Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
EM CADA INTERVALO
Tércio Sthal

Chove, chove, e ainda não parou,
ninguém sabe quando vai terminar,
e poucos sabem como começou,

silenciam-se as palavras, gestos e sons,
além e aquém das portas e janelas,
a transformar as referências dos tons,
no reforço das prisões e grandes celas.

Morrem santos e pecadores,
desaparecem vidas,
e, com elas, suas intenções,

restam as vagas, senhores,
a serem preenchidas
na grande feira de ilusões.

'Abrem-se as cortinas
e começa o espetáculo',
a compor as sinas
de vidas que, com pressa,
esperam por novos intervalos
e novo ato da peça.

Ladram cães ferozes na cidade,
soltos e expostos ao céu aberto,
agindo como solitários no deserto,
com começo e fim que ninguém sabe.

Muitos querendo ouvir só o que convém:
é melhor saber ouvir do que falar,
e mais importante do que criticar,
é saber a hora certa de ajudar alguém,

sem confundir remorso e solidariedade,
nem as cinzas de bela e frondosa árvore,
ou o desejo de apagar, no campo e na cidade,
o que escrito está, em relevo, no mármore.

Quando os olhos já preferem não ver,
quando os braços não querem mais abraçar,
os corações parecem não saber
o que devem fazer ou o que perguntar,

e quando as bocas não podem responder,
quando mais ninguém quer falar,
e quando as mãos insistem em não fazer,
só o silêncio, ao acaso, vai ecoar,

entre palavras mal ditas,
entre versos mal escritos,
entre as almas aflitas
e os corações contritos,

entre boas intenções que se foram
bem antes dos nossos gestos
que, aquém, sem roupa ficaram
na imensidão do Universo.

Flauta transversal em ouro e prata
na boca do cantor que não sabe tocar,
dá-lhe o direito e o poder de consagrar
tudo aquilo que ainda lhe falta,

gestos de carinho e generosidade,
a destravar o mudo, o mundo e o muro,
a abrir caminho para a felicidade
e a colheita de bons frutos no futuro.

Chove, chove, e ainda não parou,
ninguém sabe quando vai terminar,
e poucos sabem como começou.




Biografia:
Tércio Sthal, Natural de Tupã, SP, Poeta e Escritor, MBA em Gestão de Pessoas, Cadeira de nº 28 da Academia Nacional de Letras do Portal do Poeta Brasileiro, com publicações em coletâneas da Shan Editores, Autor de a Cidade das Águas Azuis e O Menino do Dedo Torto, Do Abstrato ao Adjacente, Inferências, Referências e Preferências em http://bookess.com e Lâminas e Recortes em Widbook.com
Número de vezes que este texto foi lido: 28837


Outros títulos do mesmo autor

Poesias QUADRILHAS E QUADRILHEIROS Tércio Sthal
Poesias DILEMA Tércio Sthal
Poesias MEDO ATÉ DE MOSQUITO Tércio Sthal
Poesias QUE O INTELECTO NOS CONVENÇA Tércio Sthal
Poesias SIMPLES E PRUDENTES Tércio Sthal
Poesias LEVE SOPRO Tércio Sthal
Poesias SEM RAIVA Tércio Sthal
Poesias INFECTADO Tércio Sthal
Poesias HYBRIS VERSUS DIKÊ Tércio Sthal
Poesias PELADEIROS Tércio Sthal

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 314.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 66282 Visitas
A Arte De Se Apaixonar - André Henrique Silva 55171 Visitas
Minha namorada - Jose Andrade de Souza 43713 Visitas
Reencontro - Jose Andrade de Souza 43336 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 42955 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 40877 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 39848 Visitas
Amores! - 38259 Visitas
Amor e Perdão - Amilton Maciel Monteiro 37809 Visitas
Desabafo - 37505 Visitas

Páginas: Próxima Última