Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Amor Intermitente
Título II da Trilogia "Trindade"
Matheus Unagi

Você me ama assim mesmo, de vez em quando...
De vez em quando você se ama a mais, pra me dar um pouco a menos...
Sem se preocupar se vou deslizar entre seus dedos.
Mas é quando o frio da ‘não razão’ lhe aperta que você quer me ver andando.
Andando e vivendo em jejum de amor.

Um amor que em sua razão nunca será proporcional,
Onde no fim de cada batalha só há um invicto vencedor, e nós sabemos, irracional.
Que é desproporcional a cada esforço meu que nos mantém de pé. Desigual.

E eu continuo me doando em todas as suas necessidades,
Até porque você é bom em promessas, me prometeu reformar cidades.
Mas o edifício do nosso amor continua a desmoronar, e você continua pela Direita.
Sigo incertos princípios, mas mantenho a minha esperança de que você ainda se endireita.
Andando e vivendo em jejum de amor.

Ainda estás em zona de conforto,
E é assim mesmo que você me ama, quando é bom pra você, e eu sou o torto.
As coisas ainda saem boas para você.
E eu continuo a ser contínuo, estando à mercê.
Andando e vivendo em jejum de amor.

Você diz me conhecer, mas não me conhece de verdade, apenas me viu.
Eu sou o chão que você pisa, o ar que você respira, o anjo ‘travesti-do’ de entraves que você viu e resistiu,
Na rua, onde sua verdade não se concretiza, e o que se realiza é a falta do amor,
Que você adiou para amanhã, mas ainda diz que não desistiu.
Mas só por hoje, não estarei mais andando e vivendo em jejum de amor,

Do seu amor que não enxerga Gente.
Eu sou o que te doa incessantemente, eu sou aquele pra quem você mente.
Quem te dá chances, chances gastas em repetições; quem te dá lições.
Você continuará a me destruir?
Pois só por hoje, não mais permitirei; a história precisa ter um fim e não mais vou insistir.

E ambos sabemos,
Que nessa razão sobram restos, restos dos quais não vou mais viver.
Do seu amor que dura até o final, mas ainda não é pra valer,
Que nem o meu, que vai além dele,
Porque mesmo depois do fim, você ainda irá viver.

E eu estarei lá!
Você continuará a não aprender?


Unagi, Matheus.
14/05/2019


Biografia:
"Se com minha dor eu puder fazer arte, então toda dor será válida." -------- 21 anos, Técnico em Biotecnologia, Graduando em Biomedicina, Poeta, Escritor, Pensador e aspirante de conhecimentos gerais. Acompanhe-me: @mahtxt | facebook.com/mathunagi
Número de vezes que este texto foi lido: 25


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Amor Intermitente Matheus Unagi
Poesias Inocente Matheus Unagi
Poesias Deixar isso ir... Matheus Unagi
Poesias "Realístico 19:18" Matheus Unagi


Publicações de número 1 até 4 de um total de 4.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2019
 
  Textos mais lidos
haicai - rodrigo ribeiro 38272 Visitas
The crow - The Wiki World - The Crow 38266 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 30436 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 29886 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 29747 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 29739 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 29716 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 29534 Visitas
Amores! - 29529 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 29481 Visitas

Páginas: Próxima Última