Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
TENDÊNCIA
Wilson Luques Costa

Eu acho que a grande tendência do homem, e que seria por definitivo o seu saber, é calar-se. Mas isso seria muito diferente do homem tímido, que não fala ou só tartamudeia por uma característica sua psicológica. Digo calar-se, na acepção beckttiana quando afirma: ´eu não tenho nada a dizer, mas só eu sei como não dizê-lo.`Por isso, desculpem-me se a frase de Beckett não é bem assim. Eu, por exemplo, ando ainda muito longe de tudo isso: de tornar-me o homo silentium. Isso eu julgo que vem com a idade e com a experiência -- mas já faz algum tempo que eu venho sentindo o avanço do tempo: uma ruga no sobrolho ali que me parecia uma coisa passageira que vive todo dia me piscando, o cabelo que se torna rarefeito a cada dia, a mão que enruga, o desinteresse por atividades que até ontem pareciam imprescindíveis. Ficar em casa com uma maior assiduidade. A semana que mal começa, mal termina e vice-versa. A primavera que já passou, o inverno que começa e acaba. É verdade, ainda nos sentimos moleques, provocativos. Esquecemos que nosso tempo já passou. Queremos remodelar a estrutura do mundo e nem nos apercebemos que ela já foi remodelada faz anos por uma injunção natural da natureza. O olhar blasé pelos jornais. Leituras esparsas dos leads. Mas há jornais ainda? Eu acho que a grande tendência do homem, e que seria, por definitivo, o seu saber, é calar-se. Mas isso seria muito diferente do homem tímido, que não fala, ou só tartamudeia, por uma característica psicológica sua. Digo calar-se, na acepção beckttiana, quando afirma: ´eu não tenho nada a dizer, mas só eu eu sei como não dizê-lo.` Há certos momentos nas nossas vidas, que começamos a nos tornar repetitivos


Biografia:
Wilson Luques Costa nasceu em São Paulo, SP, Brasil. Jornalista, professor, poeta e escritor. Eleito pela Academia Internacional de Literatura Brasileira - NY um dos Top Five nos Destaques Literários Awards Focus Brasil NY na Categoria Ensino e Pesquisa com o ensaio O Paradoxo do Zero.
Número de vezes que este texto foi lido: 54859


Outros títulos do mesmo autor

Poesias A CASA SOTERRADA Wilson Luques Costa
Poesias A VISITA DE ROSA Wilson Luques Costa
Poesias SÁBADOS E DOMINGOS Wilson Luques Costa
Poesias O DÉRBI Wilson Luques Costa
Poesias A CURVA ASCENDENTE DE JAIRO Wilson Luques Costa
Poesias ODE URBANA Wilson Luques Costa
Poesias A VINGANÇA DA VIDA Wilson Luques Costa
Contos TESTEMUNHA DA CONTENDA ESPANHOLA Wilson Luques Costa
Contos Senhor Eugênio Wilson Luques Costa
Contos SEM ANESTESIA Wilson Luques Costa

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 29.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
Minicurso sobre a redação no ENEM - Isadora Welzel 79742 Visitas
URBE - Darwin Ferraretto 59556 Visitas
Salvando computador muito ruim - Vander Roberto 55647 Visitas
Contraportada de la novela Obscuro sueño de Jesús - udonge 55565 Visitas
81 anos da prisão e morte dos Rosas Brancas - Vander Roberto 55457 Visitas
Delícias da festa junina - Ivone Boechat 55394 Visitas
QUE SE... - orivaldo grandizoli 55375 Visitas
Lançamento do livro - Alberto Kopittke 55364 Visitas
Nua, totalmente indefesa - rodrigo ribeiro 55311 Visitas
O estranho morador da casa 7 - Condorcet Aranha 55303 Visitas

Páginas: Próxima Última