Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Razão de existir
Flora Fernweh

Por que existimos?
Não é por acaso nem sem razão. Todos temos um propósito, um motivo pelo qual viver, uma função na Terra. Alguns passam a vida à procura de seus objetivos, quando na verdade o motivo se revela dia após dia, basta enxergar e permitir ser guiado pela verdade daquilo que desperta a essência humana. O mistério da existência está no valor dado à vida pelo indivíduo consciente de sua condição e dos esforços que reúne para alcançar patamares desejados. Podemos desconhecer a razão pela qual outros seres vivos nascem, vagam pelo mundo e morrem. Mas nada é em vão, porque as diferentes formas de vida relacionam-se entre si, e contribuem mutuamente para o equilíbrio uma da outra. Por vezes, o motivo é ínfimo quando analisado individualmente. Portanto, é preciso ampliar o entendimento para conceber a vida como um todo orgânico e perfeito. O ser humano, dotado de virtudes e paixões, é um ser cujo caráter se define pelas escolhas diante da dualidade que o forma, e assim encontra seu ponto de partida, a fonte que lhe fornece os indícios pelo qual vale a pena continuar a viver em plenitude buscando a altivez do espírito.


Biografia:
Sobre minha pessoa, pouco sei, mas posso dizer que sou aquela que na vida anda só, que faz da escrita sua amante, que desvenda as veredas mais profundas do deserto que nela existe, que transborda suas paixões do modo mais feroz, que nunca está em lugar algum, mas que jamais deixará de ser um mistério a ser desvendado pelas ventanias. 
Número de vezes que este texto foi lido: 54703


Outros títulos do mesmo autor

Sonetos Lágrimas em minha janela Flora Fernweh
Contos Homens da Noite Flora Fernweh
Poesias Rio de Janeiro Flora Fernweh
Poesias Me procuro Flora Fernweh
Poesias Definição de amor Flora Fernweh
Resenhas O barco das crianças - impressões pessoais Flora Fernweh
Resenhas Arte como terapia - impressões pessoais Flora Fernweh
Resenhas O profeta, de Khalil Gibran - impressões pessoais Flora Fernweh
Resenhas As coisas que você só vê quando desacelera- impressões Flora Fernweh
Resenhas O império e os novos bárbaros - impressões pessoais Flora Fernweh

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última

Publicações de número 11 até 20 de um total de 383.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
eu sei quem sou - 54812 Visitas
O que e um poema Sinetrico? - 54808 Visitas
DIVINO SER - Ivan de Oliveira Melo 54808 Visitas
Carta para Sophie Scholl nº 2 - Junho/2024 - Vander Roberto 54806 Visitas
🔴 Atila, o rei dos energúmenos - Rafael da Silva Claro 54806 Visitas
viramundo vai a frança - 54803 Visitas
A força do recomeço de empresários atingidos pelas enchentes - Isnar Amaral 54802 Visitas
MENINA - 54800 Visitas
sei quem sou? - 54800 Visitas
camaro amarelo - 54798 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última