Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Escondidinho de camarão
Cláudio Thomás Bornstein


Estava eu em Ipanema quando a fome apertou. Escolhi um restaurante natureba, não que eu seja fanático, mas lá costuma-se encontrar comida leve e saudável e o dia estava quente e abafado. Um cartaz na entrada dizia que a casa não servia carne vermelha.

Entrei, escolhi a mesa e sentei. Olhei em volta. Menininhos e menininhas, cabelos arranjados com uma displicência estudada, óculos escuros, pele morena, bem tratada e perfumada. Todo mundo parecia recém saído do banho. No pé, sandália havaiana, atestando informalidade. “Ih, entrei numa furada” foi o que eu pensei, mas olhei a coluna da direita do cardápio, e como o preço era razoável, resolvi ficar.

Pedi um escondidinho de camarão que não demorou a vir. Só que de camarão não havia nem o cheiro. Cavouquei no meio, procurei no fundo e nada do herói aparecer. No meio do molho havia uns pedaços de cor amarelada que mais pareciam abóbora. Chamei a garçonete: “Pedi escondidinho de camarão. Onde é que estão os camarões?”

Com ar muito entendido e procurando ressaltar a minha ignorância, ela respondeu: “É abóbora-camarão”.

“Ah, bem”, foi o que eu respondi. Não vou brigar, foi o que eu pensei. Faz mal à saúde, e não resolve nada. Terminei o escondidinho de abóbora na calma e na tranquilidade, pedi a sobremesa, mais um suco de laranja, o café e me levantei. Na saída cumprimentei gentilmente a garçonete e à guisa de despedida, botando a mão no chapéu, disse: “Meu nome é José. E já paguei, viu?” E saí sem pagar.


Biografia:
Para mais informações visite o blog CAUSOS em www.ctbornst.blogspot.com.br. Querendo fazer comentários, mande e-mail para ctbornst@cos.ufrj.br
Número de vezes que este texto foi lido: 266


Outros títulos do mesmo autor

Crônicas Fila de Banco – De máquinas e homens Cláudio Thomás Bornstein
Crônicas Pantanal Cláudio Thomás Bornstein
Crônicas Minas e o queijo: ciência e fé Cláudio Thomás Bornstein
Crônicas Mázinho Cláudio Thomás Bornstein
Crônicas Mandinga Cláudio Thomás Bornstein
Crônicas Lição de Tolerância Cláudio Thomás Bornstein
Crônicas Seu Pescocinho Cláudio Thomás Bornstein
Crônicas A vida é um conto de fadas... Cláudio Thomás Bornstein
Crônicas Barroco Mineiro Cláudio Thomás Bornstein
Crônicas A vida não é um conto de fadas Cláudio Thomás Bornstein

Páginas: Primeira Anterior

Publicações de número 71 até 80 de um total de 80.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
eu não insisti em andar pelos campos da saudade - Riz de Ferelas 18 Visitas
em meu coração existe uma tempestade - Riz de Ferelas 18 Visitas
navegando nessas águas sombrias - Riz de Ferelas 16 Visitas
um dia vamos colher rosas - Riz de Ferelas 16 Visitas
🔴Madonna de areia - Rafael da Silva Claro 14 Visitas
fantasmas das avenidas dos corações partidos - Riz de Ferelas 14 Visitas
Dores da paixão - Ivone Boechat 13 Visitas
A conquista da Atalanta e a resiliência - Vander Roberto 7 Visitas
Delícias da festa junina - Ivone Boechat 7 Visitas
🔴 Conto de fardas - Rafael da Silva Claro 5 Visitas

Páginas: Primeira Anterior