Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Paixão Violenta
Marcos Loures

Quanto mais vigorosa a mente, mais violenta a paixão em que se deixa envolver. Edmund Burke


Envolto em tão fantástica ilusão,
Persigo sem minuto de descanso
A sorte que nem sempre vem. Alcanço
Muitas vezes espaços na amplidão,

Porém o que desejo já me escapa
Sempre me deixa solitário e triste.
Quem luta, não se cansa e não desiste,
Nas curvas do caminho se derrapa

Mas não desiste nunca deste sonho!
Eu quero ser feliz e que se dane
Não deixo que a quimera sempre engane
Das lágrimas e risos me componho.

Não temo, resoluto, qualquer dano
O manto que me veste me traz Marte.
Amores posso achar em qualquer parte,
Mas eu quero esse amor mais leviano

Das brigas e das guerras sem ter tréguas,
Das camas desfrutadas com prazer,
Vontade de matar e de morrer.
Correr neste horizonte, longas léguas...

Trazendo em minha mão a dura adaga,
O gosto da vingança e do desejo.
Ao mesmo tempo mordo e peço beijo,
Ao mesmo tempo morde e já me afaga...

Nas mãos trazendo trágicos tentáculos,
Nas pernas maciez, a carne dura.
A lua que escurece a noite escura,
Tresloucando assim, todos os oráculos!

Quero teu desejo e meu delírio
Sutileza divina da dentada.
A voz que nunca sai, asfixiada,
A santificação neste martírio!

Paixão, voracidade que não teme.
Em meio a tempestade está feliz
Viver quase morrer só por um triz
Na dor e no prazer, a perna treme...

Inebriante cálice de vinho
Que sangra e que soprando traz a cura.
A mão que esbofeteia forte e dura
Depois em desespero quer carinho...

Não deixa nem sequer um sentimento
Que possa resistir ao furacão
Detona e reconstrói um coração,
Os restos espalhados pelo vento...

Explode no corcel e na pantera
No vôo e na boca que entrelaça
É sorte tanto quanto me desgraça
É morte e alimento da quimera!

Nossas roupas rasgadas pelo chão.
A loucura se espalha, perco o nexo,
A noite se rebenta em tanto sexo.
E depois disso tudo, a solidão!

Não quero ter amor que não maltrate.
Nem quero a mansidão desta amizade.
Amor se quer viver: cumplicidade,
Paixão no mesmo engate, desengate...

Agora que chegaste e que já fomos,
Vá-te embora não quero o teu amor!
Secamos toda fonte em todo ardor,
Da fruta que comemos cadê gomos?

Procure quem te queira, de verdade,
Não quero mais viver a noite fria.
A vida necessita fantasia.
Não restará sequer uma saudade!


Biografia:
Número de vezes que este texto foi lido: 28756


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Paixão Violenta Marcos Loures
Poesias Sextina do amor maior Marcos Loures
Poesias Rosa Marcos Loures
Poesias Decadência Marcos Loures
Poesias Coração Marcos Loures


Publicações de número 1 até 5 de um total de 5.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 68397 Visitas
A Arte De Se Apaixonar - André Henrique Silva 55717 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 44412 Visitas
Minha namorada - Jose Andrade de Souza 44137 Visitas
Reencontro - Jose Andrade de Souza 43756 Visitas
IHV (IAHU) e ISV (IASHUA) - Gileno Correia dos Santos 42786 Visitas
Amor e Perdão - Amilton Maciel Monteiro 42129 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 41355 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 41294 Visitas
Amores! - 39797 Visitas

Páginas: Próxima Última