Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
NOS ESCOMBROS DO AMOR
Derlânio Alves de Sousa

Resumo:
Trata-se de um poema no qual o eu lírico se encontra abalado, sofrido, por não ser correspondido, lamenta, mas no final acredita que a pessoa amada ainda te ama, mesmo nas piores situações possíveis.

NOS ESCOMBROS DO AMOR

Sabe, quando todos os caminhos estão fechados?
Quando ergam muralhas ao seu redor?
Quando seu mundo todo desaba?
Quando te batem, te ferem, sem dó?

Sabe, quando o circo pega fogo?
Quando o tsunami devasta até mesmo as montanhas?
Deixando marcas de isolação tão horríveis, estranhas?

Pois foi assim, que o meu pobre coração ficou,
Dilacerado.
Quando das redes sociais, meu nome você bloqueou,
Minhas mensagens virtuais você não leu
Minha carta escrita você rasgou

E por último, meus apelos pelo lado de fora do seu portão
Você não atendeu
Deu queixa à polícia e preso fiquei
Alegando que fiz barulho pro bairro inteiro
Que te incomodei.

E fui para o cárcere do amor
Onde a paixão não tem voz e nem vez
Machucado e banido de corpo e de alma
Fui sem razão, talvez. Por ti esquecido.

E... É nessas horas, meus Deus.
Nem amigos a gente tem!
O banco da praça passa ter maior conforto.
Lá você se acha no céu, mesmo estando no fundo do poço!

Os companheiros do bar: um copo e uma garrafa vazia
Até mesmo as cinzas do cigarro se vão, em vão companhia!
E o dono do bar pra acabar de matar,
Faz tocar um modão,
Daqueles que faz machucar, arrasar qualquer coração!

Aí você toma o último gole.
Não sabe onde está,
Não se reconhece,
Não sente, não ver nada. Adormece!
É escárnio de si mesmo e do outro!

Mas há controvérsia...

Mesmo entre os detritos,
Preso, sufocado, detido...
Mesmo sem lucidez – inconsciente,
Mesmo sem o coração bater – batendo,
Mesmo sem poder ouvir – escuto
Sua voz me dizendo:

Por mais longe que esteja
Por pior que seja sua dor.
Ninguém esquece quem o ama
Mesmo estando preso
Nos escombros do amor.

Derlanio Alves - janeiro 2019 – poesia: Nos escombros do amor.


Biografia:
Derlânio Alves de Sousa, nascido em 04/01/1976 no município de Aiuaba CE, filho de agricultores, Eneas Alves e D. Santa, é professor de Língua Portuguesa, tem pós-graduação em Língua Portuguesa e Literatura brasileira.
Número de vezes que este texto foi lido: 33867


Outros títulos do mesmo autor

Poesias SEJA BEM-VINDO Derlânio Alves de Sousa
Poesias Metamorfose Derlânio Alves de Sousa
Poesias POR UMA CULTURA DE PAZ Derlânio Alves de Sousa
Poesias Vida Derlânio Alves de Sousa
Poesias Interior Derlânio Alves de Sousa
Poesias Alfabeto da motivação Derlânio Alves de Sousa
Poesias E aí José?! Derlânio Alves de Sousa
Poesias Conectado Derlânio Alves de Sousa
Poesias Nosso Legado Derlânio Alves de Sousa
Corporativo DIÁLOGO COM DEUS Derlânio Alves de Sousa

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 55.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2021
 
  Textos mais lidos
viramundo vai a frança - 76039 Visitas
Sem - ANDERSON CARMONA DOMINGUES DE OLIVEIRA 62004 Visitas
NÃO ERA NADA - Alexsandre Soares de Lima 50268 Visitas
O Trenzinho - Carlos Vagner de Camargo 50032 Visitas
Os Morcegos - Nato Matos 49605 Visitas
Pensamento 21 - Luca Schneersohn 49245 Visitas
A TRISTEZA E O SIM DA VIDA - Alexsandre Soares de Lima 48977 Visitas
MILA, A MENINA QUE MORAVA DENTRO DE UM COGUMELO - Saulo Piva Romero 48797 Visitas
Solidão que nada - Morgana Bellazzi de Oliveira Carvalho 48780 Visitas
Um dia - Luca Schneersohn 48226 Visitas

Páginas: Próxima Última