Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Ana, ou o Poder da Oração
James Smith

Título original: Ana; Or, The Power of Prayer

Por: James Smith
(1802—1862)

Traduzido, Adaptado e
Editado por Silvio Dutra


James Smith foi o predecessor de Charles Haddon Spurgeon na New Park Street Chapel, em Londres, de 1841 até 1850. No início, as leituras de Smith foram ainda mais populares do que as de Spurgeon!

Susana, que viria a ser a esposa de Spurgeon, fazia parte da membresia desta igreja pastoreada por James Smith, bem antes de conhecer aquele com o qual viria a se casar, sendo uma bênção em seu ministério.


"Por este menino orava eu; e o Senhor atendeu à minha petição, que eu lhe tinha feito." (1 Samuel 1:27)
A oração é de nomeação divina. Deus não precisa disso, mas ele o ama, e o encoraja de várias maneiras. A fé é a alma da oração, e a oração é uma das manifestações naturais da fé. Onde não há fé, não há oração, quaisquer que sejam as formas. E onde não há oração, não há fé, qualquer que seja a profissão que possa ser feita. Tentar orar sem fé é irritante; e onde há fé, a menos que esteja em exercício vivo, a oração é um dever seco. Mas, quando a fé é vigorosa e viva, então a oração é um privilégio precioso.
O único objeto de oração é Deus - Deus como revelado em sua palavra - Deus satisfeito por nossos pecados - Deus como reconciliando a si mesmo as suas pobres criaturas rebeldes através da morte de Jesus. Nenhuma criatura deveria ser adorada, por mais pura que fosse a sua natureza, elevando sua posição, ou gloriosamente seus dons. Há somente um Deus – e assim um só objeto digno de adoração.
A oração de um pecador deve passar por um Mediador. A deidade divina absoluta, não pode ter relações com um pecador em um caminho de misericórdia, senão através de um Mediador. Como há somente um Deus, então há apenas um mediador "entre Deus e o homem - o homem Cristo Jesus". Jesus está diante do trono como o grande Sumo Sacerdote. Ele está entre Deus e nós. Ele é o mediador que pode colocar sua mão sobre nós (Jó 9:33). Ele satisfez a justiça de Deus por nós; e agora ele recebe nossas pobres orações e louvores, perfumando-os com seus próprios méritos, e assim apresenta-os ao seu Pai. Minha alma, mantenha seus olhos firmemente fixados em Jesus sempre que você se aproximar de Deus. Ele é o caminho para o Pai, o meio de comunhão com o Pai e de comunicação com ele.
A Bíblia está cheia de promessas feitas à oração. Na verdade, toda promessa apoia a oração. Quando Deus fez as suas mais ricas, mais livres e mais absolutas promessas ao seu povo, ele disse: "Ainda assim, isto será pedido pela casa de Israel para que o faça por eles". Deus promete ouvir a oração e responder à oração. Ele nos convida a orar. Ele nos exorta a orar. Ele promete que não oraremos em vão.
No entanto, somos tardios ​​para orar. O fato é que Satanás odeia, teme e está determinado, se possível, a evitar que oremos. Por isso nos irrita na oração, nos afasta dela, e nos tenta a negligenciá-la.
Há grande poder na oração. É quando oramos que temos "poder com Deus". Deus é representado como. . .
Tocado por nossos apelos,
Afetado por nossas lágrimas, e
Influenciado por nossos clamores.

Tão poderosa é a oração, que Lutero disse a seu respeito: "Deus é poderoso para conceder, mas impotente para negar". Na verdade, ele nunca se recusa a responder às nossas orações, exceto aquela que desonra seu próprio nome e caráter glorioso; ou se fosse nos ferir, ou se a concessão fosse prejudicial para outros. Nesses casos, não poderíamos desejar uma resposta, nem podemos esperar uma resposta. Mas, mesmo quando não obtemos o que oramos, o próprio exercício é uma bênção; e nosso Deus frequentemente nos dá algo mais rico e melhor, de modo que não podemos orar em vão!
Mas, olhemos para Ana. Suas circunstâncias eram muito dolorosas e tristes. Seu marido tinha outra esposa além dela. A própria Ana era estéril. Penina era sua adversária, que provocava a sua dor para fazê-la se preocupar. O ciúme era a raiz disso, e sabemos que "o ciúme é cruel como o túmulo". Ana chorou. Ela jejuou. A preocupação habitual fazia seu espírito triste. Seu marido tentou consolá-la, mas tentou em vão; pois em Siló, onde estava então o tabernáculo, "ela estava em amargura de alma, e orou ao Senhor, e chorou muito".
Ela não tinha nenhuma promessa positiva. É isso que a oração geralmente precisa. Quando temos uma promessa direta, isto parece justificar nossa importunidade, incendiar nosso fervor e nos encorajar a suplicar a Deus. Às vezes podemos encontrar uma promessa particular, que mantém para a nossa fé a bênção que precisamos; mas muitas vezes somos obrigados a recorrer a uma promessa geral, e então a submissão deve dizer: "Se é sua vontade"; ou, "Se é para a sua glória."
Para bênçãos espirituais, nós podemos orar com muita frequência, muito fervorosamente ou com muita confiança. Mas, para as bênçãos temporais, devemos sempre pedir em submissão à sabedoria divina. Não podemos ter muita graça, mas podemos ter muito ouro. As bênçãos espirituais nos manterão próximos de Deus, mas a abundância dos bens deste mundo pode nos separar dele.
O coração de Ana estava sobre uma criança. Como era comum com as mulheres judias, sentia um forte desejo de ser mãe. Se ela pudesse obter um filho do Senhor, ela estava disposta a pedi-lo emprestado ao Senhor. Ela poderia, senão chamar um filho como sendo dela por um tempo - o Senhor deveria chamá-lo de seu para sempre. Ela olhou para um filho como uma bênção de coração. Aqui seus desejos se centraram. Ela não tinha outra esperança senão em Deus. A natureza o negava, mas o Deus da natureza podia conceder seu desejo. Ela viu que Deus era supremo, que sua vontade era lei, que seu ouvido estava aberto, e a esperança surgiu em seu coração! Ela iria fazer uma aplicação especial para ele, ela iria tentar o que a fé e a oração fariam.
Como Deus estava em seu tabernáculo, quando ele estava entronizado no propiciatório, como ele havia dito: "Ali me encontrarei com você", ela foi a Siló, ela entrou na casa do Senhor. Seu espírito estava cheio. Sua alma estava triste. Seu coração estava pesadamente carregado. Ela sentiu um poder interior impulsionando-a. Ela deveria orar. Ela pediria a Deus. Ela apelaria para sua compaixão, ela provaria sua disposição para responder à oração. Ela orou, mas ela não falou. Seus lábios se moveram, mas sua voz não era ouvida. O Espírito da graça ajudava-lhe na sua fraqueza, e seu coração concebeu um gemido que não pôde pronunciar. Mas, o ouvido de Deus captou aquele gemido. O coração de Deus o recebeu. A terna simpatia de Deus foi animada por ela. Ele disse: "Isso deve ser feito!"
Feliz Ana, você conseguiu! Sua oração foi ouvida. Sua fé será honrada. Sua importunidade será coroada. Você terá um filho! Samuel será um testemunho vivo do poder da oração, uma prova duradoura de que o Senhor escuta o clamor de uma pobre mulher.
A fé percebe a bênção à distância.
A esperança inteiramente aguarda sua chegada.
O amor olha para cima e bendiz o doador gracioso.
A carga se foi de seu coração. A nuvem passou longe de sua fronte. A tristeza é afastada de seu espírito. Elcana agora terá uma esposa alegre - e Deus um adorador grato.
Ana venceu,
Penina é silenciada,
Elcana está encantado,
Satanás está confuso,
Deus é glorificado e
A igreja de Deus é instruída sobre o poder da oração!
Oh, que eu possa sempre olhar para Deus como um Deus que ouve e responde à oração! Que eu possa ler a Palavra de Deus, para verificar o que ele prometeu, e o que posso esperar de suas mãos! Oh, que eu possa carregar cada fardo, cada tristeza, e cada desejo sincero, para o seu trono! Oh, você Senhor, que ouve a oração - conceda-me o espírito de oração, e deixe-me provar o poder da oração, para corpo e alma, para mim e para os outros, para o tempo e para a eternidade!
Amado, a oração real sempre tem poder para aliviar uma mente sobrecarregada. O que faríamos às vezes, se não fosse pelo trono da graça? Quando a mente está sobrecarregada com preocupações mundanas, ansiedades domésticas, problemas da igreja e dez mil medos que surgem de uma variedade de circunstâncias - nada, senão a oração nos proporcionará alívio. Não podemos dizer a ninguém além de Deus o que pensamos, o que sentimos, o que tememos; mas, ao dizer-lhe às vezes, enquanto nossos rostos estão cobertos de ansiedades, e nossas almas são abaladas com cogitações, sentimos uma influência secreta e sagrada sendo exercida. Não há libertação positiva ou imediata, mas, nós mesmos somos suavizados, acalmados e estimulados a começar de novo, e tranquilamente levar a nossa cruz seguindo Jesus.
A oração tem poder para elevar o abatido. Medos culpados, dúvidas dolorosas e pressentimentos sombrios - muitas vezes nos jogam para baixo. Com Davi temos que exclamar: "Minha alma está abatida dentro de mim!" Os lábios estão fechados para nossos companheiros de viagem; não podemos dizer a ninguém o que sentimos, tememos ou pensamos; Satanás se aproveita disto, e nos persegue ainda mais, até que estamos cansados, abatidos e deprimidos. Então, vamos para o Senhor. Nós nos lançamos a seus pés. Um profundo suspiro, um gemido pesado, uma lágrima silenciosa, um olhar para cima, é tudo o que podemos dar. Ajoelhamo-nos em silêncio perante o Senhor. Invejamos os outros que achamos que têm liberdade no propiciatório. Nós suspiramos, "Oh, que eu pudesse encontrar acesso para expor minhas tristezas lá!"
Enquanto assim provado, pode ser que o grito suba, e a lágrima caia - e o Senhor olha para baixo, e agora podemos confessar nossos pecados, implorar o sangue expiatório, exercer fé na Palavra amorosa do Salvador, e nós começamos a levantar. A próxima coisa é que sentimos a rocha sólida sob nossos pés, inalamos o ar puro da terra melhor, e então o sol irrompe sobre nós, e então podemos cantar: "Esperei com paciência no Senhor, e ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor.
Tirou-me dum lago horrível, dum charco de lodo, pôs os meus pés sobre uma rocha, firmou os meus passos."
A alma começa agora a sentir as suas asas e a plumar as suas penas, o olhar reforçado olha para cima, e uma vibração interior é sentida. Veja, está subindo. Ela sobe ainda mais alto. O seio de Jesus é alcançado. O Santo dos Santos celestial é penetrado. As tristezas da vida são esquecidas. As alegrias da salvação são realizadas. Cumpre-se a promessa: "Aqueles que esperam no Senhor renovarão a sua força, subirão com asas como águias, correrão e não se cansarão, e andarão e não desfalecerão".
A alma não está mais abatida, e isto pode ser aplicado à igreja como tendo sido uma vez: "Ainda que você tenha se deitado entre os vasos - contudo você será como as asas de uma pomba coberta com prata, e suas penas com ouro amarelo".
Há poder na oração para encorajar os tímidos. O que fez Martinho Lutero tão corajoso? A oração! O que fez John Knox ser tão ousado? A oração! O que animava os santos mártires na prisão, apoiava-os diante de seus juízes cruéis e os fazia alegres nas chamas? A oração! Muitos homens bons entraram na presença do Senhor timidamente como um pássaro, mas saíram tão ousados ​​como um leão. A oração torna o espírito fraco corajoso, e o fortalece para a luta constante. Fortifica os desanimados, e faz o fraco dizer: "Eu sou forte!"
A oração tem poder para derramar as bênçãos mais ricas, escolhidas, e maiores, de Deus. Quando a oração de Elias abriu o Céu e regou profundamente a terra sedenta de Israel depois de uma seca de três anos e seis meses - assim as orações dos mais pequeninos, os mais fracos do povo do Senhor, derramarão um completo perdão de todo pecado na alma, paz doce na consciência, e alegria indescritível e cheia de glória no coração.
Não há uma bênção fornecida na aliança eterna, ou prometida na Bíblia bendita, ou necessária para a alma faminta - que a oração não tenha o poder para derramá-la. "Todas as coisas, tudo o que pedirdes em oração crendo, recebereis". "Tudo o que pedirdes em meu nome", disse Jesus, "isso farei, para que o Pai seja glorificado no Filho". "Pedi, e recebereis, buscai, e achareis, batei, e abrir-se-vos-á, porque todo aquele que pede recebe, e quem procura acha, e ao que bate, abrir-lhe-á".
Leitor, você ora? Eu não pergunto, se você repete orações, ou lê formas de orações? Pois não consigo entender como uma mera forma pode satisfazer uma alma viva. Creio que o Senhor ensina a todos os seus filhos a falarem com ele, e que ele gosta de ouvi-los falar-lhe na sua própria língua. Pode ser simples, pode ser quebrado, pode ser muito incorreto gramaticalmente - mas é como a própria criança. O Pai diz: "Deixa-me ouvir a tua voz." A criança responde: "A minha voz ouvirás de madrugada, desde o princípio clamarei e olharei para você."
Nenhuma mera forma de oração teria se adaptado à necessidade de Ana; e se for ensinada por Deus, nenhuma mera forma de oração lhe convirá.
Você ora? Sua oração é a expressão dos sentimentos, desejos e medos de seu coração? Você, quando de joelhos, diz ao Senhor exatamente o que sente, teme, deseja, e espera? Você fala com ele em sua própria língua, como a um pai amoroso, que conhece a sua situação, e lembra que você é apenas pó? Há poder em suas orações? Eu não quero dizer com isto que você sente o poder, embora isso é muito desejável, e frequentemente muito doce. Mas, você já obteve uma bênção de Deus em resposta à oração, uma bênção espiritual, a própria bênção pela qual você orou?
Você já levou a ele suas dúvidas, e trocou-as por confiança?
Você tem levado a ele seus medos e trocou-os por coragem?
Você tem levado a ele sua culpa, e trocou-a por perdão?
Vocês levaram consigo os seus trapos imundos, e os trocaram por vestes imaculadas?
Você levou para ele o inferno da miséria às vezes sentida no coração, e trocou-o pelo o céu de alegria que desce da mão direita de Deus?
Você ora por coisas temporais, porque seu Pai é o Deus da providência?
Você ora por bênçãos espirituais, porque ele é o Deus da graça?
Às vezes você sente-se levado à oração, pela aflição externa e angústia interior? E às vezes você se sente atraído pela oração, pela graça doce, vitoriosa e constrangedora do Espírito Santo em sua alma? O povo do Senhor aprende por experiência, essa oração real. . .
Flui da vida divina na alma,
É produzida pelo Espírito Santo,
Ascende através de Jesus,
Instrui a mente,
Alivia a consciência,
Afaga o coração,
Eleva a alma,
Suaviza a maneira áspera,
Repele os ataques de Satanás, e
às vezes eleva a alma acima do amor à vida e do medo da morte.
Você sabe alguma coisa dessa experiência?
Se você vive sem oração, está morto em pecado. Se você está satisfeito com uma mera forma de oração, você não está em melhor estado. Se você levar um formulário com você quando você vai falar com seu Pai em particular, você age muito diferente de uma criança. Deus ama a oração do coração, a oração que expressa confiança nele, a oração que pede e espera grandes e numerosas bênçãos dele. Ele não olha para a linguagem, mas para os sentimentos; e se há fé, fervor e importunidade, ele aprova, aceita e responde.
Oh, oremos pelo poder do Espírito de Deus dentro de nós, para que o poder da oração possa ser exercido por nós, e a rica, necessária e desejada bênção de Deus, possa ser derramada sobre nós em nossas almas, nossas famílias , sobre a igreja e o mundo que nos rodeia!



Este texto é administrado por: Silvio Dutra
Número de vezes que este texto foi lido: 54846


Outros títulos do mesmo autor

Artigos Sem Comparação James Smith
Artigos Perplexidade James Smith
Artigos A Bondade de Deus James Smith
Artigos Santificação James Smith
Artigos Venha a Mim James Smith
Artigos Graça Para o Humilde James Smith
Artigos A Nova Criação James Smith
Artigos Ana, ou o Poder da Oração James Smith
Artigos Graça James Smith
Artigos Eu Confiarei James Smith

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 28.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
Minicurso sobre a redação no ENEM - Isadora Welzel 79736 Visitas
URBE - Darwin Ferraretto 59549 Visitas
Salvando computador muito ruim - Vander Roberto 55635 Visitas
81 anos da prisão e morte dos Rosas Brancas - Vander Roberto 55456 Visitas
Delícias da festa junina - Ivone Boechat 55378 Visitas
QUE SE... - orivaldo grandizoli 55375 Visitas
Lançamento do livro - Alberto Kopittke 55357 Visitas
Nua, totalmente indefesa - rodrigo ribeiro 55309 Visitas
A FARSA DA USURA - fabio espirito santo 55293 Visitas
O estranho morador da casa 7 - Condorcet Aranha 55276 Visitas

Páginas: Próxima Última