Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
A FITA
ANTONIO CÍCERO DA SILVA

Resumo:
Conto premiado em segundo lugar, no CONCURSO FLORADA DE EMOÇÕES.

Em uma pequena e humilde cidade, houve um grande escândalo entre
pessoas de alto escalão. Nele, estavam envolvidos: Fazendeiros, comerciantes e doutores, sendo dos bem mais reconhecidos e respeitados em toda a região, como profissionais exemplos do povo. Eram pessoas, homens e mulheres, símbolos da prosperidade. Como eram dos maiores em situações financeiras, a maioria dos trabalhadores da cidade, pertenciam aos determinados poderosos. A maioria dos envolvidos no citado escândalo, eram pessoas de caráter e níveis elevados. E por ser a cidade muito pequena, todos os moradores já tinham conhecimentos de todos os fatos ocorridos. Mas ninguém ousava falar, por tratar-se de caso de fidalgos, que por não terem maiores cuidados com suas próprias reputações, vieram a caírem em más notícias e situações, das mais escabrosas. Foram abertas sindicâncias para a devida apuração do caso, mas como pessoa alguma ousava falar no assunto, tornava-se de caráter difícil, para as equipes responsáveis, pelo árduo serviço. E a cada dia em que se passava, a mau notícia se alastrava por todas as cidades circunvizinhas. E as autoridades, interessadas élo assunto, trabalhavam com o mais aplicado afinco, com o objetivo de elucidar ao tão alarmante caso. Mas a cada fraca pista em que encontravam, com o prosseguimento das investigações e depois de checadas, levavam os agentes, a nada. Investigações assíduos pelo dever, não descansavam, mas era se como inquirissem a fantasmas, uma vez que na realidade, até o momento, tudo se tratava de apenas, fortes comentários. Naquela cidade, as pessoas gostavam muitíssimo de festas, não se importando com as condições financeiras e familiares, de cada família. E tais estranhos assuntos, eram referentes aos festivos acontecimentos. Alguém falou em bares da cidade, que em uma das festas, o fazendeiro Chico havia passado a mão na mulher do doutor Joaquim, que havia correspondido com lindos e calorosos olhares, enquanto dançavam. Saiu inclusive, a estória, de que alguém possuia uma fita, onde estavam registradas aquela e outras ocorrências, referentes a acontecimentos daquela natureza, entre os mais fidalgos moradores, da cidade. Mas onde encontrar a tal fita? Era essa a pergunta sem resposta, de todos os envolvidos nos escândalos, que muito sofriam com aquilo. O doutor Joaquim, recebeu um telefonema de uma pessoa que não quie se identificar, onde procurava extorquir o profissional. Mas com tantas perguntas proferidas pelo doutor, o locutor passou a desligar o telefone, aparentamdo ter ficado nervoso. E como o estranho havia falado ao telefome que tinha a fita, o doutor falou ao delegado, que passou a monitorar com mais cuidados aos serviços, referente ao tal caso. E escalou vários dos seus agentes, para trabalharem no alarmante caso, que tornou-se em sacândalo. Na cidade, havia um rapazinho muito inteligente nas áreas de pesquisas em geral e passou a se interessar pelo assunto, que assim, passava valiosas informações naquele caso para a autoridade, que por sua vez, aceitava sua colaboração.
- Pires, entendeu realmente o que falavam que irão aprontar?
- Não sei, seu delegado, eles falavam que irão se dar bem...
- Pires, venha tomar um café comigo, enquanto continuaremos com o papo.
- Oh! Não. Seu delegado, não sou digno... de...
- Claro que é. Você é meu colaborador. Mas ninguém pode saber. Esse é um segredo, entre nós.
- Tudo bem...
- Pires, te falo claro. Assim como você não conta para ninguém dos seus diversos conhecimentos, por ser um menino divinamente esperto, também não pode contar para quem quer que seja, que tem colaborado comigo. Somente não esconda estes fatos, do seu pai. Entendeu?
- Sim, senhor delegado...
E por um instante, os dois fingiram se esquecerem do assunto, passando a falarem nas escolas e assuntos diversos, de maneira que, o homem ficava muito surpreso, por não entender de onde um garoto ainda tão novo e de família humilde, havia já adquirido tantos conhecimentos. O menino era realmente, uma rica enciclopédia, um cérebro perfeito, para a época. Era um gênio. Um crânio. A autoridade, jamais pretendia usar o menino para serviços, por ser ainda tão pequeno e mesmo, por não ser policial. Mas enquanto falavam, o menino viu um homem que passava apressado bem próximo dos mesmos e pediu ao delegado, para segui-lo, fato que foi aceito de pronto. Enquanto seguiam o suspeito, o Pires informava aos policiais, que aquele homem tinha alguma coisa a ver, com a fita. E realmente, puderam com facilidades, comprovar. O homem entrou em uma casa e ao sair, vinha com um pequeno objeto nas mãos, que ao ser abordado pelos agentes, estava com a fita, que não tinha nada registrado e ao ser inquirido, após tomar conhecimentos que havia sido seguido em todos os dias, se bem, que não sabia ter sido pelo menino, resolveu confessar que tudo aquilo não passava de uma farsa, com o objetivo de extorsão... e foi assim, tudo comprovado...


"Conto premiado em SEGUNDO LUGAR, no Concurso FLORADA DE EMOÇÕES".

*Publicado na ANTOLOGIA 2006 "FLORADA DE EMOÇÕES", Arte Poética Contemporânea (Celeiro de Escritores)


Biografia:
Antonio Cícero da Silva, nasceu em São José do Belmonte/PE, no dia 02/12/1962 e reside em Carapicuiba/SP. De família humilde, reconhece que na vida deve-se lutar em prol do desejado. É ex-guarda civil e ex-policial militar. Diretor de empresas. Perito e estrategista nas áreas de segurança física e patrimonial e investigações confidenciais. Na adolescência já se interessou pelo assunto literário, tendo brilhado em toda sua fase estudantil. Tem poemas publicados em jornais e revistas em São Paulo e Rio de Janeiro. É romancista, contista, cronista e poeta. É autor de dois livros. Um romance policial-ficção "Servir e proteger com Lealdade" (Editora Komedi-Campinas/SP,2005)e um de poesias, Nós Somos Poesia" (Câmara Brasileira de Jovens Escritores-Rio de Janeiro/RJ, 2005) e participação em várias Coletâneas e Antologias... E classificações em concursos e seletivas, entre elas; -IX e X Coletânea Komedi(Editora Komedi);-VII Antologia Nau literária(Ed. Komedi);-Antologia de Poetas Brasileiros Contemporâneos,volumes: 19 ao 30(Câmara Bras. de Jovens Escritores);-Antologia de Contos de Autores Contemporâneos, volumes: 11 e 18(CBJE);-Antologia Novos Talentos da Crônica Brasileira, volumes: 01,02 e 05(CBJE);-Poiesis Agenda Literária 2006(Oficina Editores);-Antologia Escritores Brasileiros: la, 2a e 3a Edições(Ed.Ricardo De Benedictis);-Antologia de Poesias,Contos e Crônicas:Palavras que Falam(Scortecci Editora)e outras publicadas, além de várias em andamento. Tem livros de poesias, romances e contos a publicar...
Número de vezes que este texto foi lido: 54817


Outros títulos do mesmo autor

Poesias NA MINHA CASA ANTONIO CÍCERO DA SILVA
Poesias NO NATAL ANTONIO CÍCERO DA SILVA
Contos A FITA ANTONIO CÍCERO DA SILVA
Poesias VOCÊ ANTONIO CÍCERO DA SILVA
Poesias AVIADOR, HERÓI DO AR ANTONIO CÍCERO DA SILVA
Poesias SÃO JOSÉ DO BELMONTE ANTONIO CÍCERO DA SILVA
Infantil O GRILINHO ANTONIO CÍCERO DA SILVA
Poesias POEMINHAS ANTONIO CÍCERO DA SILVA
Poesias O VAGA-LUME ANTONIO CÍCERO DA SILVA
Poesias NÓS SOMOS POESIA ANTONIO CÍCERO DA SILVA

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 14.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
AÇÃO DE REPARAÇAO CIVIL EX-DELICTO - francisco carlos de aguiar neto 54886 Visitas
Cata-ventos - Joseph Shafan 54843 Visitas
MANCHETE DE JORNAL - sigmar montemor 54842 Visitas
O vovô e a vovó - Helena Regina Santarelli M. de Campos 54841 Visitas
Pilatos e a imparcialidade - Patrícia 54840 Visitas
A LENDA DOS SETE MARES - Saulo Piva Romero 54840 Visitas
Moinhos - Joseph Shafan 54840 Visitas
Post Mortem - Europa Sanzio 54837 Visitas
Canto da Lira - Joseph Shafan 54837 Visitas
Como pode? - micro conto - Joseph Shafan 54837 Visitas

Páginas: Próxima Última