Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Brasil Pedro Pedreira
Daniel Machado da Conceição

Durante minha infância e adolescência o programa de televisão Escolinha do Professor Raimundo alegrou noites, tardes e finais de tarde. Chico Anysio, sempre com humor satírico, hilário e, muitas vezes, crítico, liderou uma turma com personagens que representavam a diversidade brasileira e expressavam traços de supostas identidades culturais presentes no povo. A escolinha exaltou a caricatura, em muitos momentos, desinteressada, individualista e irresponsável com o compromisso de aprender. O "jeitinho" ou a malandragem também nortearam o reconhecimento de alguns personagens que eternizaram chavões, por vezes, depreciativos da condição humana.

De todos os personagens, entre eles, Pedro Pedreira sempre pareceu ser questionador dos fatos, aquele que suscitava a contradição pela negação pura ou também estimulava um ceticismo outrora saudável e pertinente. Pessoalmente, enquanto assistia os episódios, pensava como pode negar fatos históricos? Sua performance artística expressava tamanha confiança ao apresentar propostas absurdas e esdrúxulas de (contra)provas para que pudesse então aceitar algo como verdade.

"Não me venha com chorumelas!", era o bordão do personagem Pedro Pedreira. No passado era cômico sua descarada audácia, intransigência e ignorância cega. O que produzia boas risadas, pois a piada e o humor eram o centro da encenação. Hoje, triste percebo que o Pedro Pedreira deixou de ser um traço da representação do brasileiro e passou a ser o modelo aceito na regência das relações políticas, econômicas, sociais e culturais. O cômico da ficção virou tragédia na realidade de um país que transformou a sátira caricatural e festiva em exaltação da barbárie física e intelectual.

Não me venha com chorumelas é o retrato do Brasil contemporâneo, com muitos Pedros Pedreiras sem disposição ao aprendizado e ao debate coletivo. Opulentam certa altivez que se reduz a gritos e ao dedo em riste, expressões do desejo de sempre dar um ponto final as discussões. Apesar de seu ponto de vista envolver uma dada perspectiva de mundo, por mais cômica ou hilariante que possa ser, aparentam uma visão carregada de argumentos que revelam ignorância e maldade em uma sociedade com informações disponíveis de maneira muito facilitada. Os Pedros Pedreiras vendam os olhos e tapam os ouvidos para o óbvio, destilando os seus sensos críticos de forma difusa e deslocada.

Essa é a realidade fatídica de um Brasil Pedro Pedreira que aguarda sempre um não me venha com chorumelas, uma expressão que foi atualizada no "é tudo Mi Mi MI" e no "choro é livre". O Brasil Pedro Pedreira é rancoroso, sisudo e agressivo. Uma nova imagem de um Brasil que aceitou a piada como realidade e a “verdade” como uma piada. Nosso país tem sua nova representação, Pedro Pedreira ganhou o protagonismo assumindo uma marca cada vez mais indelével. Para suportar esse momento, somente parafraseando o personagem, “só enfrenta quem aguenta!”


Versão final do texto com o título "Entre Pedros o Brasil que virou ‘Pedreira’, disponível em: https://pensaraeducacao.com.br/pensaraeducacaoempauta/entre-pedros-o-brasil-que-virou-pedreira/




Biografia:
Doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Educação/UFSC, na linha de pesquisa Sociologia e História da Educação, com o tema de tese sobre o "estudante-trabalhador". Mestre em Educação pelo PPGE/UFSC (2015), com dissertação sobre o "estudante-atleta", isto é, jovens atletas das categorias de base do futebol que desenvolvem atividade de formação profissional concomitante a sua escolarização. Graduado na licenciatura (2013) e no bacharelado (2014) em Ciências Sociais pela UFSC. Integro o Núcleo de Estudos e Pesquisa Educação e Sociedade Contemporânea (NEPESC/CED/UFSC), participo como membro do Grupo Esporte e Sociedade. Atuação como Professor de Sociologia no Ensino Médio Regular e EJA, Educador Social, Tutor à Distância e Conteudista para programa de capacitação profissional. Bolsista no Programa de Bolsas Universitárias de Santa Catarina UNIEDU/Pós-Graduação. http://lattes.cnpq.br/2349066033166809
Número de vezes que este texto foi lido: 1491


Outros títulos do mesmo autor

Crônicas Quem vive de passado é museu e eu não quero ser um Daniel Machado da Conceição
Ensaios O caso do acaso Daniel Machado da Conceição
Crônicas Escrever e o desejo de manter as recordações de uma vida Daniel Machado da Conceição
Crônicas Ser negro e o padrão de ser duas vezes melhor Daniel Machado da Conceição
Crônicas A trajetória de vida entre a hipocrisia e a verdade Daniel Machado da Conceição
Crônicas Chão Daniel Machado da Conceição
Ensaios O quanto eles sabem para nossa atualidade Daniel Machado da Conceição
Crônicas Brasil Pedro Pedreira Daniel Machado da Conceição


Publicações de número 1 até 8 de um total de 8.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 69493 Visitas
A Arte De Se Apaixonar - André Henrique Silva 55936 Visitas
IHV (IAHU) e ISV (IASHUA) - Gileno Correia dos Santos 48107 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 44661 Visitas
Minha namorada - Jose Andrade de Souza 44306 Visitas
Reencontro - Jose Andrade de Souza 43930 Visitas
Amor e Perdão - Amilton Maciel Monteiro 43207 Visitas
viramundo vai a frança - 43078 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 41905 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 41560 Visitas

Páginas: Próxima Última