Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Reino Sagrado das Fadas
Bia Nahas

Na minha janela, observo a Lua que numa canção
massageia o meu dolorido coração.
A chuva cai alagando a cidade
como a lágrima em minha face.

Do outro lado do mundo, imagino o Sol pleno,
E ao me aproximar, ele abraça meu Espírito num momento.
Perdida nos meus devaneios eu me vejo subindo...
Estou levitando e batendo as asas do meu Espírito.

Meu Espírito se libertou
Do corpo deitado na coberta que ficou.
Meu Espírito sai voando sob os fios elétricos,
Litorais, desertos, campos e prédios.

Meu Espírito viaja livremente
Com o próprio desejo da minha mente
Que é extremamente inteligente
Me mostrando a vida eterna além do corpo deficiente.

Corpo deficiente pela materialização
que, pela agonia predominante no coração,
às vezes, teima em esquecer
Que é apenas um veículo do Espírito a aprender.

O amor se faz vivo
Em meu Espírito
Levitando pelo sublime céu
E me libertando do carnal véu. 

Eu bato os braços e consigo voar
E chego a realmente me emocionar
Por pintar o céu com meus dedos
E por dançar no mar sem meus medos.

Sem ser reconhecida, eu me encontro
com gaivotas e gaviões, pois não mais me escondo.
Vôo na velocidade dos meus pensamentos
Que agora estão acelerados pelas emoções dos momentos.

A coragem é despertada
Que estava aprisionada
Pelo enorme medo aprendido
Diante de tanto terreno perigo.

Eu continuo batendo as asas,
E me surpreendo com fadas
Ao meu lado me convidando para o lugar
Aonde costumam morar e refrescar.

Empolgada por conhecer uma nova cultura,
Eu logo topei encarar essa nova aventura!
Pela minha alma com a delas em conexão,
Fomos a uma cachoeira em outra dimensão!

É uma cachoeira com água cristalina
Onde elas cuidam como uma filha.
É um lugar tão sagrado para as fadas
Que podem descansar de quaisquer ameaças.

Essa cachoeira paradisíaca
Desperta em mim uma faísca
Para curiosamente sobrevoar em cada canto
Desse reino de pleno encanto.

O rio era tão grande abrigando animais diferentes.
E o amor era tão grande abrigando fadas benevolentes.
O respeito, o amor e a solidariedade nesse lugar
São os pilares como para os homens é o frívolo respirar.

No Reino Sagrado Transcendental das fadas,
A luz do Sol deixa as águas
num azul tão claro e límpido
Que chega a extasiar de tão lindo!

As fadas fazem seu ritual: um círculo ao redor da cachoeira
Para rezar em louvação e gratidão uma hora inteira
Pela cachoeira tão rica de luz celestial
Que as revitalizam em toda visita carnal.

Sempre que vão e voltam de cada trabalho terrestre,
o mergulho nessa cachoeira as ajudam como o Mestre
A trazer paz à alma em expiação
E paciência para passar por cada situação.

Agradecida, me despeço delas e continuo batendo minha asa.
Atravesso a atmosfera, observo da Lua a Terra maravilhada
E lá ouço uma voz que arrepia todo o meu ser
Que é a de Deus dizendo que ele nunca deixou de me ver.

Deus me disse que a amorosidade
Que agora na minha alma invade
Deve permanecer, quando encarnada também, em cada fala, ação e emoção
Porque o amor e a razão me protegerão nas provas de cada encarnação.

Deus me disse que as fadas
Me presentearam com asas
Para que, nesse momento, eu sinta a serenidade
Ao perceber nitidamente a minha espiritual realidade.

A cachoeira paradisíaca é a perseverança
para passar pelas dificuldades com desejo de mudança. 
Não é nos acomodar numa luz artificial
achando que nenhum defeito é real. 

A desmaterialização
É um processo gradual de cada encarnação.
É complicada num primeiro momento.
Mas depois, só haverá agradecimento.

Terminando de falar comigo, Deus me convida
Para que, voltando à minha atual corporal vida,
Eu não esqueça da cachoeira paradisíaca que me move
Em cada momento de dor que de luz me envolve.

Vagarosamente, eu volto para a minha cama
Porque há uma missão nessa vida que me chama.
Meu Espírito encarnado deitado agora vê pela janela
A Lua onde, num minuto atrás, eu estive nela...

Isso me faz pensar
No quanto, com o tempo, tudo pode mudar...
Isso me faz não mais me desesperar
Porque, com o tempo, tudo vai se ajeitar...


Biografia:
Oi, gente! Meu nome é beatriz nahas.Tenho 20 anos. Sou de São Paulo capital. Estou fazendo faculdade de psicologia. Cada poema é muito especial e único, pois expresso alguma inquietação social ou pessoal. Faço encomendas de poesias. ´E só me pedir por email que será um prazer fazê-la. Email para contato: nahasbeatriz@gmail.com Meu blog pessoal de poesias: www.rumoaminhamente.blogspot.com.br Twitter: @Bia__Nahas
Número de vezes que este texto foi lido: 145


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Olhos Azuis Bia Nahas
Poesias Sons Do Amor Bia Nahas
Poesias Noite De Chuva Bia Nahas
Poesias Hotel Abandonado Bia Nahas
Poesias Ei, Lindo! Bia Nahas
Poesias O Redimensionar Bia Nahas
Poesias Ensimesmada Bia Nahas
Poesias Dama Na Sua Cama (+18) Bia Nahas
Poesias Motel Nº 7800 (+18) Bia Nahas
Poesias Preso por Cabos Bia Nahas

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 299.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 60285 Visitas
A Arte De Se Apaixonar - André Henrique Silva 53606 Visitas
Minha namorada - Jose Andrade de Souza 42646 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 39716 Visitas
Reencontro - Jose Andrade de Souza 37312 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 36360 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 34663 Visitas
Amores! - 34445 Visitas
Desabafo - 34001 Visitas
Faça alguém feliz - 32552 Visitas

Páginas: Próxima Última