Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
BREU
Flora Fernweh

A penumbra invade meus recônditos,
é densa, fosca, espessa, insana.
Enquanto revoadas no pensar se aninham,
o silêncio do pesar me arranha.

Já não sei diferenciar a luz do dia
daquele brilho frágil e embaçado
que a entranha das noites me trazia.


Biografia:
Sobre minha pessoa, pouco sei, mas posso dizer que sou aquela que na vida anda só, que faz da escrita sua amante, que desvenda as veredas mais profundas do deserto que nela existe, que transborda suas paixões do modo mais feroz, que nunca está em lugar algum, mas que jamais deixará de ser um mistério a ser desvendado pelas ventanias. 
Número de vezes que este texto foi lido: 33814


Outros títulos do mesmo autor

Poesias CORAGEM PARA DESBRAVAR Flora Fernweh
Sonetos TORMENTA Flora Fernweh
Poesias REVOADA Flora Fernweh
Crônicas SAUDADES DE MIM Flora Fernweh
Crônicas DIA DE DOMINGO Flora Fernweh
Contos SÓTÃO TÃO SÓ Flora Fernweh
Poesias BREU Flora Fernweh
Crônicas AMOR E DOR: ESTA RIMA NÃO FUI EU QUEM CRIEI Flora Fernweh
Poesias NORDESTE D'AMOUR Flora Fernweh

Páginas: Primeira Anterior

Publicações de número 191 até 199 de um total de 199.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2021
 
  Textos mais lidos
frase 238 - Anderson C. D. de Oliveira 0 Visitas
frase 247 - Anderson C. D. de Oliveira 0 Visitas
Bulir - Anderson C. D. de Oliveira 0 Visitas
frase 248 - Anderson C. D. de Oliveira 0 Visitas
frase 249 - Anderson C. D. de Oliveira 0 Visitas
Sentir - Anderson C. D. de Oliveira 0 Visitas
frase 250 - Anderson C. D. de Oliveira 0 Visitas
Murro - Anderson C. D. de Oliveira 0 Visitas
Sadio - Anderson C. D. de Oliveira 0 Visitas
frase 243 - Anderson C. D. de Oliveira 0 Visitas

Páginas: Primeira Anterior