Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Estamos em crise?
Giulio Romeo

Porque a frequência do planeta terra está alterada?

Não há evidências científicas que sugiram que a frequência do planeta Terra esteja alterada de forma significativa. A Terra tem uma frequência natural conhecida como "ressonância Schumann", que é produzida pelas descargas elétricas na ionosfera terrestre. Essa frequência é influenciada por vários fatores, como atividade solar, condições climáticas e atividade humana, mas não há indicações de que ela esteja sofrendo uma mudança significativa.

No entanto, é importante destacar que existem muitas teorias que afirmam que a frequência da Terra está mudando e que isso está causando efeitos negativos na saúde e no bem-estar das pessoas.

As pessoas não tem mais tolerância?

Existe um argumento muito forte e expressivo que nos acomete em tempos atuais, devido ao cenário que presenciamos e assim, ficamos sem perspectiva de solidariedade, apenas o modo de sobrevivência física e psicológica ativado, na maioria dos casos.

A falta de tolerância é uma questão complexa que pode ter diferentes causas e manifestações. Pode ser resultado de uma série de fatores, como a polarização política e social, o medo e a insegurança, o estresse do cotidiano, a falta de empatia e compreensão, entre outros.

A falta de tolerância pode se manifestar de diferentes formas, como a agressividade verbal e física, a discriminação, o preconceito, o ódio e a intolerância religiosa, racial, virtual, de gênero e outras formas de discriminação.

É importante destacar que a tolerância não significa aceitar tudo ou não ter opiniões e convicções. A tolerância se refere à capacidade de respeitar e conviver com as diferenças, mesmo quando não concordamos com elas.

As pessoas não estão se entendendo como antes?

Pode haver muitas razões pelas quais as pessoas não se entendem como antes. Algumas das causas podem incluir:

Falta de comunicação eficaz: Quando as pessoas não se comunicam efetivamente, é mais difícil entender os pontos de vista dos outros e chegar a um acordo.

Diferenças culturais e de valores: Em uma sociedade diversa, as pessoas podem ter diferentes perspectivas e valores, o que pode levar a conflitos. É importante ter empatia e compreender as diferenças culturais e de valores para evitar mal-entendidos e conflitos.

Polarização política: Em muitos países, há uma polarização política crescente, com pessoas que se identificam com diferentes partidos políticos e têm visões diferentes sobre questões políticas e sociais. Isso pode levar a uma falta de diálogo construtivo e ao aumento do conflito.

Uso excessivo de mídia social: O uso excessivo de mídia social pode levar a uma falta de interação cara a cara, o que pode prejudicar a compreensão mútua e a empatia. Além disso, as redes sociais muitas vezes podem criar bolhas de opiniões, onde as pessoas são expostas apenas a perspectivas semelhantes às suas próprias, o que pode levar à polarização.

Problemas de saúde mental: Questões de saúde mental, como ansiedade e depressão, podem afetar a forma como as pessoas se comunicam e interagem com os outros, o que pode levar a hostilidades, desinteligência, antagonismo, confrontação e vários tipos de batalha.

É importante abordar essas questões para promover uma melhor compreensão e interação entre as pessoas. Isso pode incluir a promoção da comunicação eficaz, a criação de um ambiente acolhedor e inclusivo para pessoas de diferentes origens, a redução da polarização política e o combate à estigmatização da saúde mental.

A falta de cognição é uma forma de desentendimento ou não compreensão entre as pessoas?

Sim, a falta de cognição pode ser uma causa de desentendimento ou não compreensão entre as pessoas. A cognição refere-se aos processos mentais que envolvem a percepção, a atenção, a memória, o pensamento e a compreensão. Se uma pessoa está sofrendo de uma falta de cognição, isso pode afetar sua capacidade de entender e processar informações corretamente, o que pode levar a choques de opiniões e também a atritos desnecessários.

Pode haver diferenças individuais na capacidade cognitiva, como dificuldades de aprendizagem ou problemas de processamento de informações, que podem afetar a forma como as pessoas compreendem e se comunicam com os outros. É importante ter empatia e compreensão em relação a essas diferenças e buscar maneiras de se comunicar satisfatoriamente e sem conflitos.

Devido ao momento sombrio que vivemos, a agressividade tomou conta das pessoas?

A pandemia, as incertezas e mudanças associadas a ela certamente têm, desde 2020, criando um clima de ansiedade e estresse em muitas pessoas, agravando assim, a crise emocional que já existia. Embora nem todas as pessoas reajam à ansiedade com agressividade, algumas podem sentir mais irritação, impaciência e reatividade emocional, o que pode levar a comportamentos agressivos. E sem mencionar os efeitos colaterais dessa pandemia que existem nas pessoas que forma infectadas, que são muitos, incluindo a intolerância e a falta de empatia.

A polarização política e social em muitos países tem se intensificado, o que pode aumentar a agressividade e o conflito entre grupos de pessoas que têm pontos de vista diferentes. A mídia social e as notícias também podem amplificar a sensação de ameaça e medo, levando a um aumento da ansiedade e, possivelmente, da agressividade.

A guerra psicológica entre "Nós" e "Eles" na questão ideológica

A guerra psicológica entre "Nós" e "Eles" na questão ideológica é um fenômeno comum na sociedade atual, especialmente em contextos políticos e sociais polarizados. Essa divisão pode ser vista em diversos países e regiões do mundo, onde as pessoas se identificam fortemente com um grupo político ou ideológico e lutam contra o outro.

Essa divisão pode levar a uma série de problemas sociais e psicológicos, como o fortalecimento do ódio e da intolerância, a desumanização do outro grupo, o medo e a insegurança, a polarização e a falta de diálogo e entendimento entre os diferentes grupos.

Para lidar com o momento sombrio que vivemos, é importante buscar fontes confiáveis de informação e apoio, manter um estilo de vida saudável, praticar a empatia e a compaixão com as pessoas ao nosso redor e buscar aconselhamento.

O momento de incerteza que o planeta passa é motivo para perder a esperança?

O momento de incerteza que o planeta está passando certamente pode ser difícil e desafiador para muitas pessoas, mas não é motivo para perder a esperança. A história da humanidade é marcada por crises e desafios, mas também por superação, inovação e progresso.

É importante lembrar que a ciência, a tecnologia e a medicina estão trabalhando incansavelmente para encontrar soluções para a pandemia e para outros desafios que enfrentamos, como a mudança climática. Além disso, há muitas pessoas e organizações em todo o mundo que estão trabalhando para ajudar os necessitados, promover a justiça social e proteger o meio ambiente.

Manter a esperança pode ajudar a enfrentar as dificuldades com mais resiliência e perseverança.

É importante focar nas coisas positivas que ainda existem no mundo, como o amor, a solidariedade, a criatividade e a beleza da natureza. Também é fundamental seguir as recomendações das autoridades de saúde para prevenir a propagação do vírus, cuidar de si mesmo e dos outros e encontrar maneiras de se adaptar a esse novo cenário.

Portanto, embora possa ser difícil manter a esperança durante períodos de incerteza, é importante lembrar que a história tem mostrado que a humanidade é capaz de superar desafios e encontrar soluções inovadoras para problemas complexos.

Vamos acreditar mais, na vida e na realidade. Vamos ter mais esperança, pois em milhares de anos, as fases ruins superamos, reconstruímos e continuamos adiante.

Após a segunda guerra mundial, como exemplo, as pessoas achavam que era o fim da humanidade devido as destruições e ao fator psicológico negativo que estava presente.

O psicológico das pessoas ficou estremecido e abalado. A guerra deixou um legado de morte, destruição e trauma em grande parte da Europa e Ásia, além de ter causado sofrimento e perda para milhões de pessoas em todo o mundo.

Os traumas e as experiências traumáticas vividas durante a guerra, como a violência, a perda de entes queridos, a fome, o medo e a incerteza, afetaram profundamente a saúde mental das pessoas. Muitos sobreviventes da guerra desenvolveram transtornos mentais como estresse pós-traumático, ansiedade, depressão e outros problemas emocionais e psicológicos.

Além disso, a guerra trouxe profundas mudanças sociais, políticas e culturais que também afetaram o psicológico das pessoas. A guerra mudou a forma como as pessoas viam a si mesmas, umas às outras e o mundo em geral. As experiências vividas durante a guerra contribuíram para a emergência de novas tendências culturais, artísticas e políticas que refletiam a necessidade de reconstruir e reconciliar as nações e povos afetados pela guerra.

No entanto, a humanidade também demonstrou sua resiliência e capacidade de recuperação após a Segunda Guerra Mundial. Muitas pessoas conseguiram se recuperar dos traumas vividos, e a reconstrução e o progresso foram alcançados em muitos países afetados pela guerra. A criação da Organização das Nações Unidas (ONU) e outras iniciativas internacionais também contribuíram para a promoção da paz e cooperação entre as nações, com o objetivo de evitar a repetição de conflitos e traumas semelhantes no futuro.

Vamos modificar o nosso modo de pensar e agir, modificando o planeta para melhor

Com certeza, a mudança começa com cada um de nós. É necessário repensar nossos hábitos e comportamentos e agir de forma mais sustentável e consciente em relação ao meio ambiente e às outras pessoas.

Com a união e o comprometimento de cada indivíduo, é possível criar um mundo mais justo, sustentável e equilibrado para todos. Não é fácil todos adotarem essa proposta, mas também não é impossível, pois quando a água bater na cintura, cada um vai refletir e tentar salvar a sua família, amigos, comunidade e assim, como sempre, a humanidade só se conscientiza dos problemas que existem, caso sejam particularmente afetados por eles.

Então vamos ter consciência e tentar ter um mundo melhor, não é verdade? - Afinal, ganhamos de presente a vida, que na verdade, são férias que a morte nos concede. E esse planeta lindo, que no nascimento, pela primeira vez abrimos os olhos e o enxergamos, ficamos encantados com a sua beleza. E com o passar dos anos, o entendemos e o admiramos, pois constatamos que aqui existe tudo que necessitamos para viver uma passagem inesquecível nessa dimensão, nesse plano de aprendizagem, basta analisar com carinho e atenção.

E assim, para os que acreditam, agradeçam a Deus, ao Criador. E para os céticos, agradeçam a Natureza por terem um mundo tão lindo, um planeta modelo na galáxia. Enfim, vamos agradecer de qualquer forma, pois é o jeito mais simples e honesto de termos energias positivas em relação à Lei do Retorno.

No inferno os lugares mais quentes são reservados àqueles que escolheram a neutralidade em tempo de crise.

Quando escrito em chinês a palavra crise compõe-se de dois caracteres: um representa perigo e o outro representa oportunidade.
John Kennedy

Reflitam!


Biografia:
Professor de Ciências da Religião, Teólogo e Pesquisador de Ciências ocultas. Procuro a verdade e quero compartilhar meus estudos sobre o comportamento filosófico e religioso de povos e comunidades, que tem a fé, como sustentáculo de sua existência tridimensional.
Número de vezes que este texto foi lido: 54880


Outros títulos do mesmo autor

Artigos O que falta dizer das Mulheres? Giulio Romeo
Artigos O Vale do Gamarra Giulio Romeo
Artigos Eudaimonia e Entropia Giulio Romeo
Artigos A diáspora recorrente Giulio Romeo
Artigos Parintins, a Ilha da Magia Giulio Romeo
Artigos Maniqueísmo dos incompatíveis Giulio Romeo
Artigos Solidão ou solitude? Giulio Romeo
Artigos Estamos em crise? Giulio Romeo
Artigos A Doença da Alma Giulio Romeo
Artigos Estoicismo, uma forma de viver em Paz Giulio Romeo

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 53.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
Minicurso sobre a redação no ENEM - Isadora Welzel 79736 Visitas
URBE - Darwin Ferraretto 59549 Visitas
Salvando computador muito ruim - Vander Roberto 55635 Visitas
81 anos da prisão e morte dos Rosas Brancas - Vander Roberto 55456 Visitas
Delícias da festa junina - Ivone Boechat 55378 Visitas
QUE SE... - orivaldo grandizoli 55375 Visitas
Lançamento do livro - Alberto Kopittke 55357 Visitas
Nua, totalmente indefesa - rodrigo ribeiro 55309 Visitas
A FARSA DA USURA - fabio espirito santo 55293 Visitas
O estranho morador da casa 7 - Condorcet Aranha 55276 Visitas

Páginas: Próxima Última