Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Olhos de Vapor
Gladyston costa

Resumo:
A madrugada em sampa, a luz, o vapor e a acidez da noite.

Olhos de vapor

São Paulo, mês seis, já não é mais outono, a madrugada é fria. É inverno, e em meio ao som agudo de sirenes e latidos a janela do decimo andar se abre para o caos, para paredes perfiladas, o horizonte é curto. A retina absorve a luz opaca que dissipa na neblina, vermelha a conjuntiva reclama da noite de pouco sono. Há reflexos de uma luz fria em meio ao vapor que inunda o ar, é densa e desfalecente, vem dos postes e das salas de estar empilhadas como caixotes. Como que proveniente de vagalumes cambaleantes a luz emana, foge e busca o espaço oprimido de névoa e concreto vertical. A luz densa procura flutuar pela madrugada, mas se revela quase morta, é uma quase não luz de tão pouco brilho. Suas partículas, quase sem pulso, tem peso de chumbo e se vestem de enxofre, tem ar de fumaça e se propaga em ondas frágeis. É uma quase não luz, é um sopro de energia que se perde contra a névoa densa e tóxica. Seus reflexos se agrupam em movimentos contrários à sua sede por espaço, e se prendem em feixes de energia, roubados pela insensatez da metrópole. A luz que emana dos postes e janelas chega torpe à retina, são gritos mudos, são gotas de orvalho de mercúrio e enxofre, de tão denso não se espalha no ar. A noite é de frio polar, a cidade é de celas solitárias com suas imensas paredes verticais, de cimento e ferro, de janelas sem expressão. A névoa que absorve a paisagem é cinza como metal, é pesada, é tóxica como chumbo e mercúrio. Os olhos que buscam o horizonte se vêem aprisionados, por entre o vapor da madrugada, e não alcançam o espaço para além da luz roubada.

Gladyston Costa


Biografia:
-
Número de vezes que este texto foi lido: 28525


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Quase Lua Gladyston costa
Poesias A curruira e o dente de leão Gladyston costa
Poesias O galo e a cidade Gladyston costa
Romance ''Desejo" Gladyston costa
Poesias Uma vida só Gladyston costa
Poesias Novamente o outono Gladyston costa
Poesias Olhos de Vapor Gladyston costa
Crônicas Nós Gladyston costa
Poesias Solstício Gladyston costa
Poesias Taxonomia do choro Gladyston costa

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 25.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2019
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 47070 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 38816 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 31671 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 31229 Visitas
Reencontro - Jose Andrade de Souza 31152 Visitas
Amores! - 30781 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 30598 Visitas
Desabafo - 30527 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 29890 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 29882 Visitas

Páginas: Próxima Última