Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
A CURVA ASCENDENTE DE JAIRO
Wilson Luques Costa

Resumo:
CONTO BRASILEIRO

A CURVA ASCENDENTE DE JAIRO E AS SUAS HABILIDADES


Fui professor de filosofia de Jairo por dois anos. Seus índices sempre foram ascendentes. Partiu do adequado para o além do limite em um ano. Jairo discursava sobre tudo. Mas o que ele mais gostava era da cosmogonia grega. Interessou-se, também, pelos Pré-Socráticos, principalmente por Zenão, Tales e Anaximandro. Jairo sempre nas aulas me dizia que o problema do Brasil passava por uma cosmologia política, o que me deixava intrigado. Algum tempo depois, quando já formado, Jairo discursou sobre a clareza em Descartes e o Deus transcendental de Espinosa num desses encontros fortuitos que tivemos num supermercado. Falou-me também da ética kantiana e do seu imperativo categórico. De fato, Jairo fora um aluno espetacular de filosofia. Mas Jairo não quis seguir os conselhos da coruja. Jairo preferiu virar empresário. Hoje, Jairo já desponta como o terceiro empreendedor do setor. Além de vender maconha e cocaína, Jairo já exporta também cânhamo para as Ilhas Baleares e crack para as ilhas gregas. As aulas de geografia também lhe foram de grande valia para a logística. De fato, os gráficos matemáticos sempre nos demonstraram a excelência de Jairo. Que Jairo continue assim e sempre estudando.


Biografia:
Wilson Luques Costa nasceu em São Paulo, SP, Brasil. Jornalista, professor, poeta e escritor. Eleito pela Academia Internacional de Literatura Brasileira - NY um dos Top Five nos Destaques Literários Awards Focus Brasil NY na Categoria Ensino e Pesquisa com o ensaio O Paradoxo do Zero.
Número de vezes que este texto foi lido: 54816


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Revisitando Szymborsca Wilson Luques Costa
Poesias GATO Wilson Luques Costa
Poesias GATO Wilson Luques Costa
Contos NOSOCÔMIO Wilson Luques Costa
Contos TENDÊNCIA Wilson Luques Costa
Poesias A DÚVIDA SHAKEASPEREANA Wilson Luques Costa
Contos O CINÉFILO Wilson Luques Costa
Poesias Alguns poemas escolhidos Wilson Luques Costa
Contos ALMANAQUE RODÉSIA Wilson Luques Costa

Páginas: Primeira Anterior

Publicações de número 21 até 29 de um total de 29.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
Caras e bocas - Rayan sousa 54815 Visitas
O Amor e o Jardim - Marta Biscoli 54815 Visitas
SEM ENGANO - Tércio Sthal 54815 Visitas
Minha receita de vida - Alex 54815 Visitas
Véu Negro - Rayan sousa 54815 Visitas
Geração Y - jecer de souza brito 54815 Visitas
O grande Caderno azul - XIX - R.N.Rodrigues 54815 Visitas

Páginas: Primeira Anterior