Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
A CABANA NO DESERTO
Saulo Piva Romero

HOUVE UM TEMPO EM QUE UM RAPAZ EGÍPCIO CHAMADO AMON SE PERDEU NA IMENSIDÃO DO DESERTO DO SAARA.
LÁ FAZIA MUITO CALOR E AMON COMEÇOU A FICAR MUITO CANSADO, POIS, ELE HAVIA CAMINHADO MUITAS LÉGUAS.
LOGO, ELE COMEÇOU A SENTIR TONTURA E A TER ALUCINAÇÕES, POIS, O SOL DO DESERTO DO SAARA ERA MUITO QUENTE.
AMON TEVE A SENSAÇÃO DE QUE IRIA DESMAIAR, POIS, SENTIA A SUA CABEÇA PESADA.
O SOL DAQUELE DESERTO NÃO DAVA REFRESCO PARA AMON QUE FOI FICANDO COM MUITA SEDE.
MAS, AMON MESMO SENTINDO MUITA SEDE CONTINUOU A SUA CAMINHADA PELO DESERTO DO SAARA.
ELE JÁ ESTAVA QUASE SEM FORÇAS, PRESTES A MORRER DE SEDE QUANDO ENCONTROU UMA VELHA CABANA DESMORONANDO NO MEIO DO DESERTO DO SAARA.
A VELHA CABANA NÃO TINHA TETO E NEM JANELAS, MAS, PARA ELE AQUELA MORADIA NO MEIO DO NADA ERA UM VERDADEIRO OÁSIS.
ENTÃO, ELE ENTROU NA CABANA E LOGO VIU QUE ALI TINHA UMA SOMBRINHA AGRADÁVEL E REFRESCANTE.
ASSIM ELE PÔDE DESCANSAR TRANQUILAMENTE SEM QUE O ESCALDANTE SOL DO DESERTO DO SAARA O CASTIGASSE.
MAS, A DESCOBERTA DAQUELA VELHA CABANA ABANDONADA NÃO FOI O SUFICIENTE PARA QUE AMON RESOLVESSE TODOS OS SEUS PROBLEMAS, POIS, ELE AINDA CONTINUAVA SEDENTO POR UM POUCO DE ÁGUA.
AMON JÁ HAVIA ENCONTRADO UMA SOMBRA PARA SE REFRESCAR DO FORTE CALOR QUE FAZIA LÁ FORA E AGORA PARA ELE SÓ FALTAVA ENCONTRAR UM POUCO DE ÁGUA FRESCA PARA SACIAR A SUA SEDE.
LOGO, ELE COMEÇOU A OLHAR AO REDOR DA VELHA CABANA E PARA A SUA SURPRESA, VIU NA SUA FRENTE UMA VELHA BOMBA D’ÁGUA ENFERRUJADA.
ASSIM, ELE GRITOU:
- PELAS BARBAS DO FARAÓ! AGORA EU VOU PODER SACIAR A MINHA SEDE E ME RECUPERAR DO CANSAÇO PROVOCADO PELO SOL ESCALDANTE, POIS, AGORA SIM EU TEREI SOMBRA E ÁGUA FRESCA!
ENTÃO LÁ FOI ELE E AGARROU A MANIVELA COMEÇANDO A BOMBEAR A BOMBA D’ ÁGUA SEM PARAR.
AMON BOMBEAVA A BOMBA E NADA DE SAIR A TÃO SONHADA ÁGUA
ENTÃO, AMON DESAPONTADO, CAIU DESESPERADO AO CHÃO E ALI FICOU IMÓVEL POR UM LONGO TEMPO.
O EGÍPCIO SÓ DESPERTOU QUANDO PERCEBEU QUE AO SEU LADO HAVIA UMA VELHA GARRAFA EMPOEIRADA.
ENTÃO, ELE SE LEVANTOU E PEGOU A VELHA GARRAFA E A LIMPOU REMOVENDO A SUJEIRA E O PÓ. E DEU NOVAMENTE UM GRITO.
- PELAS BARBAS DO FARAÓ
AMON HAVIA ENCONTRADO UM BILHETE DENTRO DAQUELA GARRAFA QUE DIZIA:
- MEU AMIGO, VOCÊ PRECISA PREPARAR ESSA BOMBA E DERRAMAR SOBRE ELA TODA A ÁGUA CONTIDA NA VELHA GARRAFA. E DEPOIS ENCHÊ-LA NOVAMENTE PARA O PRÓXIMO VIAJANTE QUE NESSA CABANA ENTRAR PARA DESCANSAR.
ENTÃO, AMON QUE CONTINUAVA MORRENDO DE SEDE, DISSE:
Ó GRANDE FARAÓ VOCÊ SÓ ESTAR BRINCANDO COMIGO, POIS, COM A SEDE QUE ESTOU SENTINDO NÃO VAI SOBRAR UMA GOTA D’ÁGUA PARA CONTAR HISTÓRIA!
ASSIM, DEPOIS DE LER ESSE RECADO, AMON SE VIU EM UM BECO SEM SAÍDA, POIS, SE BEBESSE TODA AQUELA ÁGUA QUE CONTINHA DENTRO DAQUELA VELHA GARRAFA, ELE CERTAMENTE IRIA SOBREVIVER, MAS SE POR VENTURA DESPEJASSE TODA AQUELA ÁGUA NA BOMBA E ELA NÃO FUNCIONASSE CERTAMENTE MORRERIA DE SEDE.
ENTÃO AMON FICOU PENSANDO NO QUE ELE PODERIA FAZER PARA ACABAR COM O SEU SOFRIMENTO E DEPOIS DE MUITO PENSAR, ELE DECIDIU FAZER O QUE ESTAVA ESCRITO NO BILHETE QUE HAVIA ENCONTRADO DENTRO DA GARRAFA.
ASSIM ELE COMEÇOU A DESPEJAR A ÁGUA QUE ESTAVA NA GARRAFA DENTRO DA BOMBA E EM SEGUIDA PUXOU A MANIVELA E COM MUITA PACIÊNCIA COMEÇOU A BOMBEAR. E LOGO DEPOIS A BOMBA COMEÇOU A RANGER E A CHIAR SEM INTERRUPÇÃO FAZENDO COM QUE NOVAMENTE NADA ACONTECESSE, POIS, A ÁGUA TEIMAVA EM NÃO SAIR DE DENTRO DA BOMBA.
MAS, O EGÍPCIO NÃO SE DAVA POR VENCIDO E DE TANTO TENTAR SURGIU UMA GOTINHA DE ÁGUA E LOGO DEPOIS UM PEQUENO FLUXO FAZENDO COM QUE A ÁGUA JORRASSE EM ABUNDÂNCIA.
AMON FICOU MARAVILHADO, POIS, AVELHA BOMBA FEZ JORRAR ÁGUA FRESCA E CRISTALINA.
ASSIM AMON FINALMENTE SACIARIA A SUA SEDE TERMINANDO COM O SEU SOFRIMENTO.
ENTÃO PARA O ALÍVIO DE AMON A VELHA BOMBA FEZ JORRAR ÁGUA FRESCA.
ENTÃO O EGÍPCIO ENCHEU A GARRAFA COM ÁGUA E BEBEU ANSIOSAMENTE E AINDA REPETIU A DOSE PELA SEGUNDA VEZ.
DEPOIS DE SACIAR A SUA SEDE AMON ENCHEU A GARRAFA NOVAMENTE PARA QUE O PRÓXIMO VIAJANTE QUE NA VELHA CABANA PARASSE PARA DESCANSAR TAMBÉM PUDESSE SACIAR A SEDE.
AMON ENCHEU AQUELA GARRAFA ATÉ A BOCA E A TAMPOU E EM SEGUIDA ACRESCENTOU UMA PEQUENA MENSAGEM AO BILHETE AMARELADO PELO TEMPO.
“CREIA, POIS, A BOMBA FUNCIONA PERFEITAMENTE, PORÉM É PRECISO DAR TODA A ÁGUA ANTES DE PODER RECEBÊ-LA DE VOLTA FRESCA E RENOVADA.”
NESSE MOMENTO AMON ABRE OS OLHOS E SE DÁ CONTA DE QUE TUDO QUE HAVIA PASSADO NO ABRASADOR E SUFOCANTE DESERTO DO SAARA HAVIA SIDO APENAS UM SONHO ASSUSTADOR.
 


Biografia:
Saulo Piva Romero, professor de Língua Portuguesa e Poeta, 46 anos. Nasceu em São Paulo no dia 9 de março de 1972. Começou a escrever poesias aos 18 anos. É formado em Letras pelas Faculdades Associadas do Ipiranga com Licenciatura Plena em Língua Portuguesa, Inglesa e Literatura.Em 2000 publicou seu primeiro livro Vida, amor e esperança.
Número de vezes que este texto foi lido: 34131


Outros títulos do mesmo autor

Contos A LUA E EU Saulo Piva Romero
Contos A MENINA E O CATAVENTO Saulo Piva Romero
Contos PAPAI NOEL EM HOME OFFICE Saulo Piva Romero
Contos O SONHO DO PAPAI NOEL Saulo Piva Romero
Contos A INCRÍVEL JORNADA DE UM PARDAL NO ALASCA Saulo Piva Romero
Contos SALZINHO DA TERRA Saulo Piva Romero
Contos O COLAR Saulo Piva Romero
Contos CUIDADO ABELHA QUE O ABELHARUCO VEM AÍ! Saulo Piva Romero
Contos DANIEL E OS LEÕES Saulo Piva Romero
Contos A ESTRELA DOS LAGOS Saulo Piva Romero

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última

Publicações de número 11 até 20 de um total de 267.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2021
 
  Textos mais lidos
LÍRIO - Alexsandre Soares de Lima 48093 Visitas
Guerra suja - Roberto Queiroz 47697 Visitas
A PRAIA DO PROGRESSO - Rosângela Barbosa de Souza 47389 Visitas
A tristeza no Nordeste - Wanessa Daiana de Brito 47267 Visitas
IHVH (IAHUAH) e ISV (IASHUA) - Gileno Correia dos Santos 46692 Visitas
Um dia serei algo - José Rony de Andrade Alves 46223 Visitas
Tempo - Luiz Fernando Sacramento Lusoli 45962 Visitas
Pou, a Majestade Não-Zoombi - Alice Silva 45759 Visitas
Conexão - Luca Schneersohn 45658 Visitas
Amanhã não saio fico em casa - Martinho do Rio 42549 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última