Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Fim
maria campos

Então começa pela pele, que reluz a cor do que se quer,
Depois tudo vira um instante, um cheiro agridoce,
um pouco enjoativo,
Talvez vire contagem, expectativa de estar.
Depois vira ser.
Servi, servido, ser visto.
Cego de gozo e não mais de amor.
Só o aquilo. Isso.
Esse asco de desejo e repulsa.
Essa pequenez. Esses seres mal ditos.
Talvez mal comida, talvez mais vivida.
Talvez.
Ou só mesmo a lembrança da gozada.
Que nem veio.
Que...
Talvez só amor. Talvez só para o progresso.
Mais uma cidade como fruto de uma reconciliação.
Me reconcilio comigo, mas como se não me deixo?
Mas como se me esvazio, me azedo,
Me diluo e desço no ralo cheio de cabelo.
Mas como se não gozo?
Porque, amigo, o gozo é o momento mais bonito,
dessa vida que adoro.


Biografia:
Número de vezes que este texto foi lido: 29247


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Fim maria campos


Publicações de número 1 até 1 de um total de 1.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
Amores! - 38472 Visitas
Desabafo - 37698 Visitas
MANCHETE DE JORNAL - sigmar montemor 36310 Visitas
Parabéns, Daniel Dantas! - Carlos Rogério Lima da Mota 36156 Visitas
Faça alguém feliz - 36001 Visitas
Vivo com.. - 35331 Visitas
viramundo vai a frança - 34436 Visitas
eu sei quem sou - 34232 Visitas
camaro amarelo - 34110 Visitas
CÉREBRO HUMANO - Tércio Sthal 34087 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última