do seu coração, ele conduz suavemente aqueles que são pequeninos e que estão sobrecarregados” (Isaías 40:11). Você está cansado com seu fardo de aflições profundas. Seu coração pecaminoso é um fardo. Sua falta de fé, amor e fecundidade é um fardo. Você está, por assim dizer, passando por um esforço doloroso da alma, um fardo para si mesmo, abatido e desanimado pelo caminho.
Mas oh, abençoado consolo! Jesus conduz você, e o conduz delicadamente. Todos os outros o conduziram, o mundo o conduziu, Satanás o conduziu, seu próprio coração impulsivo e o juízo cego conduziram, e até os santos o conduziram - mas Jesus o conduz com ternura, habilmente e com segurança. Ele é o Pastor cuidadoso e amoroso que não invade Suas ovelhas, especialmente os fracos, os doentes, os sobrecarregados, os pequeninos de Seu rebanho.
Ele conhece sua carga - "seu fardo". A linguagem maravilhosa de Deus é "eu conheço suas tristezas". Ele sabe como seu amigo que o amou se foi como uma sombra, como sua cabeça que o abrigou está ferida em uma noite, como a voz que foi a música mais doce para você é silenciada na quietude da morte, como o grupo forte e bonito que te sustentou está quebrado e está uma ruína na poeira. Jesus sabe tudo - e Ele está guiando você através de tudo. Ele está guiando você por essas mesmas providências sombrias; estes acontecimentos que parecem tão adversos, desta forma que parece tão sombria, essas relações que parecem tão misteriosas, dolorosas e esmagadoras. Quão preciosa e suave é a promessa: “E guiarei os cegos por um caminho que não conhecem; fá-los-ei caminhar por veredas que não têm conhecido; tornarei as trevas em luz perante eles, e aplanados os caminhos escabrosos. Estas coisas lhes farei; e não os desampararei." (Isaías 42.16).
Conforme Jesus assim gentilmente conduz, então sigam-no com mansidão, confiantemente, acreditando que Sua mão é poderosa, Seu coração é amoroso, Seu olho não é cego, e Ele está nos guiando pelo caminho certo para estar com Ele para sempre.
Mas, a pergunta surgirá em seu coração, como eu vou lançar sobre ele o meu fardo? A resposta está à mão. Na fé e pela oração. É através de um ato de fé simples e oração que transferimos nossos cuidados e ansiedades, nossas dores e necessidades, para o Senhor. Apenas acredite que Deus é capaz de fazer tudo o que você precisa, e que lhe pede para fazê-lo. Apenas acredite que Cristo está disposto a conceder tudo o que você pede. Só acredite que Ele é o mais verdadeiro, o mais amoroso, o mais fiel quando Ele convida você a vir e apoiar-se sobre Ele, e se inclinar com todas as suas forças sobre aquele braço que equilibra o universo e sobre aquele peito que sangrou por você na lança do soldado!
Talvez fé e incredulidade estejam lutando dolorosamente dentro de seu coração tentado e ansioso. Você crê que Deus é capaz de suportar sua carga, mas você questiona Sua disposição para suportá-la. Ou, talvez, você não questione Sua prontidão, mas você duvide e pergunte: "O Senhor é capaz de fazer isso por mim?" E assim, enquanto você está debatendo um assunto sobre o qual não há a sombra de uma sombra de dúvida, o fardo está esmagando seu espírito gentil levando-o para a poeira. E, enquanto Jesus está ao seu lado e diz amorosamente: "Tomai sobre vós o meu fardo e sustentar-vos-ei, sou Deus Todo-Poderoso. Carreguei a carga do vosso pecado e condenação no madeiro do Calvário, A onipotência e a mesma força de amor que tudo suportou por você, está preparada para suportar sua necessidade e tristeza agora.”
"Filho do Meu Amor, deixa-me sentir a pressão do teu cuidado, eu conheço o teu fardo, filho!" Eu o formei - Eu o equilibrei em Minha própria mão e não fiz nenhuma proporção do seu peso à sua força sem ajuda. Como eu o coloquei, eu disse que estarei perto, e enquanto ele se inclinar sobre Mim, este fardo será meu, não seu, assim eu manterei Meu filho dentro dos braços de Meu próprio amor. Não tenha medo de lançá-lo em um ombro que sustenta o governo dos mundos! Ainda mais perto, e você não está perto o suficiente, Eu iria abraçar o seu fardo, para que eu possa sentir meu filho repousar sobre o meu peito. Você me ama! Não duvide, então, mas, amando-me, achegue-se a Mim!"
E, quão preciosamente e assegurando a promessa - "Ele deve SUSTENTÁ-LO". Os termos da promessa são claros. Não é que o Senhor retire a carga, mas que Ele nos sustenta debaixo dela. Ele nos dá o que é equivalente e, talvez, mais do que equivalente à sua remoção - a graça de suportar, e a força para carregá-la - para que colhamos mais bênção espiritual, e Ele receba mais glória Divina do que seria acumulada por toda a sua remoção. Leia as histórias dos santos, e aprenda como eles ilustram e confirmam esta verdade.
Olhe para Jacó, em perigo da vingança de Esaú, lançando sobre Deus o seu fardo de ansiedade e medo. Deus não o removeu, mas sustentou o Seu servo, e o trouxe com segurança.
Olhe para Elias, fugindo da sua vida das ameaças de Jezabel - como Deus o encontrou em seu cansaço e petulância, nutrindo-o e sustentando-o no deserto, de modo que, na força desse alimento, viajou quarenta dias e quarenta noites para Horebe, -o monte de Deus.
Olhe para Paulo, aflito com o espinho na carne, três vezes pedindo que fosse removido, e três vezes sendo negada a sua remoção - contudo foi tão sustentado pela suficiência da graça de Cristo, que ele se glorifica em sua existência, para que o poder de Cristo repouse sobre ele. E o que foi, e ainda é a experiência do povo do Senhor, que quando Ele não remove imediatamente um fardo, Ele dá toda a graça e força suficientes para suportá-lo. E quão maior é a bênção a ser diariamente sustentada pelo poder de Deus, sustentada pela graça de Cristo e confortada pela consolação do Espírito, que, com a remoção imediata e total do fardo, perderia toda a doçura e as bênçãos santificadoras que brotam diretamente dele.
Uma aflição prolongada é muitas vezes uma misericórdia prolongada. A doença tediosa nunca aliviada; o forno nunca extinto; a cruz diária nunca abrandada. Ó, quem pode descrever que doce misericórdia flui através deste canal? Que alimento doce vem deste comedor? Quão glorioso e precioso o Salvador se torna? E como a carga diária prova uma confirmação diária da verdade e experiência da grande promessa de Deus. "Como o seu dia assim será a sua força."
E quando chegarmos ao céu, e examinarmos à luz da sua glória todo o caminho pelo qual o Senhor nosso Deus nos levou para lá; quando examinarmos cada cruz e cada aflição, cada necessidade e toda correção, então veremos a fidelidade de Deus, o terno amor de Cristo e a suave graça do Espírito, não removendo a carga, nem levantando a cruz, nem tirando os nossos pés do caminho espinhoso, mas ao nos dar, em vez disso, o que era uma bênção mais rica e mais santa: a defesa de Seu poder, o sustento de Sua graça e a consolação de Seu amor.
Aceita, pois, oh meu amado - e esta será a minha última exortação - aceita com mansidão e fé os seus fardos como sendo do Senhor. Busque que eles lhe tornem mais santo, para que possa amar Jesus de todo o seu coração, lhe ajustar ao céu, e trazer muito louvor, e glória, e honra à sua aliança com o Deus trino. Então eles serão como asas para a sua alma, levando-o sobre a sua asa de ouro mais alto, e ainda mais alto para o céu, na fé, amor e oração, até que, libertado da carga da carne, você entrará na alegria e felicidade eterna para sempre com o Senhor!
"Olhe para a frente ainda!
Por mais obscura que a noite possa estar,
A manhã quebra alegremente;
Guerras após guerras podem ir e vir,
E as ondas parecem transbordar
A mão de teu Pai vai amarrar,
Seu amor é ainda mais profundo.
Incline-se sobre este amor!
Oh, o amor terreno tem pouco poder
Para animá-lo em sua hora mais triste;
E com sua porção solitária e amarga,
O estranho não intervém;
Mas há Alguém cuja simpatia
Pode provar ser suficiente para ti.
Não sobrou nada,
Quem sua vida pode ajudar a mostrar
Quão vãos e vazios é tudo abaixo?
Brilhar como as estrelas mais brilhantes é dado
Para aqueles que apontam o caminho para o céu
Se tal for seu estado glorioso,
É abençoado, então, trabalhar e esperar.
Não diga, é demorado!
Este mundo manchado de pecado não deve ser
Seu paraíso para a eternidade
O coração dolorido, a pesada provação,
São apenas por "pouco tempo".
Paciente, seja seu trajeto ascendente
Para a morada de seu Pai.
Alegria vem então!
Pois, quando a luz da fé é menos duradoura
É mudado para a visão perfeita, duradoura,
E corações que mesmo na terra pareciam um
Devem bater em perfeito uníssono,
E, apoiado no peito de um Pai,
Seu filho cansado estará em repouso."










Este texto é administrado por: Silvio Dutra
Número de vezes que este texto foi lido: 174


Outros títulos do mesmo autor

Artigos O Deus de Santidade Octavius Winslow
Artigos A Preciosidade do Sangue de Cristo Octavius Winslow
Artigos A Unção Preciosa Octavius Winslow
Artigos A Preciosidade das Promessas Divinas Octavius Winslow
Artigos Está Tudo Bem Octavius Winslow
Artigos Paciência no Sofrimento Octavius Winslow
Artigos O Deus de Paciência Octavius Winslow
Artigos O Fardo Lançado Sobre Deus Octavius Winslow
Artigos A Recaída e a Recuperação da Nova Natureza Octavius Winslow
Artigos A Vara e o Cajado Octavius Winslow

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 20.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2018
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 183483 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 155332 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 154748 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 128902 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 68268 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 67958 Visitas
ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O HINO NACIONAL - Fabbio Cortez 66542 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 60385 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 58135 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 54068 Visitas

Páginas: Próxima Última