Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
O Brasil da Gripe espanhola
DIRCEU DETROZ

No momento em que o Coronavírus se alastra fazendo vítimas em todos os continentes. Em que se criam fake news sobre a doença para todos os gostos inclusive apontando os culpados, vamos voltar no tempo até 1918. Ao Brasil da Gripe espanhola que os números dizem, matou de 50 a 100 milhões de pessoas em todo o mundo.

Para escrever minha crônica semanal, vou me valer novamente de uma reportagem do “TAB” desta vez sobre sociedade do UOL. Seu título é: “São Paulo já parou antes: Gripe espanhola teve saques e cemitério 24 horas. Calcula-se que na capital paulista houve 350 mil casos, dois terços da população na época. Oficialmente foram 5.331 mortes causadas pela gripe.

Mas não foi apenas São Paulo. A historiadora Christiane Maria Cruz de Souza, doutora em História das Ciências da Saúde e autora do livro “A Gripe Espanhola na Bahia” da Editora Fiocruz, conta que muita gente adoeceu nas grandes e pequenas cidades. Em alguns lugares não havia quem cuidasse dos infectados.

Uma edição do jornal carioca da época Gazeta de Notícias estampava na primeira página manchetes como: “O Rio é um vasto Hospital”, “Socorro”, “A invasão da influenza espanhola”, “O povo sofre os horrores da exploração” e “A desídia (preguiça) do governo”.

A Gripe espanhola chegou ao Brasil trazida pelos passageiros a bordo do navio Demerara, que partiu de Liverpool na Inglaterra em 14 de setembro de 1918. Fez escalas em Lisboa e, já no Brasil, em Recife e Salvador, aportando depois na então capital do país.

De volta a historiadora Souza, ela conta tratava-se os sintomas: dor de cabeça, febre e coriza. Continua contando, na corrida pela descoberta de uma vacina, muitos médicos pegavam muco de pacientes infectados e inoculavam em si mesmos. Houve médicos que morreram realizando esse procedimento.

As orientações e conselhos eram simulares aos atuais. Lavar as mãos, evitar aglomerações, estar em locais arejados, evitar apertos de mãos e abraços. Também era preciso evitar o pânico. Os médicos diziam que o pânico baixava a imunidade e deixava a pessoa mais suscetível à gripe. Um jornal da época colocou em manchete: “A desordem dos espíritos causa a desordem das coisas”.

A caipirinha um remédio? Numa das versões sobre a invenção da caipirinha difundida pelo Instituto Brasileiro da Cachaça (Ibrac), a bebida foi criada no interior de São Paulo como remédio para os doentes da gripe. Uma adaptação do xarope feito com limão, alho e mel. Dizia-se que o acréscimo do álcool “acelerava o processo terapêutico”. Depois o alho e o mel foram substituídos pelo açúcar. Nascia a bebida mundialmente conhecida.


Biografia:
Sou catarinense, natural da cidade de Rio Negrinho. Minhas colunas são publicadas as sextas-feiras, no Jornal do Povo. Uma atividade sem remuneração.Meus poemas eu publico em alguns sites. Meu e-mail para contato é: dirzz@uol.com.br.
Número de vezes que este texto foi lido: 429


Outros títulos do mesmo autor

Crônicas Ficção, o perigo do realismo DIRCEU DETROZ
Poesias HOLISMO DIRCEU DETROZ
Crônicas Problemas técnicos DIRCEU DETROZ
Crônicas De Sagan ao Hubble DIRCEU DETROZ
Crônicas Nem tudo é pandemia DIRCEU DETROZ
Poesias SINA DIRCEU DETROZ
Crônicas Nossa bola murcha DIRCEU DETROZ
Crônicas Os humanos mudarão? DIRCEU DETROZ
Crônicas Como será o depois DIRCEU DETROZ
Poesias RESPIRO DIRCEU DETROZ

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última

Publicações de número 11 até 20 de um total de 992.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
TOMO TUDO - sigmar montemor 36054 Visitas
Lamento - FERNANDO 35862 Visitas
Faça alguém feliz - 35778 Visitas
Vivo com.. - 35170 Visitas
Parabéns, Daniel Dantas! - Carlos Rogério Lima da Mota 35100 Visitas
MANCHETE DE JORNAL - sigmar montemor 34940 Visitas
eu sei quem sou - 34073 Visitas
camaro amarelo - 33971 Visitas
MENINA - 33857 Visitas
sei quem sou? - 33832 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última