Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
A TRINDADE
manoel serrão da silveira lacerda

Ao sociólogo e filósofo polonês Zygmunt Bauman.

Impalpáveis, quão infinitas e tão eternas...
Imutáveis, quão imateriais e tão transcendentais...

Ó espiais o que há no espaço?
Olhais os rios, os mares e a larga vastidão dos oceanos de Pontos.
Espiais os dias, as noites e o altivo de Urano e Gaia à procura da remota humana;
Olhais para as profundezas das cavas entranhas de Tártaros.

Olhais o que há no tempo?
Espiais o presente com os seus peregrinos errantes e miseráveis desesperançados sem liberdade;
Olhais essa "massa" passiva, invisível e sacrificada, meros expectros, filhos dessa Pátria saqueada;
Espiais esse “rebanho” forjado no aço do passado; e, para todos os sonhos futuros de redenção, que vão-se aos rés entre os dedos da ilusão.

Ó espiais o que há na base da matéria?
Olhais o primeiro, a carga positiva dos prótons; e, no meio dos prótons, impedindo que eles tenham contato direto os nêutrons;
Olhais para os elétrons, partículas dotadas de carga elétrica negativa.

Olhais o que há no estado da matéria?
Espiais o sólido que se liquidifica; onde todas as iterações e encontros dos entes se tornaram provisórios e temporários, fugazes e passageiros, válidos apenas até um novo dia;
Olhais para d'onde impera o individualismo, a desigualdade, a revolução digital, e a efemeridade das relações, e quão gases volatizaram todos os mais belos sonhos.

Ó espiais o que há na música?
Escutais a tão suave e sonora melodia da vida; e os cânticos harmoniosos, acompanhado de cítaras e harpas, a concisa harmonia do amor fraterno;
Olhais o ritmo que se dará à paz no mundo.

Então vedes, olhais o que deu-nos Deus em 3 em Um e no 3 e Um, uma assinatura para a redenção dos homens: em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
E nós homens todos amém!



Biografia:
Número de vezes que este texto foi lido: 28951


Outros títulos do mesmo autor

Poesias O "MITO" DA SECA [A SEXTA PARTE] manoel serrão da silveira lacerda
Poesias ÓCIO manoel serrão da silveira lacerda
Poesias ILHOSES manoel serrão da silveira lacerda
Poesias ANTINOMIA manoel serrão da silveira lacerda

Páginas: Primeira Anterior

Publicações de número 61 até 64 de um total de 64.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2019
 
  Textos mais lidos
Branca Flor - Bia Nahas 4 Visitas
Passeio pelo Universo - Bia Nahas 4 Visitas
Espanha - ANDERSON CARMONA DOMINGUES DE OLIVEIRA 4 Visitas
RESGATE O AMOR - Alexsandre Soares de Lima 4 Visitas
DEUS TE ABENÇOE, PROFESSOR! - Alexsandre Soares de Lima 3 Visitas
O alvorecer do transumanismo - DIRCEU DETROZ 2 Visitas
AVENTURAR - Alexsandre Soares de Lima 0 Visitas
O VAZIO DO ORGULHO QUE NOS SEPAROU - Alexsandre Soares de Lima 0 Visitas
ACERTAR NO AMOR - Alexsandre Soares de Lima 0 Visitas
TALVEZ - Alexsandre Soares de Lima 0 Visitas

Páginas: Primeira Anterior