Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Gentileza é essencial
Ana Mello

Uma amiga usou essa frase no MSN. Também acho, gentileza é tudo de bom.
Que surpresa quando somos atendidos com carinho naquela ligação que caiu em algum número por engano:
- Não, não mora ninguém aqui com esse nome. Qual o número que você discou? Aqui é ...
- Desculpe, foi engano!
- Não tem problema nenhum não, isso acontece.
Quando alguém cede seu lugar na fila, seu acento no ônibus. Diz obrigado, cumprimenta, saúda.
Ou quando vamos fazer uma troca em uma loja, já desconfiados, prontos para apresentar a nota e exigir nossos direitos. A vendedora atende com aquele sorriso enorme e fala:
- Tudo bem, trocaremos agora mesmo.
Os colegas no trabalho também nos apanham de improviso. Muitos são elegância em pessoa, educados, prestativos, se estão de mau humor até saem de perto. Outros no entanto não perdem a oportunidade de pisar em um ou dois a cada dia.
A falta de garbo está em toda parte. Manifesta-se em uma piadinha preconceituosa, uma crise de arrogância, em grosserias gratuitas.
Isso me fez lembrar da história do Profeta Gentileza, um homem que andava de túnica e estandarte na mão entre o Caju e a Rodoviária Novo Rio no Rio de Janeiro. Ele registrava suas mensagens nas pilastras do Viaduto do Caju. Ele escreveu: gentileza gera gentileza. Entre outras frases simples mas muito sábias.
O verdadeiro nome do profeta era José Datrino. Ele começou a pregar essas mensagens em 1961 após um incêndio que destruiu um circo em Niterói. O acidente matou inúmeras pessoas marcando tão profundamente José que o fez abandonar o trabalho a mulher e os filhos. O Profeta Gentileza morreu em 1996, com 79 anos.
Mas a cortesia tem tudo para sobreviver. Gestos fraternos são um hábito que podemos começar praticando agora, e seguir pela vida toda.
Donaire!


Biografia:
Para saber mais sobre a autora acesse http://anamello.multiply.com
Número de vezes que este texto foi lido: 54816


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Desinfetante Ana Mello
Poesias Desinfetante Ana Mello
Crônicas Fogo que arde Ana Mello
Crônicas Manias Ana Mello
Crônicas Assuntos complicados Ana Mello
Contos Compunção Ana Mello
Contos No elevador - faltou luz Ana Mello
Crônicas Uma voz interior Ana Mello
Crônicas Oficinas e pessoas Ana Mello
Crônicas A verdade está nas unhas Ana Mello

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 27.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
AÇÃO DE REPARAÇAO CIVIL EX-DELICTO - francisco carlos de aguiar neto 54887 Visitas
O vovô e a vovó - Helena Regina Santarelli M. de Campos 54843 Visitas
Cata-ventos - Joseph Shafan 54843 Visitas
MANCHETE DE JORNAL - sigmar montemor 54842 Visitas
A LENDA DOS SETE MARES - Saulo Piva Romero 54841 Visitas
Pilatos e a imparcialidade - Patrícia 54840 Visitas
Moinhos - Joseph Shafan 54840 Visitas
Como pode? - micro conto - Joseph Shafan 54839 Visitas
Post Mortem - Europa Sanzio 54838 Visitas
Canto da Lira - Joseph Shafan 54838 Visitas

Páginas: Próxima Última