Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Enquanto ela não aparece
Luís Gonçalves

Resumo:
Sinopse: Num apartamento está a mesa preparada para um jantar romântico. Reinando esmera-se para receber, com todos os tiques, a sua querida amiga virtual: Pelvina. Mas, até que ela chegue, outros “convidados” vão aparecendo: ladrões, coscuvilheiros(as), enfim… Quando Pelvina aparecer, vai ser o bom e o bonito!!! Uma história complicada, sempre com humor à mistura.

TEATRO

COMÉDIA

ENQUANTO ELA NÃO APARECE

Se estiver interessado/a em representar esta peça de teatro agradecia que entrasse em contacto comigo, atravez do meu email: goncalvesluis_1@hotmail.com

Personagens:

Reinando:
Zurcas (Ladrão/amigo de Reinando):
Dona Cuscantina (vizinha):
Caím (vizinho):
Zurpalina (vizinha/mulher do Caím):
Pelvina (travesti anão):

CENA 1

Na cozinha de um apartamento. Vê-se uma mesa preparada para um jantar romântico. Também se vê um armário da louça, um caixote do lixo, um frigorifico, uma banca, um lava-louça, um fogão com panelas em cima deste, uma janela e duas portas. Uma no lado esquerdo do palco que é a porta da saída e a outra do lado direito que vai dar ás outras divisões do apartamento. Em cena, está um homem chamado Reinando. Veste um fato, uma gravata e calças bem vincadas. Tem o cabelo bem penteado, com risco ao meio, um grande nariz, umas enormes sobrancelhas, usa bigode, tem dentes de coelho e uns óculos redondos. Com lentes fundo garrafa. Além de não dever muito à beleza, tem outro problema. Troca os “R” pelos “G”. Anda de volta da cozinha com um pano em cima do ombro, certificando-se mais que uma vez se está tudo bem limpo e arrumado. Passa o pano nos copos, nos pratos, demasiado perfeccionista. Depois tira um algodão do bolso e passa-o no armário da louça.

NOTA IMPORTANTE: Não esquecer que o Reinando troca os “R” pelos “G”.

Reinando: Impecável! Como dizia o outro, o algodão não engana. Bem, parece que está tudo em ordem! Agora só tenho que esperar pela minha visita! Chama-se Pelvina, começamos a bater o papo pelo facebook a coisa pegou e hoje vai ser o nosso primeiro encontro. Ai estou tão ansioso! Ela é cá uma bomba! (alguém solta um “pum”) Atenção que não fui eu, porque eu sou o rei das boas maneiras! Devia ter sido a minha vizinha de cima, a dona Flutuência. É cá uma badalhoca a mulher! Quando se junta com o marido a comer feijoada é Pum! Pum! Toda a noite! (fala para cima) Oh dona Flutuência, tome cuidado com esses gases por amor de deus! Veja lá se não é preciso chamar um canalizador para desentupir os canos! (ouve-se mais um “pum”) Mas agora continuando com a conversa. Nem sei como a menina Pelvina se foi interessar por um trambolho como eu! Nunca aconteceu antes! Tenho 30 anos de idade, sou um encalhado de primeira e virgem! Até o meu nome indica: Reinando Encalhado Virgem da Silva. Antes de conhecer a Pelvina, nunca nenhuma rapariga se interessou por mim. Não sei porquê! Será que eu sou assim tão feio? (mete-se com o publico) O que é que as meninas da plateia acham? Hã? Eu até sou bonitinho não sou? Pelo menos era o que a minha avô dizia e o mais era cega. Mas isso agora não interessa! O que interessa é que finalmente, conquistei uma donzela! Mas enquanto ela não aparece, há uma coisa a fazer! Já venho! (sai de cena pelo lado direito do palco o lado dos quartos)

CENA 2

Reinando aparece puxando uma boneca insuflavel

Reinando: (fala com a boneca insuflavel como ela tivesse vida) Anda Titcholina! Não sejas teimosa! Tens de ir embora rapariga! Tens de sair desta casa! Já não és cá precisa! Uma coisa é certa, graças a ti passei bons momentos de prazer. Mas agora já arranjei parceira e se ela te apanha aqui pode não achar muita graça! É pá, não fiques assim triste Titcholina, que eu também fico! Eu sei que é dificil para ti mas tem de ser! Vais ver que ainda há-des arranjar outro encalhado como eu! Mas tens é de ser mais comunicativa, tens de falar com as pessoas mulher, senão não te safas! Ouviste o que eu disse? (abana a boneca) Responde rapariga! É sempre a mesma coisa! Parece que estás morta! Vá! Adeus Titcholina! Vou ter muitas saudades tuas meu amor! (abraça a boneca insuflavel e joga-a janela fora. Ouve-se uns carros a travar e a bater vindos fora da janela. Entretanto ouve-se um telemovel a tocar. Um toque muito piroso. Reinando fica muito ansioso) O telemovel! O telemóvel! Deve ser ela! Deve ser a Pelvina a dizer que já não vem! Ou então está-me a ligar porque se perdeu pelo caminho. Alguém a mandou virar á direita em vez de ser á esquerda! Ou então ela é que se enganou! Mas onde é que eu meti o catano do telemóvel? (procura na sala toda pelo telemóvel e este sempre a tocar) Mas onde é que eu o enfiei? (chama pelo telemóvel) Oh telemóvel onde é que tu estás? (abre as portas do armário da louça e o telemovel continua a tocar) Aqui não está! Oh santo deus onde é que eu meti o telemóvel? (Vai ver ás outras divisões da casa, saindo de cena pelo lado direito do palco. Ouve-se uma grande confusão , coisas arrastar e coisas a partir. Entretanto aparece o Reinando e o telemovel continua a tocar)

CENA 3

Reinando: (trás um jarro partido e o telemovel continua a tocar) Este já foi! Fogo, mas como é que eu fiz para partir isto? Era uma reliquia! Foi o meu treta treta treta treta treta treta avô que trouxe da India no tempo dos descobrimentos! Acho que até foi aquele caramelo o Vasco da Gama, que lhe ofereceu. Agora está partido! (mete-o no caixote do lixo) Mas afinal onde enfiei o raio do telemóvel? Ai está aqui! (tira o telemovel do bolso das calças e atende) Estou? Olá coisa boa, já vens a caminho? Estou á tua espera meu amor... Oh fofinha o que fizeste á tua vozinha? Está tão grossa! Constipaste-te foi sua marota? ... (encavacado) Ai é da vodafone! Desculpe lá! Pensei que fosse outra pessoa!... Sim. Daqui fala o Reinando! Reinando Encalhado Virgem da Silva... Mas qual Gaynando? Reinando com muito gosto e prazer!... Não é Gaynando, é Reinando com R caraças!... O senhor das duas uma, ou é burro, ou anda com esses timpanos todos queimados, devia ir ao médico... O quê? Quer me fazer umas questões? Pois mas eu agora não posso falar, pois estou á espera de uma pessoa... (chateado) O quê? Do meu namorado? Mas quem é que o senhor pensa que eu sou hã? Eu gosto de mulheres está bem?... Paneleiro? Paneleiro é você seu mal-educado! Eu não jogo no mesmo campeonato do senhor! Você não tem perfil para este serviço! (desliga o telefone) Que falta de educação! (mete o Telemovel de novo no bolso momento tocam á campaínha) Ai! Ai! Ai! Agora deve ser ela! De certeza que deve ser ela! (chega-se ao pé da porta de entrada muito nervoso. Ajeita a gravata e o seu bigode. Respira fundo e abre a porta) Olá meu amor!

CENA 4

Entra um individo-o encarapuçado, com uma pistola, apontado para o Reinando.

Ladrão: Isto é um assalto!

Reinando: (grita em pânico) AIIIIIIII! Por favor não me mate! Não me mate que eu ainda sou muito novo para morrer!

Ladrão: Calado já! Mas temos aqui o José Castelo Branco ou quê? Onde está a Guita?

Reinando: A Guita? Qual Guita? Ah já sei! É a minha vizinha! Mas olhe que ela não mora aqui, mora no res do chão.

Ladrão: Ouve lá oh caixa de oculos, tu não brinques comigo! Ou tu dizes onde está a porcaria do dinheiro, ou cravo-te um balázio no meio da testa! Ouviste bem?

Reinando: (grita) Não! Por favor não faça isso! Olhe fazemos assim! Porque é não vem cá outro dia? Amanhã por exemplo! É que hoje não me dá muito jeito ser assaltado! Vou ter visitas!

Ladrão: Não querias tu mais nada! Vinha para cá amanhã de proposito por causa do menino! Tenho mais que fazer! Deves pensar que ser ladrão é facil! Mas não é! (tira a sua agenda do bolso) Estás a ver aqui?

Reinando: Já estou a ver que é um ladrão muito organizado!

Ladrão: Ah pois é! Ainda por cima amanhã tenho o dia todo ocupado de assaltos!

Reinando: Pois compreendo a sua situação! Mas é que hoje, não me dá muito jeito ser assaltado é só isso! Para a proxima ligue-me avisar com antecedencia!

Ladrão: Pois está bem! Agora vamos acabar com o paleio e dá para cá o dinheiro!

Reinando: Só se for o do jogo do monopolio, porque o outro está todo no banco!

Ladrão: Tu estás a gozar com a minha cara não estás? Olha que eu já estou a perder a paciência!

Reinando: Tenha calma senhor ladrão! Acalme-se por favor!

Ladrão: Joelhos no chão!

Reinando: Então mas para quê senhor ladrão! Isto não é nenhuma igreja para eu rezar!

Ladrão: Vê lá se queres que ainda rezem pela tua alma hoje!

Reinando: Não! Por favor não!

Ladrão: Joelhos no chão! Estou a mandar! (Reinando obedece) Agora diz-me onde está o dinheiro?

Reinando: Pronto está bem! Tenha calma! O dinheiro está na minha carteira!

Ladrão: Onde está a carteira?

Reinando: Está dentro da minha mochila!

Ladrão: Onde está a mochila? Onde está a mochila? (aponta a pistola na testa do Reinando)

Reinando: Ai tenha calma! Por favor tenha calma!

Ladrão: Onde está a mochila pá?

Reinando: Está no meu carro!

Ladrão: E onde está o carro?

Reinando: Roubaram-mo!

Ladrão: (grita simulando um tiro) PUUUM!

Reinando: Aiiiiiii! (caí no chão pensando que morreu) Já estou a ver a luz! (aponta para cima) Ali em cima! Ali em cima! A luz vai levar a minha alma para o céu! Ai mas é a luz do candeeiro caramba! Então mas eu não devia estar morto? Estou aqui a falar para quê? (O ladrão desata á gargalhada) Mas qual é a piada pode-se saber?

Ladrão: Ai mano tu és demais! (gargalhada)

Reinando: Sou demais o quê? (o ladrão tira o carapuço e afinal é o seu amigo Zurcas) Zurcas? Zurcas és tu?

Zurcas: Não, sou o Kadafi! Claro que sou eu! Dá cá um abraço amigo! Oh tempo que não te vejo? (abraçam-se)

Reinando: Mas tu já saiste da prisão?

Zurcas: Não! Fugi!

Reinando: O quê? Fugiste? Tu és maluco ou quê?

Zurcas: (ri) Eheheheh! Tu és demais! Claro que saí pá! Acabou a minha pena e foi mesmo uma pena! Não fazia nenhum, comida, roupa lavada e MEO. Tudo de borla! Mas agora a falar a sério, tu acreditaste mesmo que era um assalto?

Reinando: Acreditei e de que maneira! Foi um cagaço do caraças pá!

Zurcas: Tu és mesmo de mais! Esta devia ir para o facebook!

Reinando: Livra-te só de lá meter alguma coisa!

Zurcas: Deixa-me chegar a casa e vais ver!

Reinando: Ai sim? Vê lá se queres dar trabalho ao coveiro!

Zurcas: Tem lá calma contigo amigo, estava a brincar contigo! Não vou meter nada! Mas agora mudando de assunto roubaram-te mesmo o carro?

Reinando: Sim roubaram! Mas o dinheiro também não estava no carro, tenho bem guardadinho.

Zurcas: Ai é seu mentiroso? (aponta-lhe de novo a arma) Então onde está o dinheiro, oh palhaço?

Reinando: (assustado) Zurcas que estás a fazer? Vira para lá essa coisa!

Zurcas: (gargalhada) Estava a brincar! Achas mesmo que eu ia matar um amigo do coração como tu?

Reinando: Que amigo do caraças que tu me saiste! Então mas tu ainda há pouco saiste da prisão e já andas com uma arma na mão?

Zurcas: Eu não ando por aí com a arma na mão, eu trazia no bolso! Mas está descansado que a pistola não está carregada! É que eu agora vou entrar num filme.

Reinando: Tu vais entrar num filme? (ri)

Zurcas: Sim! Decidi tomar um novo rumo na minha vida! Vou deixar de ser um bandido e vou seguir uma carreira de actor! Eu ainda pensei de seguir a carreira de politico mas continuava a ser um bandido na mesma. Por isso, quero ser actor! Inscrevi-me num casting para o filme “a fuga do paralitico” e passei.

Reinando: Ai sim? E qual vai ser o teu papel?

Zurcas: Vou fazer de Bandido!

Reinando: Ah, então por isso é que me pregaste este cagaço seu bandido!

Zurcas: Claro, para entrar melhor no meu personagem! Mas não foi só a ti! Também já assustei mais gente. Ali a senhora da frutaria por exemplo, ela até ligou á policia e tudo. Para dar mais acção, estás a ver? Mas não te preocupes que isto resolve-se! (puxa uma cadeira para se sentar) Então e tu?...

Reinando: Ei Ei o que estás a fazer? O que pensas que estás a fazer?

Zurcas: É pá vou-me só sentar! Estás com medo que te coma a cadeira ou quê?

Reinando: Não é nada disso! Podes te sentar mas não é assim de qualquer maneira. (tira um lenço do bolso das calças e estende-o na cadeira) Agora sim, já te podes sentar á vontade! (Zurcas abana a cabeça e senta-se) É que estas cadeiras foram carissimas, custaram-me muito dinheiro e ainda a podes as riscar com as calsas. Depois podes lhe passar microbios, ou até podes andar com hemorroidas e passas a mim também. Depois tenho de mostrar o meu rabiosque ao senhor doctor e é um problema do caraças! Sabes bem que não gosto quando isso acontece!

Zurcas: Tu tens cada teoria!

Reinando: Mas qual teoria? Ah? Aqui em minha casa é assim! Quem estiver mal que se mude! Além do mais eu hoje fartei-me de desinfectar isto tudo com lixivia por causa da bixarada dos microbios. É que hoje vou ter uma visita e tem de ficar tudo impecável.

Zurcas: Ai vais ter visitas? A mãezinha vem jantar hoje com o menino é?

Reinando: Não! É uma rapariga!

Zurcas: Então e o que a tua mãe é? É um rapaz?

Reinando: É a minha namorada! Pronto!

Zurcas: O quê? A tua mãe é tua namorada? Fogo tu andas mesmo desesperado rapaz!

Reinando: Não é nada disso! Tu és mesmo o rei das complicações! Não é a minha mãe que vem jantar comigo, é a minha namorada!

Zurcas: Não pode ser! Esta é que devia mesmo ir para facebook! O Gay Nando finalmente arranjou uma namorada!

Reinando: Olha se vens para aqui para me chamar Gay nando podes bazar! Eu não sou larilas porra? Eu gosto de mulheres!

Zurcas: É pá! Lá vens tu com o teu mau feitio! Eu sei que não és larilas! Eu só estava a brincar contigo. Mas agora falando de outra coisa, quem é a miuda afinal? Como se chama?

Reinando: Mas o que é que te interessa? Chama-se Pelvina!

Zurcas: Oh Ga... Reinando desculpa. Ninguem se chama Pelvina!

Reinando: Esta chama-se! E qual é o mal? Ninguém se chama Zurcas e tu chamas!

Zurcas: Zurcas é a minha alcunha, não é o meu nome oh tótó! Mas afinal, como é que conheceste essa rapariga? E já a convidas para jantar? Isso está a ir num bom caminho! Daqui a nada temos casamento!

Reinando: Mas qual casamento? Ainda é cedo!

Zurcas: Pronto está bem não te irrites Ga... Reinando! Mas como a conheceste afinal?

Reinando: Pelo facebook , hoje é o nosso primeiro encontro!

Zurcas: O quê? Não eu não estou acreditar! Então tu metes-te com uma miuda atravez do facebook, sem a conheceres de lado nenhum e ainda a convidas para jantar em tua casa?

Reinando: O que é que tem? Ela queria se encontrar comigo e eu convidei-a para vir cá jantar!

Zurcas: Não é atravez das redes sociais que se conhecem raparigas. É ao vivo e a cores. Olhando para elas olhos nos olhos.
Reinando: Ela é que me fez o convite de amizade.

Zurcas: E tu aceitaste logo!

Reinando: Não, ia recusar, queres ver? Foi a unica rapariga que se interessou por mim e que me aceita como sou, percebes? Tirando a minha mãezinha claro!

Zurcas: Lá sabes tu se é uma rapariga!

Reinando: É uma rapariga sim senhor! Eu já vi as fotografias dela no facebook. É uma bomba ... (ouve-se outro “pum” vindo de cima”) Não te assuste que foi a minha vizinha de cima a dona Flutuencia, comeu feijoada e anda com gazes!

Zurcas: Fonix a mulher anda mesmo mal dos intestinos, parecia que o prédio ia para explodir!

Reinando: Pois mas como eu estava a dizer, eu já vi as fotografias da Pelvina e ela é mesmo uma bomba de cair para o lado.

Zurcas: Ou de cair para o outro lado! Tipo José Castelo Branco não é?

Reinando: Não não é!

Zurcas: Abre os olhos Reinando! Isto pode ser tudo uma armadilha para te lixar! Não costumas ver as noticias? O perfil pode ser falso! Ainda te aparece aí alguma bixa solitária esfomeada!

Reinando: Estás doido ou quê? Não é bixa coisa nenhuma, porque eu já falei com ela várias vezes pelo telemovel e era voz de uma mulher.

Zurcas: Tens a certeza que era ela?

Reinando: Claro que era ela! Ouve eu e a Pelvina praticamente já nos conhecemos e fomos feitos um para o outro. Agora só falta nos conhecer-mos ao vivo cara a cara.

Zurcas: Tu és doido! Vamos mas é á discoteca os dois que tu precisas é de te divertir!

Reinando: Não vou a lado nenhum! A Pelvina deve estar a chegar!

Zurcas: Liga-lhe a desmarcar, inventa uma desculpa. Vem comigo, vamos-nos divertir, vou te apresentar umas miudas!

Reinando: Não vou, já disse! Não estou para fazer figura de palhaço, elas vão se rir da minha cara! Já é costume!

Zurcas: Lá estás tu com essa mania da perseguição! Não deves pensar assim! Mas quem é que se vai rir da tua cara mano? No outro dia quando saiste comigo, ninguém se riu de ti! Pois não?

Reinando: Mas isso foi na festa de carnaval!

Zurcas: Oh mano, se queres conquistar uma miúda tens de ter uma boa auto estima! Se te acanhas elas mandam-te com os cães!

Reinando: Pois para ti é facil de falar, é só estalares os dedos e elas vêm todas a correr! Comigo não é bem assim! Parece que as afugento! Será que sou assim tão feio?

Zurcas: Nã... Nada disso! Até és bonitinho... quer dizer por dentro claro e isso é o que interessa! Vem comigo que eu ensino-te como é! Vai ser hoje que vais perder a virgindade!

Reinando: Pois vou perder a virgindade, mas é com a minha Pelvina! Eu estou apanhado por ela e ela por mim! E agora se não te importas vai á tua vida, que ela deve estar a chegar. Ou queres fazer de vela?

Zurcas: Tu vens comigo nem que seja á chapada pá!

Reinando: Não vou contigo a lado nenhum! Tu sempre que me tentas ajudar há barraca. Lembras-te daquela vez que me deste o numero de uma Soraia do Porto?

Zurcas: Sim lembro! Grande maluca essa moça!

Reinando: Pois podes querer que era! Marcámos encontro, quando vou a ver era um travesti anão!

Zurcas: A sério? Devia-me ter enganado a dar-te o numero!

Reinando: Pois! Quase que ia sendo estuprado por aquela coisinha por causa de ti!

Zurcas: É pá desculpa, foi sem intenção! Só te quero ajudar a arranjar uma miuda!

Reinando: Pois agradeço a tua ajuda mas eu arranjo-me sozinho.

Zurcas: Espera aí! Lembrei-me duma coisa. Ainda te lembras da minha prima a Bussonela? Ela até costumava jogar á bola connosco!

Reinando: Aquela tua prima que tinha bigode não é?

Zurcas: Essa mesmo!

Reinando: Sim lembro-me! Ela até tinha um cão muito meigo!

Zurcas: Exactamente! Era o Bem Manço!

Reinando: Pois era isso! Eu uma vez fiz-lhe uma festa e ele mordeu-me nas calsas. Esfarrapou-mas todas! Até tive de levar pontos na perna e tudo. Fiquei mesmo lixado com isso! O problema nem foi a perna, foram as calsas que me foram carissimas! Mas afinal o que tem a tua prima?

Zurcas: Ela era a miuda ideal para ti!

Reinando: Fonix, desculpa lá oh Zurcas, mas a tua prima além do bigode, veste-se mal de cara e é um bocado gorda! É esquisita a rapariga! Parece que saiu de um filme de terror!

Zurcas: Não podes ser assim tão esquisito com as damas mano! Não é a beleza exterior que interessa é beleza interior. A Bussonela pode não ser muito bonita, mas é boa moça, carinhosa e penso que sente algo por ti. Quando ela liga lá para casa, pergunta sempre por a tua pessoa!

Reinando: Então se ela sente algo por mim, porque é que nunca me telefonou a dizer? Ela deve ter o meu numero!

Zurcas: Por vergonha! A Bussonela é muito envergonhada!

Reinando: Pois mas ela não faz o meu genero, eu não sinto nada por ela! Eu gosto mulheres como a Pelvina. Gostosas!

Zurcas: Mas olha que ela agora está diferente! Nem parece a mesma!

Reinando: O quê? Não me digas que fez uma plastica á cara?

Zurcas: Não! Rapou o cabelo, usa oculos e tem aparelho nos dentes!

Reinando: Uau que mudança mais radical!

Zurcas: Ela hoje está em Coimbra numa exposição de quadros. Agora dedica-se á pintura, é uma artista. Sai ao primo. Ao menos na minha familia é só artistas. Eu sou um artista no gamanço e ela na pintura. Já que tens vergonha de ir á discoteca ter com as miudas, podiamos ir ter com a minha prima. Pois com ela estás á vontade! Vamos no papa reformas que gamei ao Zé Rabiolas, para entrar no personagem do tal filme que te falei estás a ver? Mas não te preocupes que isto resolve-se! Então vamos lá ter com ela ou quê? Ela gostava bué de te ver!

Reinando: Eu já disse que não vou a lado nenhum!

Zurcas: Não sejas assim mano! Olha que ela está livre, devias aproveitar!

Reinando: Não! Não! E não! Não me podes obrigar a namorar com a tua prima, porque eu não gosto dela! Nem nunca gostei! Se lhe queres arranjar namoro fala com outro. Olha o Manel Zarolho, o gajo não vê muito bem, pode ser que goste dela! Mas eu não! Porque eu só quero a minha Pelvina! Só tenho olhos para ela percebes?

Zurcas: Ok então! Não queres vir não venhas, só espero que não te venhas arrepender por seres assim tão teimoso e esquisito com as mulheres! Conheço um tipo como tu, que acabou sozinho por causa de ser esquisito com as mulheres e de não saber dar valor a quem o ama de verdade. Havia uma miuda que gostava bue dele, mas ele não queria nada com ela, porque ela não era como as outras miudas, tinha problemas de saúde. Ele gostava de outra rapariga, uma louraça, de olhos azuis, muito atraente, mas esta não sentia nada por ele porque o gajo não era nada de especial...

Reinando: O que é que estás a tentar dizer? Que eu também não sou nada de especial é?

Zurcas: Calma ainda não acabei! O tipo andava tão cego atrás dessa louraça, que quando abriu os olhos já era tarde demais. A moça que gostava dele arranjou outro e ele nunca mais encontrou ninguém que o amasse de verdade. Agora está sozinho. Por isso, nunca devemos despresar as miudas que gostam de nós!

Reinando: Pois está bem. Dizes que não sou nada de especial não é? Mas para a Pelvina sou bue charmoso, até sou melhor que o Cristiano Ronaldo, disse-me ela pelo facebook e o mais é uma moça bue atraente. Não é nada de deitar fora! Porque eu já vi as fotografias dela no face.

Zurcas: Mas oh Reinando, tens a mesmo a certeza que essa Pelvina que não te anda a enganar pelo facebook?

Reinando: Lá estás tu com coisas! Mas anda-me a enganar o quê? Acho melhor ires andando, que a minha Pelvina deve estar a chegar! Vai lá ver a exposição da miss bigodes! Vá! Vá! Andor! Andor!

Zurcas: Ok tu é que sabes! Mas depois não digas que não tens sorte na vida. Diverte-te então com a tua namoradinha virtual Gay Nando! (sai de cena pelo lado esquerdo a correr)

CENA 5

Reinando: (corre atrás do Zurcas furioso para lhe bater, mas não o consegue apanhar. Grita para fora da cena) Anda cá dizer isso ao pé de mim se tens coragens, seu cobardolas duma figa! O meu nome é Reinando! Ouviste? Reinando com R! Descança que quando te apanhar vais ver como elas te mordem! Seu patife! Bandido de uma figa! Vem aqui a minha casa dar dicas sobre amor. Até parece que dá valor ao amor e ás mulheres! Um gajo que já andou com todas as gajas da vila e nunca teve uma certa. Até ali com a dona Flutuência já foi para a cama, também não sei como conseguiu, devia ter usado uma mascara de gás. (Calça uma luva que tem dentro do bolso do casaco, tira o lenço da cadeira onde o Zurcas se sentou) Fonix só microbios que aquele gajo deve ter deixado neste lenço! (mete o lenço no caixote do lixo e a luva também. Entretanto toca o telemovel com o seu toque piroso) O telemovel! Será que agora é mesmo ela? Será que é a minha princeza? (olha para o ecrã) Outra vez da vodafone, espero que não seja outra vez aquele parvalhão! (atende) Estou sim?... Ah agora é uma senhora! Olá boa noite!... Sim está a falar com o senhor Reinando Encalhado Virgem da Silva... Mas, que raio de confusões menina. Não é Gaynando, é Reinando com R... Está bem, está desculpada! É que ainda há pouco me chatiei com um colega seu por causa disso! Depois ainda me chamou paneleiro! Já viu isto?... Ai esse funcionário foi despedido? Então bem feito!... O quê? Foi apanhado na casa de banho, aos amassos com outro colega?... E o paneleiro sou eu? Ah? Ah? O gajo é apanhado na casa de banho com outro gajo e o paneleiro sou eu?... Como? Queria me fazer umas perguntas? A menina vai-me desculpar mas eu agora não posso falar. Ligue mais tarde se faz favor! (desliga o telemovel e mete o no bolso) Xiça penico! Que chatos do caraças! (entretanto ouve-se a sirene da Policia) Mau! A policia o que terá acontecido? (vai ver á janela) Pronto! O Zurcas foi outra vez para cadeia! Também é bem feito, que para ele aprender a não ser besta! Ninguém o mandou andar para aí assustar as pessoas armado em assaltante! Afinal “Isto resolve-se! Isto resolve-se!” e foi preso. Ainda agora de lá saiu já vai para lá outra vez. Ora é preso, ora é posto em liberdade, ora é preso, ora é posto em liberdade, anda sempre nesta vida, é o que eu chama de prisão perpétua ás prestações. E a minha amada Pelvina? Onde andará! Nunca mais chega, será que aconteceu alguma coisa á rapariga? Vou lhe ligar! (vai para tirar o telemovel das calsas e tocam á campaínha) Será que é a minha Pelvina! (abre a porta)

CENA 6

Entra a sua vizinha dona Cuscantina, uma senhora já com alguma certa idade. É marreca, trás uma bengala, usa uns oculos, um lenço na cabeça, tem bigode e trás uma t’shirt vestida que diz “Tony faz-me um filho”

Dona Cuscantina: Olá menino Reinando!

Reinando: Olá dona Cuscantina! O que deseja? (para o publico) Oh! Que melga do caraças!

Dona Cuscantina: Era para lhe dizer que fui assistir a um concerto do Tony das camionetas com umas amigas e estou a chegar agora a casa. Até me ofereceram uma t’shirt a dizer “Tony faz-me um filho e tudo!” (mostra ao publico)

Reinando: Ah! Que interessante! Então e gostou?

Dona Cuscantina: Adorei! Até engoli a dentadura com a emoção e tudo!

Reinando: Então o que é que o Tony cantou hoje?

Dona Cuscantina: Não chegou a cantar! É que os musicos esqueceram-se dos instrumentos em casa!

Reinando: Então como é que gostou do concerto?

Dona Cuscantina: Porque o concerto foi outro! Parece que o Tony das camionetas foi apanhado atrás do palco aos amassos com uma fã, depois o marido dela não gostou e pumba. Começou para lá tudo á batatada!

Reinando: Bem, então foi uma festa em pêras!

Dona Cuscantina: Foi uma festa de pêros quer o menino dizer! Bem, agora se me dá licença vou ter de ir, pois vai começar a minha novela! Sempre quero saber se é hoje que a outra vai descobrir que o marido a anda a trair!

Reinando: Então até amanhã dona Cuscantina!

Dona Cuscantina: Depois vai dar aquele filme sobre um Cereal Killer muito famoso!

Reinando: Não é Cereal Killer, é Serial killer!

Dona Cuscantina: Ou isso! Sabe que eu não percebo nada de Francês! Nem Português percebo muito bem, quanto mais Francês.

Reinando: Ah mas Serial Killer é Inglês!

Dona Cuscantina: Ai era Inglês? Então de Inglês é que nem uma palavra! See you tomorrow menino Reinando!

Reinando: (para o publico) Além de chata é mentirosa, então mas acabou de falar Inglês!

Dona Cuscantina: Disse alguma coisa menino?

Reinando: Não! Não! Vá lá ver a sua novelita!

Dona Cuscantina: Então até amanhã!

Reinando: (para o publico) Ufa finalmente se vai embora!

Dona Cuscantina: Ah é verdade...

Reinando: (para o publico) Oh que caraças!

Dona Cuscantina: ... o menino Reinando sabe o que é feito aqui da moça da frente? Como é que ela se chama? É a Feli...

Reinando: Parva!

Dona Cuscantina: O menino está-me a chamar parva?

Reinando: Não, é á rapariga! Chama-se Feliparva!

Dona Cuscantina: Pois é parva e de que maneira! Desde que teve aquele traumatismo Ucrânio ficou meia estrelocada da carola a rapariga.

Reinando: Não é traumatismo Ucrâniano é craniano!

Dona Cuscantina: Eu sei, mas foi na Ucrânia que ela se aleijou, por isso eu digo que foi um traumatismo Ucrâniano. Ficou mesmo avariada da cabeça. Acho que até se divorciou do marido não foi?

Reinando: Eu não sei, mal a conheço dona Cuscantina!

Dona Cuscantina: Acho que foi isso mesmo! Ela divorciou-se do marido porque a relação deles já não andava lá muito bem. Acho que ele a traiu com uma sobrinha ali da vizinha de cima a Flutuência. Essa também não tem respeito por ninguém, é uma badalhoca de primeira. Veja lá o menino Reinando, que eu ouvi dizer que aquela mulher só toma banho uma vez por ano! Veja só a imundicie que irá naquele corpo! Depois são aqueles gazes que ela larga. (ouve-se outro “pum”) Oh! Está ouvir? Aquilo é pior que o Iraque! No outro dia estiveram aí umas primas minhas do Brazil, ela começou com aquilo, já queriam chamar os Americanos e tudo! Pensavam que era o Bin.

Reinando: O Mr. Bean?

Dona Cuscantina: O Bin Laden menino!

Reinando: Então mas o Bin Laden já morreu!

Dona Cuscantina: Sim, eu sei. Mas elas pensavam estava escondido aqui no nosso prédio. São umas malucas as raparigas!

Reinando: Pois são!

Dona Cuscantina: São mesmo umas alucinadas, fazem cada filme naquelas cabeças. Mas agora mudando de assunto! Estou a ver que está á espera de companhia para jantar! É maezinha não é?

Reinando: Não! Não é a minha mãe!

Dona Cuscantina: Não? Então já sei! O menino arranjou namorada! Parabéns finalmente arranjou uma companheira. Estava dificil hã! Até já andam para aí uns boatos que o menino tal e coiso.

Reinando: Tal e coiso? Não estou a perceber!

Dona Cuscantina: Então que o menino não sei se vai não sei se fico!

Reinando: Mas não sabe se vou para onde?

Dona Cuscantina: Para o outro lado está a perceber?

Reinando: Mas o que é vou fazer para o outro lado, eu não estou a perceber nada! E que tal se experimentasse falar Português?

Dona Cuscantino: Então andam a dizer para aí que o menino pega de empurrão, é maricas pronto!

Reinando: O quê? Mas quem é que lhe anda a contar essas coisas a meu respeito? Isso é tudo mentira! Não estou a achar piada á conversa Dona Cuscantina! Daqui a bocado quem pega de empurrão é a senhora e é para fora da minha casa!

Dona Cuscantina: Ah! Mas que disparate! Que falta de educação menino Reinando, nem parecem coisas suas! Não estava á espera dessa! Um menino tão bem educado, com uma cara tão bonita e a tratar assim esta pobre mulher. Mas eu sei porque é que o menino anda assim! Isto são influências daquele rapazote mal encarado que costuma andar consigo, não é? Até costuma vir aqui a sua casa que eu sei! Como é que o menino lhe costuma chamar? É o...

Reinando: É o Zurcas!

Dona Cuscantina: É isso o Zugcas!

Reinando: Não é Zugcas é Zurcas! Zurcas!

Dona Cuscantina: Pois Zugcas foi o que disse!

Reinando: Mas não é Zugcas é Zurcas com R!

Dona Cuscantina: Ah! Zurcas!

Reinando: Estava dificil!

Dona Cuscantina: Estava dificil, porque o menino não fala muito bem!

Reinando: Eu falo assim porque apanhei um trauma de infância! Foi quando a conheci!

Dona Cuscantina: Mas... Mas... Mas que mal educado! Como tem coragem? Deixe estar que quando vir ja sua mãezinha já lhe vou dizer tudo! (sai de cena furiosa pela porta de saída)

CENA 7

Reinando: Maldita terra! Só sabem inventar mentiras sobre uma pessoa! Agora só de nunca ter namorada já sou maricas? Eu não tenho é sorte com as mulheres, porque não sabem apreciar a minha beleza! São esquisitas as miudas! Só querem gajos como Cristiano Ronaldo! Se eu não gostasse de mulheres, nunca tinha preparado este jantar com tanto amor e carinho para a Pelvina! Até lhe comprei flores e tudo. Tenho-as lá dentro no meu quarto para lhe oferecer. Que a Pelvina adora flores! Por isso, não sou nenhum maricas, sou um grande cavalheiro. E esta chata desta dona Cuscantina, deves de andar para aí na cusquice, a meter-se na vida alheia. Se fizesse mas era aquele bigode, que mais parece um rato morto é o que fazia melhor! (toca o telemovel. Tira o telemovel das calças) Sem numero? Quem será? (atende) Estou? És tu meu amor? Estou farto de esperar por ti!... O quê?... Ai é da vodafone? ... Mas eu já não tinha dito que hoje não podemos falar?... Sim, sou eu o Reinando! Não é Gay Nando é Reinando caraças!... Desculpe mas eu hoje não posso falar... Não insista ligue outro dia... Não insista já disse... Mas não posso falar senhora!... Porque não posso! Com licença! (desliga o telemovel nisto alguém toca á campaínha) Fogo outra vez! Só espero que seja a minha Pelvina! (vai abrir)

CENA 8

Entra o Caím aflito só com os boxers vestidos

Caím: Ai senhor Reinando, deixe-me entrar que me querem matar!

Reinando: Mas o que aconteceu sr Caím?

Caím: A minha mulher está maluca!

Reinando: Então mas o que se passa?

Zurpalina: (berra fora de cena) CAIM!

Caím: Ai ela vem aí! (enfia-se debaixo da mesa) Chiiiiiu! Não diga que estou aqui!

CENA 9

Entra a Zurpalina, mulher do Caím furiosa com o rolo da massa. Tem uma enorme cabeleira encaracolada, usa óculos, bigode e tem uma falha nos dentes.

Zurpalina: Onde é que está o desgraçado do meu marido?

Caím: (para o publico) Ai ai se ela me apanha mata-me!

Reinando: Não sei dona Zurpalina!

Zurpalina: Você não me minta Senhor Reinando, não me minta que senão ainda sobra para si!

Reinando: Ainda sobra para mim o caraças! Isto aqui é o meu apartamento!

Zurpalina: Mas onde é que esse ordinário se enfiou? Onde é que te enfiaste Caím? Eu sei que estás aqui seu traídor! Se eu te ponho as mãos em cima dou cabo de ti!

Reinando: Mas o que aconteceu afinal caraças?

Zurpalina: Então não é que estava eu na casa de banho, com o computador ligado, a navegar no facebook, passo lá a vida também. De repente ouço uns barulhos estranhos vindos do meu quarto. Quando vou a ver estava esse patife do meu marido na cama com 5 mulheres!

Caím: (responde debaixo da mesa) Não eram 5 eram 6!

Zurpalina: Pois eram 6... Ai mas o gajo está debaixo da mesa como o gato!

Caím: Mas porque é que eu falei?

Reinando: Porra! Na cama com 6 mulheres, uns com tanto e outros sem nada!

Zurpalina: 6 mulheres não! 5 mulheres e um cão! Até com o boby ele vai!

Caím: Hey calma aí! Eu não tenho a culpa do cão ser paneleiro! Ele é que se foi enfiar no meio de nós!

Zurpalina: Espera aí que eu digo-te quem é paneleiro, seu porco! (tira o marido debaixo da mesa a força, mas Caím consegue se livertar das garras da sua mulher. Andam os dois de volta da mesa. A Zurpalina atrás do Caím)

Caím: É larilas sim! Sempre que te apanha de costas manda-me beijos e pisca-me o olho!

Zurpalina: Não inventes histórias seu animal! (dão uma volta á mesa)

Reinando: (aflito) Tenha calma dona Zurpalina, anda me partem alguma coisa!

Zurpalina: Sim e vou partir alguma coisa mas é a este ordinario! Imbecil!

(Zurpalina e Caím dão mais uma volta á mesa)

Reinando: Parta á vontade mas lá fora!

Caím: Oh amor, eu sempre te disse que o raio do cão não é como as pessoas!

Zurpalina: E desde quando é que os cães são como as pessoas?

Caím: Está bem amorzinho, mas o raio do bixo não é normal, é um tarado.

Zurpalina: Espera aí que eu já te digo quem é tarado!

(Zurpalina e Caím dão mais uma volta á mesa)

Caím: Oh amorzinho! Por favor tem calma! Eu prometo que isto não se volta a repetir. Não te volto a trair e faço tudo o que tu quiseres. Lavo-te a louça, faço-te o comer e arrumo-te a casa todos os dias. Mas por favor, não me faças mal.

Zurpalina: (calma) Pronto está bem! Anda cá meu Caínzinho, vamos lá fazer as pazes! (abre os braços)

Caím: Oh amorzinho desculpa a sério! (Caím chega ao pé da sua mulher e a coisa muda de figura)

Zurpalina: (outra vez furiosa) É agora que eu vou te matar meu desgraçado!

Caím: Socorro! Acudam-me!

(Zurpalina tenta apanhar Caím para lhe bater, mas este foge do apartamento do Reinando e Zurpalina sai juntamente com ele. Saem os dois pelo lado da porta de saida do apartamento)

CENA 10

Reinando: Fogo! Isto está a ser demais! Parece que está tudo maluco hoje. E a Pelvina nunca mais aparece! Será que ela se perdeu? Ou teve algum acidente? Ás tantas enganou-me, se calhar isto foi tudo uma fantochada e nem sequer vem ter comigo. Não! Eu não posso pensar no pior! Tenho que ser otimista! A Pelvina disse que vinha por isso não me devo preocupar! (toca o telemovel novamente) Outra vez o telemovel! Daqui a pouco vai janela fora! (olha para o telemovel) Outra vez os melgas da vodafone! Xiça! Isso toca, toca, vai tocando! (desliga o telemovel) Toma que é para aprenderem! (alguém toca á campaínha) Será que é ela? Espero que seja ela! (chega ao pé da porta ajeita a sua roupa, o seu bigode e abre a porta)

CENA 11

Entra Pelvina o travesti anão.

Pelvina: Olá Reinando meu xuxuzão! Estava a ver que nunca mais cá chegava, pois apanhei uma bixa enorme de carros!

Reinando: Tu outra vez? Que queres de mim? Andas-me a perseguir ou quê? Sai da minha casa!

Pelvina: Então? Isso são maneiras de receber uma visita? Convidas-me para vir jantar a tua casa e depois mandas-me embora? Isso é uma atitude de garoto!

Reinando: O quê? Eu nem sequer te conheço de lado nenhum, como é que te ia convidar para jantares em minha casa? Quer dizer, vi-te só naquele dia quando me ias violando, por causa de um idiota que me deu o teu numero por engano.

Pelvina: Não me conheces? Que engraçado que tu és! Primeiro dizes que me amas, que sou o amor da tua vida, que me gostavas de conhecer e agora desprezas-me!

Reinando: O quê? Mas quando é que eu disse isso?

Pelvina: Ai já não te lembras minha bixa esquecida?

Reinando: Bixa? Bixa? A Bixa aqui és tu está bem? Eu cá sou macho, muito macho!

Pelvina: Que rico macho que tu me saiste!

Reinando: Mas o que queres afinal?

Pelvina: Quero-te a ti!

Reinando: Mas não te quero a ti! O meu coração pertence a outra pessoa! Chama-se Pelvina e deve estar mesmo chegar! Por isso, adeus!

Pelvina: Ela já aqui está á tua frente! Sou a Pelvina em carne e osso! Huuum! Cheira bem na cosinha, o que é o jantar?

Reinando: É bacalhau com natas, o teu prato preferido... o quê?! Tu és a Pelvina? A minha Pelvina? Não pode ser!

Pelvina: Pode pode!

Reinando: Não pode ser! A Pelvina não é assim, é uma mulher a sério pois eu já as fotografias dela no facebook!

Pelvina: Eheheheh! Tão engraçado que ele é! Essa fotografia é de uma actriz muito famosa! Até entrou naquele filme “O cego avista a ilha”! Já viste?

Reinando: Isto deve ser a gozar! Só pode! Tu não podes ser a Pelvina, porque ainda hoje de manhã falei com ela pelo telefone e era voz de mulher!

Pelvina: Eheheheh! Ai que castiço que ele é! Não falaste comigo meu querido, mas sim com o voicemail!

Reinando: O quê?

Pelvina: Quando me ligaste eu tinha o telemovel desligado, por isso foi parar ao voicemail! A voz que ouviste era uma gravação!

Reinando: Eu não acredito nisto! Como me podeste enganar?

Pelvina: Eu não te enganei, tu é que fizeste confusão! Deves ter mais cuidado com quem te metes no facebook Reinando! Mas não te preocupes que comigo estás bem! Vamos ser muito felizes os dois!

Reinando: Mas quem te disse que eu quero ser feliz contigo? Vai-te embora, desaparece da minha casa!

Pelvina: Ai que mauzão o meu xuxuzão!

Reinando: Teu Xuxuzão o tanas! Desanda daqui para fora senão eu chamo a policia!

Pelvina: Mas qual é o teu problema afinal? Não dizias que te sentias sozinho? Que ninguém queria nada contigo? Agora tens-me a mim, já não estás mais sozinho meu amor!

Reinando: Mas eu não quero uma pessoa como tu!

Pelvina: Ah já sei! É o meu tamanho reduzido que te encomoda não é? Que não seja por isso! (puxa uma cadeira vai para se meter em cima da cadeira, mas Reinando impede)

Reinando: Estás doida, ou doido ou lá o que tu és? A meter os pés em cima da minha cadeira?

Pelvina: Então pronto subo para cima dum escadote! Tens aí algum?

Reinando: Mas qual escadote qual carapuça?

Pelvina: Ah já sei! Meto umas andas assim sempre me posso movimentar.

Reinando: Andas, andas mas é daqui para fora.

Pelvina: Mas qual é o teu probema afinal meu amor?

Reinando: O problema é que eu não gosto de mulheres com mangueira!

Pelvina: Oh meu querido mas isso resolve-se! Eu tiro a mangueira pronto!

Reinando: Não vale a pena! Porque eu não quero nada contigo, eu quero uma mulher a sério! Pois os homens foram feitos para as mulheres, assim como as mulheres foram feitos para os homens. Por isso desanda daqui!

Pelvina: Ai é assim? Andas a brincar com os sentimentos das pessoas? Então adeus sua bixa perconceituosa! (sai de cena pela porta de saída)

CENA 12

Reinando: (grita para fora de cena. Para o lado esquerdo) Bixa és tu oh caramelo! (continua a falar com publico) Eu não acredito que me está acontecer isto! Isto não pode ser verdade! De certeza que estou a ter um pesadelo! Afinal a minha Pelvina era aquele travesti anão que me tentou atacar no outro dia. O Zurcas bem me avisou, mas eu não lhe dei ouvidos e ainda fui bruto com ele. O rapaz pode ser um imbecil mas até é meu amigo! Agora vou continuar a ser o encalhado que sempre fui! Não! Eu vou ter de dar um jeito a esta situação! Sim! Vou deixar de ser esquisito e vou ligar á Bussonela. A moça pode não ser grande coisa, mas ao menos é mulher e como disse o Zurcas o que interessa é a beleza interior! Eu sempre sonhei ter uma mulher ao meu lado e que me desse muito amor! Se ela gosta de mim eu vou aproveitar, já que não consigo melhor. Temos que saber dar valor ás mulheres elas são muitos especiais. São a mais bela obra de Deus! Penso que ainda tenho o numero de telemovel dela! Vamos lá ver se ainda é o mesmo. É que esta juventude de hoje em dia, muda de numero de telemovel como eu mudo de boxers. (tira o telemovel do bolso e procura o numero) Ora Bussonela, Bussonela, Bussonela, aqui está! (marca o numero e espera) Atende! Vá lá atende Bussonela! Estou sim?... Olá Bussonela! Ainda te lembras de mim? Sou aquele rapaz amigo do teu primo Zurcas! Eu até costuma jogar á bola com vocês quando cá vinhas nas férias... Exacto! Sou aquele otário que marcava os golos na propria balisa!... Pois é verdade, como o tempo passa! Já lá vão uns anitos! Ainda eramos uns catraios! Tu eras uma miuda super fixe! Ainda te lembras quando me partiste a cabeça com um martelo?... Sim eu sei , o Zurcas disse-me que estás diferente. Até te dedicas á pintura e que hoje ias fazer uma exposição!... De que é que te estás a rir Bussonela?... Ai é mentira?... (para o publico) Grande aldrabão aquele Zurcas!... (continua a falar ao telemovel) O quê? Ai és modelo? Quem diria! Fico feliz por ti! Mas olha, eu estou-te a ligar porque queria te perguntar uma coisa... Estou? Bussonela estás ouvir?... Estou? O que eu quero á Bussonela? Quero falar com a miuda! Quero lhe pedir em namoro pois estamos os dois sozinhos... Ela já tem namorado?... É o senhor? O senhor tem a certeza que gosta da Bussonela?... Não! Não estou interessado em ir para a cova mais cedo! Não precisa de se incomodar...O quê? Podia voltar a repetir? É que não se está ouvir muito bem! É que tenho pouca rede aqui, sabe! Já comprei um bocado da rede de ir á pesca mas não está a resultar... Se eu estou a gozar com a sua cara? Não de maneira nenhuma!... Tenha lá calma, o senhor está muito alterado... Mas, eu não sabia que ela já namorava!... Mas porque é que que me quer bater? Já lhe disse que foi sem intenção!... Onde é que eu moro? Deixe lá isso homem! Eu prometo que não lhe volto a ligar!... Ai estava a fazer amor com a Bussonela?... Pararam por causa de mim? Desculpe lá não volta acontecer! Chauzinho! (desliga o telemovel. E meto-o no bolso) Pronto, já nem com a Bussonela me safo! O que vai ser de mim? Agora é que vou mesmo ficar encalhado para o resto da minha vida. Oh sorte a minha! (começa a chorar que nem uma criança durante alguns minutos. Entretanto alguém toca á campaínha) Mas quem será agora? Quem me vai atormentar a paciência desta vez? (vai abrir a porta e é a sua boneca insuflavel toda amassada) Titcholina! És tu meu amor? Olha para ti, toda amassada! O que te fizeram? (abana a boneca) Responde rapariga! O que te fizeram? Abusaram de ti e abandonaram-te não foi? Se é que são uns selvagens! Mas ainda bem que vieste pois já estava a ficar com saudades tuas e daqueles nossos momentos inesqueciveis. Vamos para o meu quarto, vamos voltar a repetir esses momentos! (sai de cena pelo lado direito. Lado das outras divisões)

FIM

Autor: Luís Gonçalves

29/07/2014







Biografia:
A MINHA AUTO-BIOGRAFIA Chamo-me Luís Gonçalves, nasci na data de 30/03/1984, sou de Serpins (Coimbra/Lousã) e um dos meus passatempos é o teatro. Sou ator num grupo de teatro amador e também escrevo teatro. Desde muito cedo que comecei a interessar-me por teatro. Tanto na escrita como na representação. Durante a minha infância e adolescência as minhas brincadeiras estavam sempre ligadas ao teatro. Adorava fazer teatro com a minha irmã, e os alguns vizinhos. Representávamos mesmo sem publico, só por prazer. Também fiz teatro na escola e na catequese. Quando andava no 7º ano da escola preparatória da Lousã, juntei-me a uma colega e fizemos a peça “as lições do Tonecas” para a nossa turma e professores. No 8º ano entrei para o clube de teatro da escola onde participei num festival de teatro escolar no TGV em Coimbra Quando terminei o 9º ano desisti de estudar e fui tirar um curso de formação profissional na área de Cerâmica e Bar numa instituição da Lousã. Um dia, juntei-me a um colega e resolve-mos criar um grupo de teatro com ajuda de uma professora. A direção da instituição aprovou a nossa ideia, contratou um ator de um grupo de teatro existente na Lousã na altura e mais tarde a atriz Cláudia Carvalho do Teatrão. Em 2009, participei num workshop de teatro dinamizado por a atriz/palhaça Alejandra Herzberg da operação nariz vermelho e foi nesse ano que decidi começar a escrever as minhas peças de teatro até aos dias de hoje. Comecei a partilhar os meus textos na internet e o resultado superou as minhas expectativas. As minhas peças tem tido algum êxito. Têm sido representadas norte a sul do país. Também são encenados na Madeira, Brasil, Angola e Moçambique. Em 2015 entrei para o grupo de teatro "Os Canastrões - Associação Cultural e Artística" onde pertenço até hoje como ator e Associado Fundador. O grupo é dirigido pelo encenador Bruno Teixeira e já fizemos duas peças: Em 2015 foi “O costa d'Africa” com 4 secções e em 2017 foi a peça “Comissário de policia” com 2 secções. Em 2018 recebi uma certificação de participação da minha peça “Enquanto ela não aparece” no Amasporto - XXII encontro de teatro associativo pelo grupo de teatro Aldeia Verde de Lazarim. Este grupo tem participado em vários encontros de teatro do país com esta peça e outras da minha autoria. Neste mesmo ano fui convidado pelo senhor Flávio Spiess, diretor da companhia de teatro Rizzo (Brasil) a fazer uma gravação de uma narração da peça “Cabral na esquadra se deu mal” de João Guerreyro, mas acabou por não dar certo, pois a qualidade do som não era a ideal. Neste momento continuo a fazer teatro com o grupo de teatro “Os canastrões” e a escrever uma nova peça. Peças de teatro da minha autoria: 2009- Á espera de ser chamado, 2009- Os turistas, 2009- Uma lição sem o tonecas, 2013- A que horas passará o autocarro?, 2013- Velhos são os trapos!, 2014- Enquanto ela não aparece, 2014- Pai! Mãe! Fomos assaltados!, 2016- O cliente tem sempre razão!, 2016- A grande jantarada
Número de vezes que este texto foi lido: 28661


Outros títulos do mesmo autor

Teatro A Hora da refeição Luís Gonçalves
Teatro A grande jantarada Luís Gonçalves
Teatro O Cliente tem sempre razão! Luís Gonçalves
Teatro Pai! Mãe! Fomos assaltados! Luís Gonçalves
Teatro Enquanto ela não aparece Luís Gonçalves
Teatro Velhos são os trapos! Luís Gonçalves
Teatro A que horas passará o autocarro? Luís Gonçalves
Teatro Uma lição sem o tonecas Luís Gonçalves
Teatro Os turistas Luís Gonçalves
Teatro Á Espera de ser chamado (monologo) Luís Gonçalves


Publicações de número 1 até 10 de um total de 10.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2019
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 58716 Visitas
A Arte De Se Apaixonar - André Henrique Silva 53275 Visitas
Minha namorada - Jose Andrade de Souza 42430 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 39466 Visitas
Reencontro - Jose Andrade de Souza 36093 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 35525 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 34320 Visitas
Amores! - 33797 Visitas
Desabafo - 33414 Visitas
Faça alguém feliz - 32020 Visitas

Páginas: Próxima Última