Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Pulseira do Sexo
Símbolos e simbologias
Xiko Acis

Resumo:
Colocamos a culpa na bomba atômica e não no ser humano que a jogou. Na arma e não no assassino que atirou. Na bebida e não no motorista que se embriagou. Agora, colocamos a culpa nas pulseiras coloridas e não nos jovens que as usam. O símbolo tem mais poder que o discernimento: os últimos acontecimentos envolvendo os artefatos colocaram a pulseira como a vilã de tudo.

Freqüentemente elegemos como vilã de nossas mais terríveis idiossincrasias, alguma coisa externa que, como passe de mágica, faz agir o “monstro” que habita em nós. Thomas Hobbes (1588-1679) filósofo inglês já dizia, em sua principal obra: O Leviatã, que Homo homini lupus – o homem é lobo do homem, para descrever que o ser humano tem uma natureza doentia e que é preciso a existência de um poder (o estado) para sucumbir essa natureza e para que o homem possa viver em sociedade.
     Colocamos a culpa na bomba atômica e não no ser humano que a jogou. Na arma e não no assassino que atirou. Na bebida e não no motorista que se embriagou. Agora, colocamos a culpa nas pulseiras coloridas e não nos jovens que as usam. O símbolo tem mais poder que o discernimento: os últimos acontecimentos envolvendo os artefatos colocaram a pulseira como a vilã de tudo.
     Se a proibição do uso da pulseira der certo, temos que aceitar a teoria de Thomas Hobbes em relação à condição humana. O homem é mesmo um ser doentio e precisará sempre do Estado para coibir sua natureza. Por outro lado, se soubermos por que os jovens gostam de usar as pulseiras e, mais do que tudo, SABEM por que estão utilizando, entenderemos um pouco mais a natureza humana e, talvez, poderemos ser mais autônomos, deixando para o estado apenas o que lhe compete.
     Essa é a discussão que devemos ter em todos os níveis: Jovens, Pais, Professores, Sociedade etc. Colocar o governo nessa discussão é dar para o estado mais uma atividade que ele vai conduzir de forma equivocada. Sempre que passamos a tutela de coisas da natureza humana para o estado, estamos passando um “pedaço” de nossa autonomia e consciência.
Se continuarmos a fazer isso, chegará o tempo em que, para tomar um café, devermos pedir permissão ao poder do estado. Parece exagero? Pois bem, veja como o braço do estado vem crescendo de forma totalitária em vários países do mundo. Vivemos um capitalismo que tem como premissa o poder. Esse poder, para uns é o lado doentio do ser humano, como diz Thomas Hobbes, para outros é chamado de evolução/desenvolvimento.
Enfim, se não discutirmos esse problema sem o envolvimento do estado, teremos que aceitar o que ele decidir. Seremos mais uma vez alienados de nossa condição humana autônoma. Um símbolo, seja ele qual for, não poderá nos cegar e fazer com que nossa liberdade de decidir seja tutelada. É assim com a pulseira, com um crucifixo e com toda simbologia existente no planeta. Se acreditarmos que o símbolo é mais forte que a consciência dos jovens, nada mais poderá ser feito. Os “objetos” se tornarão “sujeitos” de nossas vidas.

Xiko Acis
Filósofo & Consultor
www.xikoacis.com.br
Outono/2010.


Biografia:
Filósofo e Consultor de Empresas http://www.xikoacis.com.br
Número de vezes que este texto foi lido: 33892


Outros títulos do mesmo autor

Crônicas Habemus Praeses: Dilma Rousseff Xiko Acis
Crônicas Lula e Dilma: Aéticos ou Antiéticos? Xiko Acis
Crônicas Marina: Voto Branco Xiko Acis
Crônicas Lula - Pré-sal - Deus Xiko Acis
Crônicas Postura Ética Xiko Acis
Crônicas Ética Xiko Acis
Crônicas Bruno & Nardoni Xiko Acis
Crônicas Direito de Morrer Xiko Acis
Crônicas Vazamento do Petróleo do Golfo: Erro Científico Xiko Acis
Crônicas Imagine o Banco Itaú Xiko Acis

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 30.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2021
 
  Textos mais lidos
viramundo vai a frança - 76039 Visitas
Sem - ANDERSON CARMONA DOMINGUES DE OLIVEIRA 62004 Visitas
NÃO ERA NADA - Alexsandre Soares de Lima 50268 Visitas
O Trenzinho - Carlos Vagner de Camargo 50032 Visitas
Os Morcegos - Nato Matos 49605 Visitas
Pensamento 21 - Luca Schneersohn 49245 Visitas
A TRISTEZA E O SIM DA VIDA - Alexsandre Soares de Lima 48977 Visitas
MILA, A MENINA QUE MORAVA DENTRO DE UM COGUMELO - Saulo Piva Romero 48794 Visitas
Solidão que nada - Morgana Bellazzi de Oliveira Carvalho 48780 Visitas
Um dia - Luca Schneersohn 48226 Visitas

Páginas: Próxima Última