Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
A MINHOCA E A FORMIGA
Saulo Piva Romero

RA UMA VEZ UMA MINHOCA QUE NÃO QUERIA SER AMIGA DE UMA FORMIGA.  NOCA ERA UMA MINHOCA MUITO CHATA.  ELA VIVIA ENTERRADA DEBAIXO DA TERRA. JÁ, LARISSA, A FORMIGA ERA MUITO SIMPÁTICA E AO MESMO TEMPO ERA MUITO DESANIMADA PORQUE TINHA AS PERNINHAS BEM FININHAS E AO CONTRÁRIO DE NOCA QUERIA SE APROXIMAR DELA PARA TENTAR CRIAR UMA RELAÇÃO DE AMIZADE VERDADEIRA. MAS, LARISSA TINHA MEDO DE CHEGAR BEM PERTINHO DE NOCA PORQUE ELA ERA MUITO COMPRIDA. ENTÃO, POR CAUSA DISSO, UMA NÃO FALAVA COM A OUTRA.  LARI, A FORMIGA QUASE NÃO SAÍA DO FORMIGUEIRO, POIS, TINHA UM SENTIMENTO DE INFERIORIDADE EM RELAÇÃO A MINHOCA. LARISSA, ALÉM DE TER AS PERNINHAS FINAS TAMBÉM SE ACHAVA MUITO FEIA E NOCA POR SUA VEZ ERA MUITO RESMUNGONA, POIS, VIVIA RECLAMANDO DA VIDA. ELA NÃO ACHAVA GRAÇA EM NADA NESSE MUNDO E NÃO SE CONFORMAVA DE TER QUE FICAR ENTERRADA DEBAIXO DA TERRA, A MAIOR PARTE DO TEMPO. ESSA SITUAÇÃO ESTAVA DEIXANDO TANTO A FAMÍLIA DA MINHOCA QUANTO A FAMÍLIA DA FORMIGA PREOCUPADA.
ENTÃO, A MAMÃE DE NOCA, A MINHOCA E A MAMÃE DE LARISSA, A FORMIGA MARCARAM UMA REUNIÃO PARA RESOLVER ESSE PROBLEMA QUE AMEAÇAVA COLOCAR O MEIO AMBIENTE EM DESEQUILÍBRIO E ACABAR DE VEZ COM A TERRÍVEL DEPRESSÃO EM QUE AS DUAS SE ENCONTRAVAM. AFINAL, ELAS ERAM BICHINHOS QUE HABITAVAM DEBAIXO DA TERRAS E AS SUAS MÃES ACREDITAVAM QUE AS SUAS FILHOTAS DEVERIAM ESTABELECER UMA BOA RELAÇÃO DE CONVIVÊNCIA E AMIZADE ENTRE AS DUAS. ENTÃO, AS SÁBIAS MAMÃES RESOLVERAM COLOCAR EM PRÁTICA UM PLANO PARA QUE A MINHOCA E A FORMIGA SE REAPROXIMAREM NOVAMENTE.
NO DIA SEGUINTE , A MAMÃE MINHOCA, CHAMOU A NOCA PARA QUE ELA ATÉ  O FORMIGUEIRO PEGAR ALGUNS ALIMENTOS QUE DONA FORMIGA TÃO GENEROSAMENTE HAVIA LHE DOADO, POIS, O INVERNO ESTAVA CHEGANDO E COM ELE VINHA A DIFICULDADE DE SE ENCONTRAR ALIMENTOS POR CAUSA DA NEVASCA QUE DEIXAVA A TERRA COBERTA PELA NEVE FORMANDO ENORMES PLACAS DE GELO.
- NOCA COM A PREGUIÇA E O DESÂNIMO DE SEMPRE COMEÇOU IMEDIATAMENTE A RESMUNGAR E PROTESTOU CONTRA O PEDIDO DE DONA MINHOCA.
- EU NÃO QUERO IR NA CASA DAQUELA TANAJURA DAS PERNAS FINAS. EU NÃO QUERO CONVERSA COM FORMIGUINHA SEM SAL E SEM AÇÚCAR.
- NOCA, MINHA FILHA, NÃO FOI ISSO QUE O NOSSO CRIADOR E SENHOR NOS ENSINOU QUANDO ELE PASSOU POR ESSE MUNDO. ELE NOS ENSINOU APENAS A AMAR O PRÓXIMO E A PERDOAR SEMPRE.
- MÃE, EU NÃO ENTENDO, PORQUE VOCÊ QUER QUE EU ME TORNE AMIGA DAQUELA FORMIGUINHA DA PERNINHA FININHA.
- JÁ CHEGA, NOCA! NÃO FOI ESSA A EDUCAÇÃO QUE EU LHE DEI. VOCÊ ESTÁ SENDO MUITO INDELICADA COM A LARISSA. VOCÊ IRIA GOSTAR SE ELA LHE CHAMASSE DE NOCA, A MOLEZINHA, POR CAUSA DA SUA LENTIDÃO PARA CAMINHAR?
- NÃO, EU IRIA ME SENTAR EM CIMA DELA E ESMAGÁ -LA.
- MINHA FILHA, ISSO SÃO MODOS DE FALAR DE NOSSAS IRMÃS DA TERRA! AGORA CHEGA DE RECLAMAR E FICAR FALANDO MAL DOS OUTROS E VÁ DEPRESSA PEGAR OS ALIMENTOS LÁ NO FORMIGUEIRO ANTES QUE O INVERNO BATA NA NOSSA PORTA.
E LÁ FOI A MINHOCA CAMINHADO LENTAMENTE PELAS CAMADAS MAIS PROFUNDAS DA TERRA ATÉ O FORMIGUEIRO ONDE MORAVA, LARISSA, A FORMIGA.
E CHEGANDO LÁ NOCA FOI RECEBIDA COM MUITA ALEGRIA PELA MAMÃE FORMIGA.
BOM DIA, DONA FORMIGA! RESPONDEU SECAMENTE A MINHOCA.
BOM DIA, NOCA! EU JÁ SEPAREI UMA CESTA COM VÁRIOS ALIMENTOS QUE ARRECADEI DURANTE TODO O VERÃO. AQUI ESTÁ, PODE LEVAR QUE É DADO DE CORAÇÃO.
QUANDO A MINHOCA OUVIU AS PALAVRAS TÃO CARINHOSAS QUE SAÍRAM TÃO SINCERAS E CHEIAS DE AMOR, A MINHOCA TOCADA PELO AMOR DE DEUS, SE TRANSFORMOU NUMA NOVA MINHOCA E AGRADECEU A ELA PELA CESTA TÃO FARTA DE ALIMENTOS E PEDIU PERMISSÃO PARA CONVERSAR COM A LARISSA.
- CLARO, VÁ CONVERSAR COM ELA! TUDO O QUE EU MAIS QUERO É QUE VOCÊS SE TORNEM AMIGAS E SE DEEM BEM NOVAMENTE.
ENTÃO, A MINHOCA CAMINHANDO LENTAMENTE CHEGOU AO QUARTO ONDE A FORMIGA SE ENCONTRAVA. LARISSA ESTAVA TRISTE E INFELIZ E CHORAVA MUITO FAZENDO COM QUE O SEU ROSTINHO SE TRANSFORMASSE EM UM MAR DE LÁGRIMAS.
A MINHOCA FOI SE APROXIMANDO DA BEIRADA DA CAMINHA DA FORMIGA E HUMILDEMENTE, SE AJOELHOU DIANTE DA FORMIGUINHA QUE ESTAVA MUITO ABATIDA E SE SENTINDO MUITO MAIS PEQUENINA DO QUE ERA.
 A MINHOCA ENVERGONHADA COM AS SUAS ATITUDES PARA COM A FORMIGA SE APROXIMA AINDA MAIS DA FORMIGA E SUSSURRA NOS SEUS OUVIDOS.
- EU VIM AQUI PARA CLAMAR PELO SEU PERDÃO. PORQUE EU PERCEBI QUE DURANTE TODOS ESSES ANOS QUE FICAMOS SEM FALAR UMA COM A OUTRA. EU FUI MUITO CRUEL COM VOCÊ E ÀS VEZES ATÉ LHE HUMILHANDO SÓ PARA TER O PRAZER   DE VÊ-LA CAIR NUM ABISMO SEM FIM.  MAS, FELIZMENTE SUA MÃE FEZ COM QUE EU ABRISSE MEUS OLHOS E DEIXASSE O AMOR QUE VEM DE DEUS TRANSBORDAR DE DENTRO DO MEU CORAÇÃO E CONSEGUIR ENXERGAR QUE CADA UMA DE NÓS, TEMOS UM JEITO DIFERENTE DE SER E AGIR PORQUE NINGUÉM É TÃO PERFEITO. MAS AINDA HÁ TEMPO DE APRENDER A RESPEITARMOS UNS AOS OUTROS.
A PARTIR DAQUELE DIA EM DIANTE A MINHOCA E A FORMIGA SE TORNARAM AMIGAS INSEPARÁVEIS PELOS LAÇOS DO CORAÇÃO DEIXANDO DE LADO TODAS AS DIFERENÇAS QUE EXISTIA NAS APARÊNCIAS DAS DUAS IRMÃS DA TERRA.
A MINHOCA E A FORMIGA FINALMENTE ENXERGARAM QUE O QUE REALMENTE IMPORTA NESSA VIDA QUE DEUS NOS DEU, É A BELEZA QUE CULTIVAMOS DENTRO DE NÓS E NÃO A BELEZA  APARENTE QUE SE DESGASTA COM O TIC-TAC DO RELÓGIO DO TEMPO.


Biografia:
Saulo Piva Romero, professor de Língua Portuguesa e Poeta, 46 anos. Nasceu em São Paulo no dia 9 de março de 1972. Começou a escrever poesias aos 18 anos. É formado em Letras pelas Faculdades Associadas do Ipiranga com Licenciatura Plena em Língua Portuguesa, Inglesa e Literatura.Em 2000 publicou seu primeiro livro Vida, amor e esperança.
Número de vezes que este texto foi lido: 277


Outros títulos do mesmo autor

Contos O MENINO DE PEDRA Saulo Piva Romero
Contos O NATAL ILUMINADO Saulo Piva Romero
Contos MINHA FILHA TÃO SONHADA Saulo Piva Romero
Contos O BATE-PAPO ENTRE O BOI E A FORMIGA Saulo Piva Romero
Contos TROVÃO SANTO Saulo Piva Romero
Contos A ARAPUCA Saulo Piva Romero
Contos O PAPAI NOEL, A RENA E O PINGUIM Saulo Piva Romero
Contos A PASTORA DE OVELHAS E OS TRÊS REIS MAGOS Saulo Piva Romero
Contos EPIFANIA,A ESPOSA DO PAPAI NOEL Saulo Piva Romero
Contos PAPAI NOEL DE PIJAMA Saulo Piva Romero

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última

Publicações de número 11 até 20 de um total de 193.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
Vivo com.. - 32226 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 31673 Visitas
eu sei quem sou - 31488 Visitas
camaro amarelo - 31456 Visitas
sei quem sou? - 31387 Visitas
MENINA - 31316 Visitas
viramundo vai a frança - 31308 Visitas
O que e um poema Sinetrico? - 31290 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 31253 Visitas
A menina e o desenho - 31217 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última